O Aeroporto da Catumbela em 2019 Poderá Começar a Receber Voos Internacionais

O aeroporto da Catumbela, na província de Benguela, que entrou em operação em 2012, terá condições de receber voos internacionais nos primeiros meses de 2019, garantiu quarta-feira o director da Empresa Nacional de Exploração de Aeroportos e Navegação Aérea (Enana), Armindo Chambassuco.

Falando à Angop, na sequência da visita do ministro dos Transportes, Ricardo de Abreu, àquela infra-estrutura aeroportuária, o responsável afirmou que já só falta cumprir as últimas das cinco etapas do processo para a internacionalização do terminal, nomeadamente a fiscalização, aceitação e a entrega da certificação pelo Instituto Nacional de Aviação Civil (Inavic).

Para Armindo Chambassuco, a manifestação do interesse da Enana para certificação – que ditará a internacionalização do aeroporto, e a análise dos documentos pelo Inavic, já foram ultrapassados para o aeródromo estar apto para rotas de voos internacionais.

Quanto ao estado das infra-estruturas, assegurou estarem quase todas operacionais, com destaque para a pista de três mil e 700 metros de comprimento e 45 de largura, capaz de receber em simultâneo, três aviões de grande porte como o Boeing 777-300 em horas de pico.


O Novo Petróleo Verde de Angola Poderá Ser “A Banana”

A fruta é enviada para os consumidores a 6 mil quilómetros de distância e faz parte do esforço de Luanda para diversificar a economia e se afastar da dependência do petróleo.

As várias toneladas produzidas todas as semanas são primeiro enviadas para Portugal e depois distribuídas para o resto da Europa.

Os empresários do setor acreditam que esta é uma aposta fundamental para Angola.

João Macedo é português e há 10 anos investiu no agricultura no país africano. As bananas são o produto de eleição. João Macedo acredita que os produtos agrícolas angolanos têm muita qualidade e que estas bananas podem competir com as que saem da América Latina.

A fruta mais bonita é destinada aos mercados estrangeiros, com a restante a ser vendida no país. Esta empresa acredita que a produção pode chegar às 170.000 toneladas por ano.

Números considerados extraordinários e, por isso mesmo, as autoridades nacionais já classificam a banana como o novo “petróleo verde”.

É exatamente desta forma que Eliseo Mateus, chefe do departamento de agricultura da província de Bengo, descreve a banana angolana.


Depois de 45 Dias de Detenção Zenu dos Santos Fica Mais 25 Dias em Prisão Preventiva

Depois de o prazo de prisão preventiva, de 45 dias, ter expirado, o advogado de defesa do réu, José Filomeno dos Santos “Zenu”, pretendia que o seu constituinte saísse em liberdade mas o Tribunal Supremo, entendeu alargar para mais 25 dias, acima do que a lei estabelece.

O Tribunal Supremo prorrogou o prazo de prisão preventiva do arguido, José Filomeno dos Santos “Zenú”, pelo facto do prazo de 45 dias estabelecidos por Lei ter vencido.

De acordo a notificação dirigida ao advogado de defesa, Benja Satula, aquela instância judicial informa que “o prazo será alargado para mais 25 dias renováveis em virtude de não ter sido concluído o processo,

para que transitasse em julgado”. Benja Satula diz não entender as razões da prorrogação, uma vez que esperava que o seu constituinte, o antigo presidente do Fundo Soberano de Angola,

fosse devolvido a liberdade a julgar pela colaboração e pelo cumprimento que tem sido dado aos órgãos de justiça desde a fase de instrução preparatória deste processo.

“ Estamos surpreendidos pois nós respeitamos e cumprimos com as medidas estabelecidas por Lei. Estamos a colaborar e gostaríamos que fosse restituída a liberdade ao réu, José Filomeno dos Santos”, disse Satula.


João Lourenço, Chegou a Hora do Desafio

Foto de Manuel Almeida/Lusa

Acólitos de José Eduardo dos Santos dão sinais de medo. Mas isso não lhes retira o conforto e nem o poder. Boicotar o país é uma decisão que também está nas mãos deles. Analista acha que estão a jogar com João Lourenço.

O recente pronunciamento do ex-Presidente de Angola, sobre os 15 mil milhões de dólares que terá deixado nos cofres do país aquando da sua saída, aconteceu num momento singular:

o atual Presidente João Lourenço estava de visita a Portugal, onde provavelmente obteria um sinal positivo de Lisboa para a colaboração no repatriamento de capitais angolanos.

Também o prazo para o fim do repatriamento pacífico de capitais está a chegar ao fim em Angola, termina a 22 de dezembro de 2018, e foi aprovada a Lei de Repatriamento Coercivo de capitais.

Para além de que José Eduardo dos Santos, visivelmente debilitado, estava acompanhado de poderosos generais da sua confiança durante a conferência de imprensa.

Estarão José Eduardos dos Santos (JES) e os seus generais mais próximos a sentir-se acuados? O analista angolano Agostinho Sikato não tem dúvidas: “De facto sim, estão a sentir-se [acuados].

E esta é uma resposta direta que dão ao Presidente João Lourenço de que o futuro não se apresenta tão seguro assim.”


Já Deixaram o Brasil Rumo a Cuba Mais de 1300 Médicos Cubanos

Foto: Antonio Cruz/ABr/Arq

A Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) confirmou que 1.307 profissionais cubanos, vinculados ao programa Mais Médicos, já deixaram o Brasil rumo a Cuba.

De acordo com a entidade, foram fretados sete voos e outros estão previstos para partir ao longo dos próximos dias.

Os médicos atuavam em 16 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI) e em 733 municípios de 26 unidades federativas.

Por enquanto, não houve saída apenas no Acre.

No último dia 14, o Ministério da Saúde de Cuba anunciou o rompimento do acordo de cooperação para o Mais Médicos por discordar das exigências e das declarações feitas pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro, contra as autoridades cubanas e contra os médicos.


Devido a Assaltos Constantes os Caminhos de Ferro de Luanda Suspendem Comboios Por Tempo Indeterminado

Foto de Paulo Cunha/Lusa

Os constantes assaltos a passageiros e pessoal ferroviário em serviço obrigou, a partir de hoje, os Caminhos-de-Ferro de Luanda (CFL) a suspenderem, por tempo indeterminado, dois comboios de passageiros na estação da Rotunda, distrito urbano do Sambizanga.

Em comunicado, os Caminhos-de-Ferro de Luanda informam que foram suspensos os comboios que passam na estação às 6:37 e 17:59.

Às autoridades competentes e à comunidade circundante, os CFL pedem “uma insubstituível colaboração” para que sejam repostas as condições de segurança para os passageiros e pessoal ferroviário e, consequentemente, a retomada da circulação dos comboios naquela localidade e naqueles horários.

Em declarações à agência Lusa, o porta-voz dos CFL, Augusto Osório, referiu que a situação se verifica há um ano e tem vindo a intensificar-se.


Remodelar Edifício do Governo Angolano em Luanda Vai Custar Mais de 17 Milhões de Dólares

Edifício do Conselho de Ministros de Angola, em Luanda, vai ser remodelado e ampliado através de uma empreitada de 17 milhões de euros autorizada pelo Presidente angolano, João Lourenço.

Segundo um despacho de 20 de novembro, a que a Lusa teve hoje acesso, João Lourenço autorizou a assinatura de contrato de empreitada orçado em 6.082.671.547 kwanzas (cerca de 17 milhões de euros).

No entender do chefe de Estado de Angola, a remodelação e ampliação do edifício do Conselho de Ministros é “conveniente” e a obra visa dotar a infraestrutura de melhores condições de trabalho.

Segundo o documento, o acompanhamento da obra ficará a cargo do diretor do Gabinete de Obras Especiais (GOE).

Criado em 2014, pelo então Presidente da República, José Eduardo dos Santos, o Gabinete de Obras Especiais tem a seu cargo,


Reinício das Obras de Requalificação da Zona Verde do Alvalade

A terceira e quarta fase das obras de requalificação da zona verde do Alvalade, distrito urbano da Maianga, município de Luanda, teve início em Outubro com a construção de passeios e arruamentos, uma empreitada sob a responsabilidade da empresa angolana Plaurbe.

A primeira e segunda fase da requalificação estão concluídas desde o primeiro trimestre de 2017, estando em curso o apetrechamento do local.

A Angop constatou no local, que parte do sistema de drenagem de águas residuais já foi desassoreada, para evitar constrangimentos provocados pela água da chuva.

Na empreitada, que se prevê concluída no primeiro trimestre de 2019, consta a requalificação de toda rede de drenagem domiciliar, fluviométricas, infra-estruturas de recolha e evacuação de resíduos.

Quando estiverem concluídas as obras, a zona verde do bairro Alvalade vai contar com quadra polidesportiva, lago artificial, centro infantil e zona de restauração.


Em 2019 a Capital Mundial da Paz Vai Ser em Luanda

A escolha do nosso país para albergar o evento comprova o respeito e a sua credibilidade a nível internacional na defesa da paz, da amizade e fraternidade entre os povos

A ministra da Cultura, Carolina Cerqueira, anunciou ontem, em Lisboa, que o país vai albergar em 2019 a Bienal da Paz, que durante cinco anos promoverá o nosso país ao título de capital mundial da paz e da amizade entre os povos dos cinco continentes e da diáspora. Segundo a ministra, que falava durante uma confraternização com artistas e representantes da comunidade angolana em Portugal, o convite foi feito pela directora Geral da Unesco, Sra Andrew Azulay, aquando da visita do Presidente João Lourenço à sede da organização das Nações Unidas da Educação e da Cultura em Julho.

O evento servirá para o país mostrar o potencial cultural e o seu compromisso para com o processo de reconciliação entre os angolanos. A dirigente da Cultura no país avançou que, presidente da república assegurou dar todo o apoio para o sucesso do evento.

Deste modo, a escolha de Angola para albergar o evento comprova o respeito e a credibilidade do país ao nível internacional’’no que toca à defesa da paz, da amizade e fraternidade entre os povos, assente numa base de diálogo, de mutualismo e de concertação.


João Lourenço Abre Caminho a um Segundo Mandato

Deslocação de Presidente a Portugal, marcada por uma atmosfera distendida, sela novo ciclo nas relações bilaterais. Luanda quer investidores portugueses “em força” e João Lourenço abre caminho a um segundo mandato.

Em três dias de visita de Estado a Portugal, o Presidente angolano João Lourenço assinou 13 acordos de carácter bilateral, proferiu mais de uma dezena de intervenções, e pediu aos “investidores para fazerem as malas e irem para” o seu país “em força”. Em especial “os empresários pequenos e médios, de praticamente todos os ramos da economia”.

João Lourenço disse-o vários vezes ao longo da visita e voltou a dizê-lo neste Sábado ao final da manhã num encontro com representantes dos órgãos da comunicação social portuguesa em Lisboa, insistindo em pontos fortes que foi desenvolvendo ao longo dos três dias da sua presença em Portugal. No encontro com os jornalistas portugueses, o Presidente angolano garantiu não existirem actualmente “obstáculos no caminho das relações” entre os dois países como ficou comprovado pelo número de acordos assinados durante a visita. Acordos estes a que somarão outros, já no início de 2019, quando o Presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, se deslocar a Angola, como fez questão de frisar João Lourenço.