Em 2018 Registou-se o Triste Recorde de 12 Mil Crianças Mortas ou Feridas em Conflitos

Mais de 12 mil crianças foram mortas e feridas em conflitos armados no ano passado, denuncia a ONU, sublinhando tratar-se de um recorde e apontando Afeganistão, Palestina, Síria e Iémen como os piores países da lista.

Num relatório anual hoje publicado, as Nações Unidas referem que as mortes e ferimentos estão entre as mais de 24 mil “violações graves” dos direitos das crianças verificados pela organização no ano passado.

Entre as violações registadas contam-se ainda o recrutamento e uso de menores nos combates, a violência sexual, os raptos e os ataques a escolas e hospitais, avança o relatório.

De acordo com o documento, entregue pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, ao Conselho de Segurança das Crianças e Conflitos Armados, e citado pela agência AP, o número destas violações feitas por grupos armados manteve-se estável relativamente a 2017, mas houve um “aumento alarmante” do número de violações realizadas por forças governamentais e internacionais.


Investimento Numa Instalação de Linha de Montagem de Tratores em Angola, na Produção de Electricidade e Gás e Na Agricultura no Valor de de Dois Mil Milhões de Dólares

Foto de: Mota Ambrósio| Edições Novembro

Os Emirados Árabes Unidos propõem-se a investir, a partir dos próximos seis meses, cerca de dois mil milhões de dólares na instalação de uma linha de montagem de tractores em Angola, na produção de electricidade e gás e na agricultura.

A informação foi prestada hoje à imprensa pelo sheik do Dubai, Ahmed Dalmoor Al Maktoum, no final de uma audiência que lhe foi concedida pelo Presidente da República, João Lourenço.
Nesta quarta visita ao país, o sheik Ahmed Al Maktoum acredita que dentro de seis meses os efeitos da cooperação vão começar a dar resultados.
Afirmou, cita a Angop, que a cooperação no sector da produção do gás vai permitir reduzir os custos com a electricidade e apoiar o funcionamento da indústria, tendo manifestando, também, interesse de trabalhar em projectos de dessalinização de água, para beneficiar populações carentes, bem como em projectos que ajudem a reduzir o desemprego.
O sheik do Dubai admitiu a possibilidade de aumentar o valor a investir, na medida em que for alargada a base de cooperação.
Os Emirados Árabes Unidos constituem uma confederação de monarquias árabes localizada no Golfo Pérsico e têm a sexta maior reserva de petróleo do mundo, sendo uma das mais desenvolvidas economias do Médio Oriente.
O país tem, actualmente, a trigésima sexta maior economia a taxas de câmbio de mercado do mundo.


No Corno de África 15 Milhões de Pessoas Correm Perigo de Vida Devido à Seca

As vidas de mais de 15 milhões de pessoas estão em perigo devido à seca em várias regiões do Quénia, Etiópia e Somália (Corno de África), alertou a organização humanitária Oxfam.

“A contínua escassez de chuvas estragou as plantações e, com elas, os meios de subsistência de muitas pessoas, o que deixou 7,6 milhões de pessoas em risco de fome extrema em três países [Quénia, Etiópia, e Somália]. Devido a secas e conflitos, milhões de pessoas na região foram forçadas a fugir das suas casas”, refere a Oxfam num comunicado hoje divulgado.

No mesmo documento, a Oxfam apela aos Governos que apoiem a resposta humanitária, que actualmente tem apenas um terço dos recursos de que necessita, impossibilitando a assistência a todas as pessoas afectadas.

“As lições aprendidas com a fome que devastou a região em 2011, que vitimou mais de 260.000 pessoas, ajudaram a evitar outra [crise] em 2017, quando o financiamento em larga escala foi rapidamente fornecido para garantir uma resposta humanitária eficaz”, acrescenta a organização.

A Oxfam salienta que os milhões de pessoas que ainda estão a recuperar dos efeitos da seca de 2017 encontram-se agora numa situação de grande vulnerabilidade aos efeitos da actual seca.

Refere, no entanto, que há dois anos, na mesma época, a resposta humanitária já tinha três quartos do financiamento necessário.


Construção de Zoológicos em Angola é um Pedido dos Turistas

Ao falar á Angop, na cidade do Cuito, o proprietário do “Rovos Rail”, Rohan Vos-Ceo, disse que a ideia da construção de parques zoológicos,vai garantir maior atracção para os turistas, inscrever o país na rota do turismo Safari e assegurar a permanência de outros animais raros da região.

“Os turistas gostam visitar estes locais de maior concentração animal” – Disse Rohan Vos-Ceo.

Por sua vez, o guia do comboio luxuoso sul-africano “Rovos Rail”, Nicholas Schofield, mostrou-se impressionado com a vasta fauna e flora constatada durante o percurso, (Luena-Cuito), defendendo a criação de espaços de lazer ao logo do troço.

No Cuito,o Comboio, com dez carruagens luxuosas apinhadas de turistas sul-africanos, norte-americanos, ingleses, suíços, holandeses, australianos e neozelandeses, foram recebidos pelo Governador da província, Pereira Alfredo.


Primeiro Navio de Investigação em África Vai Ser Recebido em Angola no Próximo Mês de Agosto

Foto: Lusa / Ampe Rogério

O Governo angolano recebeu esta segunda-feira oficialmente o primeiro navio de investigação oceânica, construído na Roménia pela holandesa Damen e orçado em 80 milhões de dólares (71 milhões de euros), embarcação que permite 29 dias de autonomia no mar.

Segundo as autoridades angolanas, o navio Baía Farta, cujas ações iniciais de investigação estão previstas para finais de agosto ou princípio de setembro, é o primeiro do género em África e o terceiro a nível do mundo em termos de capacidade, laboratórios e autonomia.

O “Baía Farta”, atracado na Base Naval de Luanda, abarca “distintas valências”, nomeadamente “sofisticação científica e tecnologia, dispositivos de pesquisa de ocorrências de micro plásticos” e para o setor das pescas “instalação de um sistema organizado de lota”, referem as autoridades.

Hoje, o ministério das Pescas e do Mar de Angola e a empresa Damen procederam, em pleno navio, à assinatura do certificado de entrega definitiva do “Baía Farta” que ainda apresenta “algumas inconformidades”, detetadas na viagem da Roménia.

“Conseguiu-se verificar que ao longo da travessia surgiram algumas inconformidades, tivemos atenção a isso e com os nossos cientistas detetaram 29 inconformidades, a maioria foram corrigidas a maioria sete vão ser corrigidas agora durante as provas do mar”, explicou a ministra das Pescas e do Mar angolana, Maria Antonieta Baptista.


Dia 26 de Julho Entra em Angola Pela Fronteira do Luau o Primeiro Comboio Turístico Proveniente de Dar Es Salaam

Angola recebe dentro de uma semana o primeiro comboio turístico, proveniente de Dar Es Salaam, Tanzânia, que traz ao país mais de 100 turistas estrangeiros para uma estada de oito dias, num itinerário promovido pela sul-africana Rovos Rail.

Esta atividade foi anunciada sexta-feira em conferência de imprensa pela coordenadora da Benguela Turismo, Rebeca Barreiros, e responsáveis do Ministério da Hotelaria e Turismo de Angola.

O comboio chega a Angola, entrando pela fronteira do Luau, província angolana do Moxico, no dia 26 de julho, com 53 turistas norte-americanos, suíços, australianos, belgas, neozelandeses, holandeses e sul-africanos, que pagaram pacotes turísticos entre 12.000 a 25.000 dólares (cerca de 10.700 a 13.360 euros).

O segundo grupo, de 54 turistas, chega a Luanda, por via aérea, permanecendo na capital por alguns dias, antes de seguirem para Benguela, terminando a viagem em Dar Es Salaam.

Em declarações à imprensa, Rebeca Barreiros disse que este é um ano experimental, estando já previstas outras duas viagens para 2020 e 2021, tendo Angola incluída no itinerário.

“A empresa optou por um número menor de turistas, para ver qual era a aceitação do turismo internacional, que foi bastante grande, sendo que já estão confirmadas duas partidas” em julho de 2020 e 2021, disse Rebeca Barreiros.


Três Ministros e Dois Governadores Provinciais Exonerados Pelo Presidente de Angola

O Presidente de Angola exonerou os ministros da Economia, Agricultura e Interior e trocou os governadores de Cabinda e Kuando Kubango, colocando Manuel Neto da Costa na Economia, Eugénio César Laborinho no Interior e António Francisco de Assis na Agricultura.

De acordo com uma nota oficial da Presidência da República de Angola, foram exonerados Ângelo de Barros da Veiga Tavares, do cargo de Ministro do Interior; Marcos Alexandre Nhunga, do cargo de Ministro da Agricultura, e Pedro Luís da Fonseca, do cargo de Ministro da Economia e Planeamento, que serão substituídos por Eugénio César Laborinho, que passa a ministro do Interior; António Francisco de Assis assume o topo do Ministério da Agricultura e Florestas e Manuel Neto da Costa fica ministro da Economia e Planeamento.

Na nota, anuncia-se ainda que foram demitidos o governador da província de Cabinda, Eugénio César Laborinho, e Pedro Mutinde, governador de Kuando Kubango, entrando como substitutos Marcos Alexandre Nhunga em Cabinda e Júlio Marcelino Vieira Bessa em Kuando Kubango.


Alargar Mobilidade a Todos os Cidadãos da CPLP Vais Ser Proposto Por Portugal

O ministro dos Negócios Estrangeiros português afirmou que Portugal está pronto para alargar o regime de mobilidade que aplica bilateralmente com o Brasil a todos os cidadãos da CPLP, acreditando na possibilidade de alcançar um acordo global até 2020.

Em entrevista à agência Lusa na cidade cabo-verdiana do Mindelo, ilha de São Vicente, na véspera da XXIV reunião ordinária do conselho de ministros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), Augusto Santos Silva assumiu que “a questão central” da reunião de sexta-feira será “o trabalho que tem vindo a ser feito sobre o regime de mobilidade e livre circulação” dentro da organização.

“Estou seguro de que os ministros dos Negócios Estrangeiros e Relações Exteriores aprovarão [na sexta-feira] uma resolução que significará um passo em frente em direção ao acordo que os chefes de Estado e de Governo possam aprovar. Eu estou seguro de que vai haver passos. Qual é a largura desses passos? Isso estou como um célebre jogador de futebol português, que dizia que prognósticos só no fim do jogo”, disse Santos Silva.


Localizada na Catumbela, a Cimenfort Aposta no Aumento de Produção

Localizada na Catumbela em Benguela, a cimenteira Cimenfort está cada vez mais empenhada na aposta do aumento da sua produLocalizada na Catumbela em Benguela, a cimenteira Cimenfort está cada vez mais empenhada na aposta do aumento da sua produção.

Com 750 hectares, fundamentalmente de área calcária, e 218 trabalhadores, a Cimenfort foi concebida para ser implementada em três fases: a primeira para produzir 700 mil toneladas, inaugurada a 22 de Agosto de 2012; a segunda, destinada a aumentar a capacidade de produção para o dobro; a terceira (última) para a montagem da moagem do clínquer, cujos equipamentos são importados da Alemanha e da China.

Nas instalações da fábrica, é visível algum equipamento que vai ajudar a “revolucionar” a produção, com a previsão de a tornar plena até 2022, altura em que deverão estar instalados novos fornos, britadores, redutores, refrigeradores, ventiladores e transportadores.

Actualmente a Cimenfort possui um ramal de ligação à linha dos CFB, que passa, justamente, a menos de 10 metros das suas instalações. A sua produção, espera-se que atinja um milhão e 400 mil toneladas ano, contra as actuais 400 mil.

Mercado

 


De Dar Es Salaam na Tanzânia ao Lobito no litoral Angolano Em Comboio Turístico de Luxo

Cerca de 50 turistas de várias nacionalidades viajam a bordo do primeiro comboio de luxo do operador turístico sul-africano “Rovos Rail”, que partiu de Dar Es Salaam, na Tanzânia, dia 14 de julho, com destino a Angola, no âmbito de um safari de comboio transafricano denominado “Os dois oceanos”, ligando o Índico e o Atlântico.  No total são 18 dias a bordo do Rovos, O preço pago pelos turistas endinheirados foi de US$ 25 mil dólares para duas pessoas.

Com dez carruagens luxuosas, que acomodam turistas sul-africanos, norte-americanos, ingleses, suíços, holandeses, australianos e neozelandeses, o comboio vai entrar pela Zâmbia e atravessar a República Democrática do Congo, antes de chegar ao Luau, na fronteira de Angola, no próximo dia 26 deste mês.

Em declarações nesta quarta-feira à Angop, Rebeca Barreiros, coordenadora do escritório da Agência Benguela Turismo/Alive Travel, no Lobito, adiantou que os turistas embarcaram em Dar Es Salaam, acompanhados por mais 35 pessoas do staff da Rovos Rail, a principal companhia de caminhos-de-ferro de luxo em África.

Depois de entrar em Angola, o comboio segue do Luau, no Moxico, com destino ao Lobito, litoral da província de Benguela, percorrendo 1.334 quilómetros na linha do Caminho-de-Ferro de Benguela (CFB).

Segundo a técnica de turismo, estão previstas paragens ao longo da viagem, nomeadamente nas estações de passageiros do CFB no Luena, no Moxico, e na do Cuito, província do Bié, para os turistas pernoitarem no comboio.