Visita ao Centro de Hemodiálise do Hospital Josina Machel em Luanda


Em alusão ao dia Mundial do doente que hoje se assinala, a equipa de reportagem deste jornal visitou o Centro de Hemodiálise do Hospital Josina Machel, que atende cerca de 124 pacientes /dia, e acompanhou o drama de quem sobrevive com auxílios de máquinas
Pedir esmolas para apanhar um táxi, passar fome e dormir ao relento são alguns dos sacríficios que dezenas de cidadãos que padecem de insuficiência renal enfrentam semanalmente para terem mais algumas horas de vida.

Muitos deles dizem terem sido abandonados pela família, perderam o emprego, os sonhos, o respeito da sociedade e a auto-estima, tudo porque os rins deixaram de funcionar correctamente. Com isso, as suas vidas passaram a depender de uma máquina que filtra as impurezas do seu sangue. João Santos tem 51 anos e há mais de três conhece bem essa realidade.

Na luta pela sobrevivência, desloca-se pelo menos três vezes por semana à pedonal do “ISIA”, na via-Expressa, para pedir esmolas aos automobilistas e transeuntes, a fim de custear o táxi do Benfica até ao Centro de Hemodiálise do Hospital Josina Machel, na Maianga, para o tratamento e para sua a alimentação. Sentado no chão, encostado aos ferros, sem camisa para mostrar os tubos que tem canalisados no peito, tenta chamar a atenção dos que por ali passam. Foi durante esta ocasião que o abordamos, às 8horas de Sexta-feira.

Com lágrimas nos olhos, o homem afirmou que adoptou esta iniciativa de forma a não faltar às sessões de tratamento, agendadas para Domingos, Terças e Quintas-feiras, uma vez que os seus familiares desistiram de o apoiar psicológica e financeiramente

. “A minha mulher faleceu e os meus familiares dizem que não há outra coisa a fazer a não ser esperar a morte”, lamentou. A sua esperança esteve depositada num dos filhos que vive em França e havia enviado cerca de 10 mil dólares para o ajudar no tratamento. Entretanto, o vizinho, que parecia estar engajado em ajudá-lo a levantar tais montantes, num momento em que os bancos impuseram algumas barreiras aos seus clientes para movimentarem moedas estrangeiras, acabou por deixá- lo na penúria. Apossou-se da quantia e fugiu.


Em 2019 Começa a Evidenciar-se a Recuperação Económica em Angola

Depois de vários anos de crise, a recuperação económica em Angola começa a evidenciar-se em 2019, segundo reportou, hoje, sábado, o Atlantic Council’s Africa Center (Centro Africano do Conselho Atlântico).

O artigo destaca que as reformas no país “parecem estar a aliviar os males económicos de Angola, com o Banco Mundial a estimar um crescimento do PIB de 2,9% em 2019”.

O centro vaticina que à medida que o clima económico em Angola melhora, vai-se de igual modo, proporcionando oportunidades para investimento estrangeiro – não só na esfera do petróleo e gás, mas também em sectores em crescimento, como turismo e agricultura.

O artigo faz ainda referência ao Programa de Estabilização Macroeconómica lançado pelo presidente Angolano, João Lourenço, com foco em três pilares, nomeadamente consolidação fiscal, melhorias no ambiente de negócios e política monetária.

De acordo com a publicação, o Programa de Estabilização Macroeconómica do Executivo Angolano já conduziu à progressos significativos, incluindo uma nova lei que permite aos investidores internacionais investirem em Angola sem um parceiro local (anteriormente um requisito) e a revogação da taxa de câmbio indexada.


Dois Veículos Pesados em Colisão Frontal Provocam 13 Mortos e 6 Feridos Graves na Estrada Nacional 230 na Província do Cuanza-Norte

Em 24 horas somaram-se 16 mortos e 9 feridos graves no mesmo troco da estrada nacional 230, no cuanza-Norte (CN)

Uma colisão entre dois veículos pesados, sendo um autocarro de marca Yotong, da operadora TCUL e um camião Volvo, contentorizado, provocou 13 mortos e 6 feridos graves na Estrada Nacional 230, troço Caleba – Beira Alta, na província do Cuanza-Norte (CN).

Segundo depoimentos de sobreviventes, o acidente terá sido provocado pelo rebentamento de um dos pneu do camião Volvo, que, descontrolado, embateu no autocarro, que captou.

No terreno perderam a vida 11 pessoas e outras duas, em que se inclui o condutor do autocarro, pereceram durante a transportação para o hospital.

Segundo fonte policial, grande parte dos passageiros tinha como destino o município do Golungo Alto.

Em Ndalatando estão hospitalizadas 18 pessoas, sendo 6 em estado grave.


Foram Assassinados na Província da Huíla um Empresário Português e Outro Moçambicano

Um cidadão português e outro moçambicano, ambos empresários, foram assassinados na província da Huíla, em Angola, informou hoje a polícia.

O português, Délcio dos Reis Cardoso, e o moçambicano, Álvaro Morgado, ambos de 64 anos, residiam na província de Benguela, no litoral sul de Angola, de acordo com o comunicado.

O desaparecimento das vítimas foi dado a conhecer pelo Serviço de Investigação Criminal (SIC) de Benguela, na quarta-feira, à polícia da província da Huíla, para onde os empresários terão partido no dia 20 de janeiro, para o município da Matala, supostamente numa viagem de negócios.

A polícia refere que, após algumas diligências, foi possível confirmar as mortes dos empresários nos dias 23 e 24 de janeiro, bem como a localização dos seus corpos.

Segundo a nota, as diligências permitiram também identificar e deter os autores confessos dos crimes. Fonte da polícia informou que se encontram detidas cinco pessoas.


Ao Contrário do Anunciado a TAAG Aumenta Tarifário dos Voos Domésticos

A TAAG anunciou, em comunicado, no início do mês, que tinha revisto o tarifário dos voos domésticos, baixando o preço das viagens para as províncias, mas o NJOnline fez as contas, tendo como base o tarifário anterior, que data de Fevereiro de 2018, e concluiu que o preço das viagens aumentou, em alguns casos, na ordem dos 20%.

Tendo em conta o comunicado da TAAG e o tarifário que resultou da revisão efectuada no ano passado por esta altura, a viagem para o Lubango custava 63.421 kwanzas, isto sem os descontos de 10 e 20% anunciados pela companhia em Fevereiro e sem as taxas, mas a mesma viagem custa agora 77.330 kwanzas, de acordo com os valores avançados pela companhia à Angop.

Já a viagem Luanda-Luena, que custava 66.541 (também sem os referidos descontos), custa agora 80.757 Kz. No caso da viagem Luanda-Huambo, o bilhete, que custava 60.926 kz kwanzas (sem os tais descontos), passou, com a entrada em vigor deste tarifário, a custar 83.941 kwanzas.

Também a viagem para a cidade de Menongue, no Kuando Kubango, que custava 66.853 kz, custa agora 73.143, em económica.


Reportagens Traduzidas em 12 Línguas a Mostrar Potencialidade Económica Angolana Pela EuroNews

A serie de reportagens, traduzidas em 12 línguas vai mostrar o desenvolvimento dos sectores económicos, bem como as potencialidades turísticas angolanas.

A estação televisiva Euronews vai emitir, durante o ano em curso, uma serie de reportagens que visam divulgar ao mundo às potencialidades económicas angolanas.

Designadas “ Business Angola”, as peças jornalísticas vão retratar as perspectivas de crescimento económico do país, no âmbito do programa de diversificação da economia do Executivo angolano que poderão alcançar cerca de 320 milhões de casas.

Segundo a Agência de Notícias Angola Press (ANGOP), as reportagens serão emitidas mundialmente em 12 línguas, nomeadamente alemão, árabe, espanhol, farsi (persa), francês, grego, húngaro, inglês, italiano, português, russo e turco.

Na primeira peça exibida, isto a 24 de Janeiro de 2019, foi feita uma abordagem geral na qual os desafios e as oportunidades de negócios dentro da diversificação da economia de Angola estiveram em voga.


Sete Mortos e Quatro Raptados Num Novo Ataque no Norte de Moçambique

Sete pessoas morreram e outras quatro foram raptadas num novo ataque, ocorrido nesta quinta-feira (7), por grupo armado, supostamente de inspiração radical islâmica, na província de Cabo Delgado, norte de Moçambique, segundo fontes locais.

A população local, que não dorme na aldeia por receio de novos ataques, foi surpreendida quando dormia em acampamentos instalados agora na mata, segundo as mesmas fontes. As vítimas foram todas decapitadas pelo grupo, que também raptou três mulheres e um jovem.

Desde outubro de 2017 já terão morrido cerca de 150 pessoas, entre residentes, supostos agressores e elementos das forças de segurança.

A onda de violência em Cabo Delgado (2.000 quilómetros a norte de Maputo, no extremo norte de Moçambique, junto à Tanzânia) eclodiu após um ataque armado a postos de polícia de Mocímboa da Praia por um grupo com origem numa mesquita local, que pregava a insurgência contra o Estado e cujos hábitos motivavam atritos com os residentes há pelo menos dois anos.


Construção da Barragem Hidroeléctrica no Rio Cunene Fronteira Entre Angola e a Namíbia Está Estimada em 1,2 Mil Milhões de Dólares,

Foto de Ana Mota Arroteia

A construção da barragem hidroeléctrica Binacional de Baynes, com início previsto para 2021, no rio Cunene, fronteira entre Angola e a Namíbia, está estimada em 1,2 mil milhões de dólares, avançou hoje (sexta-feira), em Malanje, o ministro angolano da Energia e Águas, João Baptista Borges.

Para tal, cada Estado deverá empregar 50 por cento do valor acordado, segundo o ministro, que falava no final da 29ª Reunião da CTPC (Comissão Técnica Permanente Conjunta para o Rio Cunene), que visou analisar os estudos em curso para a construção da referida barragem, no âmbito da optimização dos recursos hídricos partilhados entre os dois países.

O projecto, que contará com financiamento público-privado, de modo a que os dois Estados não tenham sobrecarga nos seus orçamentos, terá duração de sete anos e contempla, além do empreendimento hidro-eléctrico, a construção de estradas e de outras linhas de interligação entre Angola e a Namíbia, confirmou João Baptista Borges.

Nesta fase, disse estar em curso um aturado trabalho de impacto ambiental, bem como o estudo de viabilidade técnico-económico, que vai culminar com o lançamento do concurso do projecto e consequente contratação do empreiteiro, em 2020.


Após Jogo em Portugal Não Regressaram ao País Dois Futebolistas da Selecção de Cabo Verde

Os dois jogadores da selecção cabo-verdiana de futebol de sub-20 Clé (Boavista) e Júnior (Desportivo) não regressaram ao país, após participarem num jogo em Portugal.

De acordo com a agência de notícias cabo-verdiana Inforpress, os dois jogadores deveriam ter regressado a Cabo Verde com os restantes elementos da equipa na passada quinta-feira, o que não aconteceu.

Segundo a Inforpress, a ausência de Clé no ataque do Boavista foi notada este sábado no jogo contra o Relâmpago, tal como a de Júnior, no meio-campo do Desportivo, na partida de sexta-feira.

Uma fonte da Federação Cabo-verdiana de Futebol (FCF), citada pela agência de notícias, confirmou que Clé e Júnior ficaram sem a autorização deste organismo.

África 21 Digital

 


Chuva Que se Abateu Sobre Luanda Arrasta Lixo Para as Praias do Mussulo

Resultado da chuva que se abateu na cidade capital, na Sextafeira, as praias do Mussulo registaram um número elevado de concentração de resíduos sólidos, provenientes das zonas circunvizinhas

A grande quantidade de resíduos sólidos nas praias do Mussulo levaram o governador de Luanda, Sérgio Luther Rescova, a trabalhar ontem naquele distrito urbano. As ondas do mar transportaram todo o lixo para a orla e deixaram a Ilha do Mussulo com um péssimo aspecto

. De acordo com informações locais, este movimento é cíclico, ou seja acontece anualmente no período chuvoso. A quantidade de resíduos depende do volume e da intensidade das águas da chuva nas valas de drenagem.

Feita a constatação, o governador provincial orientou as autoridades locais no sentido de reforçarem o trabalho que a empresa de recolha e tratamento de lixo VISTA está a realizar.

Boa parte da extensão da praia já está limpa, pelo que nos próximos dias as praias do Mussulo voltarão a brilhar, para o bem dos banhistas e não só. De realçar que as últimas chuvas não trouxeram danos humanos para a província de Luanda, ou seja até ao momento não há registo de mortos.