Cooperação Bilateral no Domínio do Turismo Entre Angola e Espanha

A ministra do Turismo, Ângela Bragança, e a ministra da Indústria e Comércio e Turismo do reino da Espanha, Maria Reyes Maroto, assinaram um memorando de entendimento para desenvolver e fortalecer a cooperação bilateral em matéria turística entre os dois países no domínio da formação e promoção do turismo.

O acto aconteceu em Madrid, na Espanha, durante a 39ª edição da FITUR – Feira Internacional de Turismo de Madrid, que decorreu de 23 a 27 do mês em curso em Espanha. Segundo um documento do Ministério do Turismo a que OPAÍS teve acesso, a cooperação vai permitir estudar novas áreas, como a análise e investigação de mercados, intercâmbio de peritos ligados à promoção turística e marketing online através das novas tecnologias, assim como impulsionar o marketing digital. O documento refere ainda que, no âmbito das suas competências, os dois países vão promover a criação de novas ofertas turísticas no âmbito da gestão do património natural e cultural que impulsionem o desenvolvimento de um turismo sustentável em benefício das populações locais, enquanto trocarão experiências no âmbito da exploração de edifícios históricos com fins turístico.


5 Pontos Turísticos em Luanda Que Não Pode Mesmo Deixar de Visitar

 

 

Fotos: Angop

 

Passados 443 anos da sua fundação por Paulo Dias de Novais a 25 de Janeiro de 1576, “Kianda” continua a ser apontada por muitos como uma cidade de lugares apaixonantes e encantos para lá de indescritíveis.

Mudam-se os tempos e com isto alguns cenários. Entretanto, a magia e todo o contraste que fazem desta capital um destino de emoções para milhares de populares são pontos que permanecem intactos.

Neste aniversário, o SAPO convida-o a “passear” por pelo menos cinco pontos turísticos imperdíveis em Luanda:

1) Baía de Luanda, o cartão-postal da cidade

A brindar os luandenses desde Agosto de 2012, abençoado pelo mar, o cenário emblemático conjuga lazer e diversão, um palco único e indispensável não só para festivais de música, como também para praticantes de actividade física e amantes das várias facetas do mundo da fotografia.

 2) Ilha do Mussulo, um recanto paradisíaco em forma de sol, brisa e mar

A integrar o topo da lista de sugestões para os dias quentes de Luanda, esta península é certamente um dos cenários mais escolhidos por “kaluandas”, turistas e amantes do bem-estar. O seu banco de areia de cerca de 30 quilómetros de comprimento acolhe incontáveis opções de restaurantes, resorts e spas. Um convite irrecusável para quem se deixa deslumbrar por desportos radicais e para quem não dispensa a oportunidade de dar ao corpo aquele “bronze poderoso”.

3) Miradouro da Lua, um segredo que a natureza guarda com paixão

Para quem se dirige de Luanda para as praias do Cabo Ledo ou para a Barra do Cuanza, este pedaço de terra lunar mesmo aos pés do homem tem sido, desde então, uma das mais consagradas belezas naturais da província.

A 40 quilómetros a sul da cidade, esta maravilha foi escolhida para ser o cenário do filme “O Miradouro da Lua”, do realizador português Jorge António, primeira co-produção cinematográfica luso-angolana, rodada em 1993, e que conquistou o prémio especial Realização no Festival de Gramado, no Brasil.


Motoqueiros Angolanos Através da Associação Amigos da Picada Preparam Digressão ao Quénia

Dezasseis motoqueiros, com máquinas de alta cilindrada( de 550 a 650 cc), filiados na Associação os Amigos da Picada, preparam mais um Raid Internacional por alguns países africanos, num percurso de mais de 10 mil quilómetros até ao Quénia, passando pela Zâmbia, Malawi e Tanzânia.

Em breves declarações à Angop, Júlio Silva, umdos participantes no Raid Internacional e residente na província de Cabinda, disse que este desafio tem um significado particular, porque eleva o nome de Angola nos países por onde se passa, naquilo que são as maravilhas do país e o seu desenvolvimento.
No âmbito da preparação para o Raid Internacional previsto para o dia 12 de Agosto, Júlio Silva seguiu, na sexta-feira, de Cabinda para as províncias da República do Congo, nomeadamente Dolisie (Niari) e Ponta Negra (Kouilou), passando pelas fronteiras de Miconje (Angola), Quimongo e Ntiamba Nzazi (República do Congo) e Massabi (Angola), num percurso de 530 quilómetros até regressar ao ponto de partida.
Depois deste treino de preparação, Júlio Silva inicia o Raid África Internacional, promovido pelos Amigos da Picada, no dia 2 de Agosto, com partida prevista na fronteira de Yema, a sul  de Cabinda, no percurso que passa pelas vilas e cidade de Muanda-Boma e Matadi (República Democrática do Congo),


Com Aplicação de Políticas de Dinamização o Turismo em Angola Pode Contribuir com 30% de Receitas Para o O.G.E.

Para dinamizar o turismo, o presidente da Associação de Guias e Intérpretes de Angola (Aguita), Paciência Samuel, disse ser importante a redução de preços nos serviços prestados nos hotéis, resorts e pensões do país, intensificar a troca de serviços neste setor com outros países e melhorar o estado das estradas e a formação de quadros nacionais na área de turismo.

Associou igualmente, entre outras medidas que podem ajudar no aumento da contribuição do sector para o OGE, a entrada de mais companhias aéreas no mercado angolano e a redução dos custos das viagens.

Paciência Samuel, que falava à Angop sobre os desafios para o desenvolvimento do turismo nacional, considerou ser uma atividade muito sensível por levar a imagem do país além fronteiras e que o melhoramento das condições básicas deve ser urgente, de modo a atrair os turistas e os investidores neste setor.

A instalação da atividade de turismo numa determinada localidade desenvolve -a, através da construção de escolas, postos médicos comunitários e a comercialização de artesanatos entre outras atividades comerciais, disse.


Depois de 6 Anos de Seca a Lagoa do Arco no Tômbwa Volta a Encher

A lagoa do Arco, um dos pontos turísticos do município do Tômbwa, província do Namibe, voltou a ter água desde o final do mês de Março, após seis anos de seca que assolou uma parte da região sul de Angola.

A lagoa regista hoje um outro cenário, dando assim a originalidade desde a sua existência há mais de cem anos.

O ponto turístico do Arco situa-se na margem norte do rio Curoca, a 24 quilómetros da sede do município. Oferece potencialidades invejáveis, onde o desfiladeiro é rochoso e formado por arenitos com 60-80 m de desnível.

O local compreende três lagoas, das quais a do meio que é a mais famosa, pela existência dos arcos criados naturalmente nos arenitos e que deram o nome ao local paradisíaco.

Considerado por muitos como uma paisagem “agressiva, mas impressionante”, constitui um imenso habitat de espécies de animais, porventura endémicas e de uma flora rica em variedades.

Este é um lugar maravilhoso oásis na aridez do deserto, pois as suas águas provem do rio Kuroca apenas no período chuvoso, com realce de Fevereiro a Abril.