De acordo com uma nota da companhia estatal angolana, o edifício administrativo que tem no centro de Lisboa “deixará de oferecer serviços de reservas e emissão de bilhetes”, alargando o funcionamento da loja no aeroporto para o mesmo efeito.