Progressiva Queda de Receitas Leva a Transportadora Aérea Angolana TAAG à Maior Crise Financeira de Sempre

TAAGA nova administração da transportadora aérea angolana TAAG, que passou a ser gerida pelos árabes da Emirates, admite que a companhia vive a ‘maior crise financeira’ de sempre com a progressiva queda de receitas.


Pode Ser Uma Realidade Ligação Aérea Directa Entre Angola e Hong Kong

taagA abertura de uma ligação aérea directa entre Hong Kong e Angola pode vir a ser uma realidade futura atendendo ao aumento dos fluxos turístico e de negócios que se tem estado a verificar, afirmou o cônsul-geral de Angola em Hong Kong.


TAAG Com Quatro Administradores Executivos da Emirates Para Assumirem o Comando da Companhia Aérea Angolana

taagOs quatro administradores executivos indicados pela companhia aérea Emirates  para integrar o novo Conselho de Administração da transportadora aérea angolana TAAG já estão em Luanda.


Quem Deixou 1 Milhão de Dólares Num Avião da TAAG?

1_milhãoAs autoridades policiais angolanas têm em sua posse, desde terça-feira, mais de um milhão de dólares encontrados num dos assentos do avião que fazia o voo DT-0690 da TAAG, no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, momentos antes da descolagem para a cidade de Pequim, República da China.

O Porta-voz do Comando-Geral da Polícia Nacional, Aristófanes dos Santos, em declarações hoje, quarta-feira, à Angop, disse que os valores encontrados pelo comandante da aeronave até ao momento não foram reclamados.

O comandante da aeronave depois de encontrar o dinheiro fez a entrega do montante ao piquete das autoridades policiais destacadas no aeroporto.


Privatização da Companhia Aérea Angolana TAAG?

taag-natal-Segundo o jornal angolano Agora, a administração da TAAG mostra-se incapaz de responder às exigências dos novos parceiros estratégicos da Emirates.

Nem mesmo a parceria com a Emirates permitiu melhorar o desempenho da transportadora aérea angolana, que continua a somar prejuízos e já se aventa a sua privatização, informa o jornal Agora.

Segundo o jornal angolano, “a administração mostra-se incapaz de responder às exigências dos novos parceiros estratégicos da Emirates.”