80 Mil Toneladas de Sal é Quanto Vão Produzir Até ao Fim do Ano as Salinas Calombolo

Até ao final do ano, as salinas Calombolo vão produzir 80 mil toneladas de sal e aumentar os níveis de produção, estando ainda previstos investimentos em equipamentos de última geração, bem como a introdução de um novo produto no mercado, revelou o director comercial, José Carneiro

Com sede na província de Benguela e unidades de produção no município da Baía Farta, as salinas Calombolo dedicam-se à extracção e comercialização de sal marinho e contam com diversas variedades, nomeadamente, sal marinho e refinado de duas espécies, sendo uma mais fina e outra grossa. Segundo o director comercial da empresa, José Carneiro, neste período do ano a produção do sal diminui, influenciado pelo clima. Porém, na estação do cacimbo os níveis de produção tendem a subir. “A produção do sal é condicionada pelas questões climatéricas. Por exemplo, se chover diminui .

E no tempo de frio também há pouca produção”, referiu. Segundo o responsável, o sal produzido é vendido no mercado nacional, no entanto, já se pensa em exportar. José Carneiro apontou como principal preocupação a curta vida útil das máquinas para manter e aumentar os níveis de produção. “O sal é um produto que deteriora os equipamentos rapidamente. Por esta razão, estamos sempre a comprar novos equipamentos”, frisou.


Considerado Impróprio Para Consumo Sal Produzido no Lobito

A Administração Municipal do Lobito proibiu ontem a produção de sal na cidade  durante os próximos três meses, devido ao mau estado de conservação das salinas, informou durante uma conferência de imprensa o assessor do administrador local para os Assuntos Sociais, Viriato Pinto.

As salinas do Lobito estão desactivadas desde 1972, altura em que os salineiros foram transferidos para o Sul da Baía Farta. Infelizmente, temos observado alguns munícipes a fabricarem sal nestes lugares, desprovidos de todas as condições para o efeito. Ou seja, a fabricação de sal nestas salinas afigura-se um autêntico atentado à saúde das pessoas”, disse Viriato Pinto.
O responsável fez saber que os produtores ilegais de sal no Lobito, para ludibriarem as autoridades, utilizam embalagens e sacaria de salinas de outros lugares da província , pelo que apelou aos Serviços de Fiscalização a redobrarem a vigilância.


Tornar Angola Auto-Suficiente em Sal São as Pretensões de Benguela

Até ao 1º semestre de 2018, Benguela prevê atingir uma produção de 120 mil toneladas de sal bruto e, com efeito, cumprir com as projecções do Governo, que são as de tornar o país auto-suficiente.


Macaca, Calombolo e Chamume, 3 Salinas de Benguela que Formarão a “Cidade do Sal”

Foto de Carlos MoronyNova imagem (2)Desde 1930 que Benguela produz sal marinho bruto e, mesmo com altos e baixos, esta indústria consolidou a sua posição estratégica na economia local.

Hoje, estima-se que a província produza mais de 35 mil toneladas por ano, o que representa cerca de 70 porcento da produção à escala nacional.

Nas salinas do Lobito, que remontam aos anos 30 do século passado e onde se chegou a extrair e refinar milhares de toneladas anuais, hoje, o sal está na estaca zero, praticamente.

Mas, a sensivelmente 60 quilómetros da cidade portuária, localiza-se o Chamume (Baía Farta), onde vivem pelo menos 15 mil habitantes e onde está prevista a instalação da futura “Cidade do Sal”.


Sal Marinho das Salinas Calombolo na Província de Benguela a Caminho de Produzir 180 Mil Toneladas de Sal

Texto e Foto de sal_angolaA Central de Processamento Industrial de Sal Marinho das Salinas Calombolo, do grupo Adérito Areias, foi inaugurada pela ministra das Pescas e pelo Governador Provincial de Benguela na passada Sexta-feira, dia 8 de Julho de 2016, na comuna do Chamume.

O “Império do Sal” do grupo Adérito Areias encontra- se a 53 Km do centro do município da Baía Farta, que dista 26 Km da sede provincial, perfazendo o somatório de 79 Km de distância desde Benguela até às Salinas Calombolo, a única produtora de flor de sal no país. Fundada em 1989, a empresa salineira tem como propósito produzir e comercializar sal marinho.