Entram em Funcionamento 32 Novas Brigadas de Conservação de Estradas no Zaire Cabinda Cuanza Sul Bengo Huíla e Bié

  Foto Angop

Trinta e duas brigadas de manutenção e conservação de estradas, criadas pelo Fundo Rodoviário, entrarão brevemente em funcionamento nas províncias do Zaire, Cabinda, Cuanza Sul, Bengo, Huíla e Bié.

Para cada 25 quilómetros de via, estará um grupo de 20 pessoas a trabalhar na manutenção e conservação das vias, num troço total de 100 quilómetros.

Com a implementação deste projecto nas referidas áreas, 640 pessoas ganham o seu primeiro emprego, prioritariamente ex-militares e jovens desempregados, recrutados nas comunidades adjacentes aos troços contemplados.

Entre os trabalhos a serem realizados estão o corte de capim, a limpeza das valas de drenagem, taludes, bermas e reposição da sinalização horizontal e vertical.

Para além desses serviços, os brigadistas também têm como missão detectar o surgimento de ravinas, considerado como principal inimigo das estradas.


É Cada Vez Mais Difícil Circular Entre o Interior e o Litoral de Angola

Em Angola, é cada vez mais difícil circular entre o interior e o litoral por causa do estado avançado de degradação de várias estradas que foram reabilitadas há cerca de dez anos, no âmbito do crédito chinês. À DW África, alguns passageiros relataram estar sujeitos a longas horas de viagem por causa das filas. Muitas empresas já decidiram paralisar as suas atividades e as poucas que continuam reclamam dos danos causados.

 A estrada nacional 120, que liga as províncias do Huambo e Luanda, passando pelas cidades de Wacu Kungo/Quibala, pela província do Kwanza, é um exemplo. Com uma extensão de cerca de 600 quilómetros, essa via apresenta-se quase inacessível para muitas viaturas. Os poucos que se arriscam reclamam das peripécias porque passam.

 Chuvas agravam situação

 João Dominos trabalha para uma empresa de transporte coletivo, uma das poucas a operar nesta rota. O motorista reclama do mau estado da via e diz que a situação agrava-se com a chuva. “A via está num estado péssimo e com a chuva a tendência é piorar. Antes, viajávamos em oito horas, agora precisamos de 14”, relata.


Ligação do Litoral ao Leste Angolano Por Estrada Asfaltada

A estrada que parte da comuna do Cunje, município do Cuito (Bié), a província do Moxico, Leste de Angola, será asfaltada a partir de 2019, permitindo a ligação entre as regiões do Bié, Huambo e Benguela, anunciou, o ministro da Construção e Obras Públicas, Manuel Tavares de Almeida.

Em declarações a imprensa local para balancear a visita de 72 horas a província do Bié, o ministro afirmou que tal garantia foi transmitida esta segunda-feira pelo Presidente da República, João Lourenço, durante um encontro com os membros do Executivo.

Manuel Tavares de Almeida assegurou que o Chefe de Estado está “bastante preocupado” com a situação das estradas do Leste do país, acrescentando que o Executivo vai prestar maior atenção à sua recuperação, prevendo-se para o próximo ano a asfaltagem total do troço Cuito/Luena.


Oito Novas Brigadas de Conservação de Estradas em Funcionamento na Cidade de Luanda

                                                          Foto: Pedro Parente

Oito brigadas de manutenção e conservação de estradas, criadas pelo Fundo Rodoviário, entraram hoje (terça-feira) em funcionamento nos troços Cabolombo/Cabo Ledo e Muxima/Catete/Maria Teresa, em Luanda.

As brigadas contam com 20 brigadistas cada, que realizarão trabalhos em 25 quilómetros de estrada, sendo que a empreitada consiste na limpeza de bermas, valetas e valas de drenagem, taludes, operações de tapa-buraco e reposição da sinalização horizontal e vertical.


Angola Necessita de Reabilitar Com Vista à Interligação da Malha Rodoviária Sete Mil Quilómetros de Estrada

Foto Estevão Manuel

Sete mil quilómetros da rede fundamental de estradas do país necessitam de reabilitação, com vista a interligação da malha rodoviária nacional – anunciou terça-feira, em Ndalatando, província do Cuanza Norte, o director-geral do INEA, António Resende.

O responsável, que falava à imprensa no final de uma visita de constatação do nível de degradação e de recuperação das estradas do Cuanza Norte, efectuada pelo ministro da Construção e Obras Públicas, Manuel Tavares de Almeida, explicou que dos sete mil quilómetros de estradas por reabilitar, quatro mil serão intervencionados e receberão tapete asfáltico pela primeira vez.