A Província de Luanda Contará com 300 Mil Ligações Domiciliares Até Agosto Próximo

A província de Luanda contará com 300 mil ligações domiciliares até Agosto próximo, contribuindo deste modo na melhoria da qualidade de vida de mais de dois milhões e 500 cidadãos, afirmou nesta quarta-feira o ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges.

Segundo o governante, que falava no acto inaugural de uma subestação de 60/15 KV, no bairro Belo Monte, município de Cacuaco, as 300 mil ligações, iniciadas em finais de 2017, estão inseridas no Programa de Desenvolvimento Nacional (PDN)-2018/2022, do Executivo angolano.

“Na província de Luanda, a conclusão do projecto em que se insere esta subestação e outras em fase de conclusão, contará com a execução de 300 mil ligações domiciliares”, informou.

A empreitada foi adjudicada à Sinohydro Corporation Limited, por via de um contrato que envolve a Empresa Nacional de Distribuição de Electricidade (ENDE), inserido no Programa de Investimentos Públicos (PIP).

Em relação à subestação, inaugurada hoje, o ministro disse que perto de 25 mil famílias do Bairro Belo Monte, em Cacuaco, começam a partir desta quarta-feira a beneficiar do fornecimento de energia eléctrica da rede pública.


Proposta de Lei na Assembleia Nacional Para a Província de Luanda Voltar a Ter Nove Municípios

luanda_69671637_nA província de Luanda pode voltar a ter nove municípios, caso a Assembleia Nacional aprove a proposta de lei sobre a divisão político-administrativa, um documento que integra o plano de tarefas para a preparação e realização das eleições gerais e autárquicas no país. A proposta de lei, a ser submetida à Assembleia Nacional, estabelece para a capital do país 13 comunas e 42 distritos urbanos. O documento confere equivalência entre as comunas e os distritos urbanos.


A Província de Luanda em 2030 Deverá Ter 12,9 Milhões de Habitantes

luanda_0A província de Luanda deverá duplicar a população para 12,9 milhões de habitantes até 2030, o que obrigará à construção, nomeadamente, de 13 novos hospitais, 1.500 escolas e de 1,4 milhões de casas.

A informação consta do Plano Director Geral Metropolitano de Luanda, preparado pelo governo para a província, prevendo que só o município de Viana – o mais industrializado do país – atinja dentro de 15 anos os 3,1 milhões de habitantes.

O documento faz também o diagnóstico da situação actual na província, estimando que 80 por cento da população – de 6,5 milhões de habitantes, um quarto dos habitantes do país – vive em musseques.


Provincia de Luanda



A província de Luanda fica localizada no norte do País na faixa litoral e é constituída por 9 Municípios: Cacuaco, Cazenga, Ingombota, Kilamba Kiaxi, Maianga, Rangel, Samba, Sambizanga, Viana, distribuídos numa extensão de 2.257 Km².

O clima é tropical árido e a temperatura média anual é de 25ºC, com duas estações: a das chuvas e a estação seca. A diversidade marinha é abundante.

Existem dois grandes rios, o Bengo e o Kwanza que correm do interior ao Atlântico.

Luanda é a capital da República de Angola e já foi considerada uma das mais belas e animadas cidades da costa ocidental de África. Inicialmente chamada de São Paulo de Loanda, foi fundada a 25 de Janeiro de 1575.

De início o povoamento foi feito na ilha do Cabo e mais tarde ergueu-se a vila, sobranceira à ilha, que ganhou estatuto de cidade em 1605.

O seu porto foi muito importante não só para o escoamento dos produtos naturais vindos do interior, como também no embarque de escravos para a América.

O grupo étnico com maior expressão é o Ambundo, donde se inserem os Axiluandas (homem do mar), que acabaram por desenvolver uma cultura própria.

Os Axiluandas realizam várias manifestações culturais como Carnaval e festas tradicionais. Entre os trajes típicos sobressaem o do pescador, da quitandeira e da bessangana (a mulher da ilha que representa Luanda).

Dedicam também ritos constantes à Kianda (sereia ou espírito das águas). A língua nacional mais falada em Luanda é o Kimbundo.

Em termos de actividade económica a pesca tem um valor importante para as populações que habitam ao longo da costa marítima e nas margens do Kwanza e do Bengo.

COMO CHEGAR
O Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro permite a ligação via aérea de Luanda com o exterior e o interior do país.

As ligações marítimas são feitas através do porto de Luanda.

No que diz respeito às vias rodoviárias, existem acessos para todas as províncias, apesar de algumas estradas estarem a ser restauradas.

FESTAS E EVENTOS
O Carnaval em Luanda é bastante animado, e é considerado o melhor de Angola. As festas da cidade ocorrem a 25 de Janeiro e a festa da Kianda acontece de 28 a 30 de Novembro. Outros eventos importantes que acontecem em Luanda são: A FILDA (Feira Internacional de Luanda) em Julho, a Feira Alimentícia em Maio, a Angola Motorshow em Setembro, a Constrói Angola em Outubro, e a Expo-casa e a Expo-noivos em Novembro. Uma outra feira importante é a Fenapro (Feira de Produção Nacional) em Novembro.

A agricultura também tem alguma expressão e é na capital que se concentram as maiores indústrias do país.

ITINERÁRIOS
Luanda é revestida de esplêndidas construções e qualificada como a cidade mais povoada de Angola. A Ilha do Cabo, a 10 minutos da Marginal, reúne com frequência banhistas, fregueses e turistas que procuram refrescar-se nas águas quentes e experimentar as iguarias dos mais diversos restaurantes à beira-mar. As casas nocturnas, os centros culturais e recreativos em vários pontos da cidade animam e aquecem as noites dos citadinos. Seguindo para sul, nos arredores da cidade, além do encanto natural da baía do Mussulo, a beleza exótica do Miradouro da Lua e da foz do rio Kwanza constituem atractivos ímpares e obrigatórios para os apreciadores dos grandes cenários naturais. Do outro lado da Baía de Luanda, está a ilha do Mussulo, cercada por uma série de pequenas ilhas. No Mussulo, o visitante tem duas opções de desfrute o lado continental do Mussulo, de águas calmas é ideal para a prática de desportos aquáticos, ou, o lado oceânico, com o mar de água limpa, mais agitado, que bate numa praia de areia branca e quase deserta, habitada apenas por pescadores nativos. O embarque faz-se nos clubes da Ilha de Luanda. Os vários complexos turísticos possuem embarcações de transporte gratuito aos seus fregueses. As Palmeirinhas, a sul de Luanda, com ondas mais pronunciadas e com uma formação de falésias que permite uma harmoniosa vista do mar principalmente no pôr-do-sol. Os museus da cidade e as igrejas muitas delas de origem seiscentista enobrecem o mundo cultural, natural e religioso.
ONDE COMER
Existem muitas opções de restaurantes, bares e snack-bars tanto na parte baixa como na ilha do Cabo. Os pratos típicos são o calulu, muamba, mufete, funge de bombó (feito com farinha de mandioca), a kizaca (esparregado de folhas de mandioca), bagre seco ou fumado, entre muitos outros.

ONDE COMPRAR
Pode encontrar artesanato típico em vários locais na parte baixa da cidade, nos hotéis e na ilha. Uma boa opção é a feira de artesanato do Benfica, que fica a 16 km a sul, na estrada que vai para a Barra do Kwanza e onde pode encontrar uma grande variedade de esculturas em madeira e cestaria.
ONDE DIVERTIR-SE
A noite em Luanda é muito animada e pode encontrar muitas opções, na ilha e também na cidade, de restaurantes e esplanadas com música ao vivo, assim como pubs e discotecas com vários estilos de música, não só angolana, como o kizomba, semba e rebita, como também de outros países africanos, americanos e europeus. Também encontra alguns cinemas, salas de espectáculos e centros culturais.

ONDE FICAR
Luanda tem várias opções de alojamento, desde hotéis a residenciais e pensões, na parte baixa da cidade e na ilha do Cabo (chamada simplesmente de Ilha).

ONDE RELAXAR
Em Luanda vai encontrar várias opções de praias na Ilha do Cabo, a praia do Buraco, Palmeirinhas, Cacuaco, Santiago, a muito conhecida Ilha do Mussulo e a Barra do Kwanza, situada a sul de Luanda, onde o rio Kwanza se encontra com o mar.

PARA VISITAR
Fortaleza de São Miguel – Construída em 1576, acolhe no seu interior o Museu Central das Forças Armadas. Foi restaurada recentemente.

Igreja da Nossa Sra. da Nazaré – na Praça do Ambiente, foi construída em 1664, com altar em mármore rosa.

Igreja de Nossa Sra. dos Remédios – na Rua Rainha N’Ginga, foi construída no séc. XVIII.

Igreja de Nossa Sra. do Carmo – fica situada no largo Irene Cohen. Foi construída em 1669 e o tecto foi pintado à mão.

Palácio D. Ana Joaquina – Palácio que foi demolido e recentemente reconstruído, alberga no momento os tribunais.

Museu de História Natural – Edifício construído em 1956, comporta 2 salas de exposição permanente, o salão dos mamíferos e o salão dos peixes. Possui também um auditório, salão para exposições temporárias e biblioteca. Fechado às segundas.

Museu de Antropologia – Localizado na Rua Friedrich Engels, numa antiga casa colonial, conta com uma interessante colecção de arte africana. Aberto aos fins-de-semana.

Museu Nacional da Escravatura – fica situado a 18 km a sul de Luanda. Fica situado numa antiga feitoria. Mostra a história e a rota dos escravos. Aberto aos fins-de-semana

Arquivo Histórico Nacional

Capela do Morro da Cruz – Construída no Séc. XVIII.

Palácio de Ferro – Edifício construído por Gustave Eiffel, datado dos finais de 1800. Veio a Luanda após exibição pelo mundo entre 1901-1902 onde foi comprado pela Companhia Comercial de Angola. Necessita restauração.

Museu Nacional da Escravatura – fica situado a 18 km a sul de Luanda. Fica situado numa antiga feitoria. Mostra a história e a rota dos escravos. Aberto aos fins-de-semana

Reserva Natural Integral do Ilhéu dos Pássaros – Com uma área de 1,7 Km², esta reserva destaca-se pelas diversas aves migratórias.

Mausoléu – Construído em memória ao primeiro Presidente de Angola, Dr. Agostinho Neto, ainda não está totalmente concluído.

Miradouro da Lua – Situado a sul de Luanda, junto à praia das Palmeirinhas, tem uma vista surpreendente.

Igrejas – Igreja dos Jesuítas, Igreja da Misericórdia, Igreja de São José.

Marco Histórico de 4 de Fevereiro – marca o início da luta armada, contra o colonialismo.

Memorial de Kifangondo – Monumento que marca o local de uma bata-lha feroz, entre as forças coloniais e os nacionalistas, a 9 de Novembro, numa tentativa de impedir a proclamação da Independência de Angola.

Banco Nacional de Angola – Edifício construído num momento de forte crescimento económico de Luanda, fica situado na marginal, foi concebido pelo arquitecto Vasco Regalieira e inaugurado em 1956.

Hospital Josina Machel (Maria Pia) – inaugurado em 1886 é o principal hospital de Angola e está a passar por fases de reabilitação.

PRÁTICA DE DESPORTOS
A região de Luanda oferece excelentes condições para prática desportiva, principalmente no que diz respeito aos desportos náuticos, com ênfase especial para a pesca desportiva. O golfe, ténis e raids em veículos todo-o-terreno também são boas opções.