Nova Urbanização a Construir na Paradisíaca Baía dos Elefantes, na Província de Benguela

Um grupo privado pretende investir USD 100 milhões numa nova urbanização a construir na paradisíaca Baía dos Elefantes, na província de Benguela, de acordo com um documento governamental a que a Lusa teve acesso.


Governador de Benguela Anuncia 8 Grandes Obras de Engenharia Para a Província

provincia_benguelaO governador provincial de Benguela apresentou sexta-feira aos jovens o projecto de desenvolvimento a longo prazo, assente em oito dimensões principais: auto-estrada Benguela-Lobito, requalificação urbana do Lobito, loteamento industrial da Catumbela, zona de expansão económica do Cubal, reserva da zona sul-plano urbano, projecto Blue Ocean, Benguela Costa Nova e o projecto urbano Acácias Rubras.


Província de Benguela Projecta Nova Centralidade e um Porto Seco

benguela_251776462_n - CópiaAs autoridades da província de Benguela projectam a construção de uma nova centralidade e um porto seco numa área de 10 mil hectares a uma dezena de quilómetros a norte da cidade do Cubal, anunciou naquela localidade o governador Isaac dos Anjos.

A construção de um porto seco no Cubal visa descongestionar o existente na cidade do Lobito e auxiliar as operações do sistema de logística na região.
O local identificado pela Administração Municipal do Cubal permite também erguer um parque industrial.

Leia Mais


A Província de Benguela Tem Mais de Dois Milhões de Habitantes

 

institutoO número de pessoas a residir na província de Benguela é de 2.036.662, segundo os resultados preliminares do censo geral da população 2014 divulgados hoje (segunda-feira) nesta cidade, pela directora geral adjunta do Instituto Nacional de Estatística (INE), Ana Paula Jordão.

Leia Mais


O Regresso dos Flamingos, a Refinaria, o Porto do Lobito, o Caminho de Ferro de Benguela e o Potencial Turístico da Província

Foto de Mário Rui Ribeiro

lobito_flamingos 00A economia prospera, graças às novas infra-estruturas que compõe 
o designado corredor do Lobito – que inclui o porto, caminho-de-ferro e aeroporto internacional. Há uma indústria emergente e os serviços já não dispensam a presença activa na segunda maior província do país. 
Mas o grande potencial de Benguela está no turismo.

Os flamingos cor-de-rosa, uma das aves mais velhas e raras do mundo, eram um dos principais ícones da cidade do Lobito, conhecida como a Sala de Visitas de Angola. A espécie, porém, já não se avistava há vários anos no mangal do Lobito, antigo santuário de várias espécies de peixes e aves, onde as águas do mar se juntam às águas doces do rio Catumbela, por intermédio da vala do Kassai. Muitos já davam a causa como perdida e diziam que os flamingos jamais voltariam ao seu habitat de várias gerações. As causas eram várias. Desde a injecção desordenada de águas residuais e esgotos no mangal, ao despejo de lixo e de dejectos humanos pelas populações vizinhas.

Até que a administração municipal, incentivada pelo 1.º Congresso de Resíduos Sólidos de África, que decorreu na cidade em 2012, meteu mãos à obra. A pesca passou a ser proibida (usavam-se redes mosquiteiras que impregnavam as águas de químicos) e o lixo removido de forma regular. Graciete Sequeira, chefe da equipa que opera no mangal todos os domingos, confessou à EXAME que “chegou a recolher 80 pneus, que impediam o livre curso das águas e matavam os pequenos moluscos que servem de alimento aos flamingos”. Por fim, sensibilizou-se a população não só a recolher, como também a vender o lixo à administração municipal. A história teve um final feliz. Os flamingos não só regressaram ao mangal como, fruto da alimentação, recuperaram a apreciada tonalidade cor-de-rosa. Eles são um símbolo do renascimento do Lobito que, a 2 de Setembro de 2013, comemorou o centenário.

Terminal de minérios a pensar na Zâmbia
Clique para ampliar a imagem

Do ponto de vista económico, a cidade progride a olhos vistos. Na Restinga, língua de areia de 4 quilómetros, dona de um dos mais belos patrimónios arquitectónicos, alguns dos quais ao melhor estilo art deco, ergueram-se novos hotéis  (caso do Tropicana, Restinga, Navegante e Turimar, ou o complexo TGV no Compão, que fazem concorrência ao clássico Terminus) e ofertas de entretenimento (que já não se limitam ao charme discreto do restaurante Zulu).

Leia Mais