De Janeiro a Junho Deste Ano o Turismo do Brasil, Estados Unidos e Canadá Continuam em Alta em Portugal

Contra a tendência de recuo do turismo estrangeiro em Portugal, as dormidas de brasileiros nos hotéis portugueses cresceram em junho. Estados Unidos e Canadá também estão em alta.

O turismo brasileiro em Portugal encerrou a primeira metade deste ano com um crescimento de quase 12% em comparação com o ano passado. De janeiro a junho houve 1,06 milhões de dormidas de turistas brasileiros nos hotéis portugueses, mais 11,7% do que em igual período de 2017, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE).

O Brasil foi o terceiro mercado emissor de turistas estrangeiros para Portugal que mais cresceu no primeiro semestre, atrás dos Estados Unidos (18,7%) e do Canadá (12% de crescimento nas dormidas nos hotéis portugueses), de acordo com o INE.

Considerando somente o mês de junho, os turistas brasileiros foram responsáveis por 207 mil dormidas na hotelaria lusa, mais 6,9% do que em junho do ano passado. Foi também o terceiro maior registo entre os turistas estrangeiros, apenas atrás do crescimento da procura dos Estados Unidos (15,9%) e do Canadá (14,9%).

Desde o início do ano a procura brasileira nos hotéis portugueses oscilou entre um mínimo de 133 mil dormidas em março e um máximo de quase 228 mil dormidas em maio, indicam os dados publicados pelo INE.


Governo Português Pressionado Pelo Embaixador dos EUA em Lisboa Por Ser Contra Investimento Chinês

O embaixador norte-americano em Lisboa, George Glass, disse hoje que os EUA estão “atentos” ao investimento chinês em Portugal, criticando o modelo de empresas estatais que obedecem a ordens do poder político de Pequim. Glass sugeriu que eventual aquisição da elétrica portuguesa pela China Three Gorges (CTG) seria retaliada pelos EUA.

Em declarações à agência de notícias portuguesa Lusa sobre  o investimento chinês em Portugal, um dos pontos de acesso à Europa da denominada “Uma faixa, uma rota” (um projeto de infraestruturas chinesas por todo o mundo, com um investimento de cerca de um bilião de dólares), George Glass respondeu: “Não usaria a palavra preocupado, usaria a palavra atento”.

Em causa está o tipo de investimento chinês que “é muito diferente” do resto dos países, já que são “empresas estatais”, com ligação direta ao poder político de Pequim, afirmou Glass, salientando que esse modelo subordina os interesses económicos aos interesses do Estado.

“Isto não é parceria comercial, mas uma parceria política”, porque “não são empresas ou entidades privadas a fazerem transações, isto são empresas estatais”, explicou.


Um dos Mais Criativos Artistas Plásticos de Portugal, Júlio Pomar, Faleceu Ontem aos 92 Anos

Painel junto à Biblioteca Nacional, em Brasília-Foto Pinterest

O artista plástico Júlio Pomar morreu, terça-feira, aos 92 anos no Hospital da Luz, em Lisboa.  Pintor e escultor, nascido em Lisboa em 1926, Júlio Pomar é considerado um dos criadores de referência da arte moderna e contemporânea portuguesa. 

Júlio Pomar deixa uma obra multifacetada que percorre mais de sete décadas, influenciada pela literatura, a resistência política ao fascismo, o erotismo e algumas viagens, como à Amazónia brasileira. Paris, onde viveu por mais de vinte anos, foi outra das suas fontes inspiradoras.

Em Brasília, cidade que visitou, Pomar assina um painel de 120 metros quadrados de azulejos, junto à Biblioteca Nacional, espaço nobre da capital federal, oferecido à cidade por Portugal, em dezembro de 2009.

Obras do artista estão presentes em várias coleções particulares e em museus do Brasil. Em 1976, participou da Bienal de São Paulo. Trabalhos de Júlio Pomar fazem parte dos acervos dos  Museu de Arte de Brasília, Museu de Arte de S. Paulo Assis Chateaubriand, e Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (1986).


Em 2016 Foi Concedida a Nacionalidade Portuguesa a 25.104 Pessoas Entre Eles Mais de 7.800 Brasileiros

Portugal concedeu, em 2016, nacionalidade a 25.104 pessoas, aumento de 23% comparativamente a 2015, sendo mais de 7.800 brasileiros, segundo o Eurostat, centro de estatísticas da União Europeia.

De acordo com os dados de 2016 hoje divulgado, Portugal concedeu a naturalização a 25.104 estrangeiros (mais 23% do que no ano anterior), na sua maioria brasileiros (31,3%), seguindo-se cabo-verdianos (14,4%) e ucranianos (12,9%).

Em 2016, Portugal teve ainda uma a terceira maior taxa de naturalização – a relação entre o número de pessoas que adquiriram nacionalidade e o total de estrangeiros residentes no início do ano – da UE: 6,5 por cada 100, depois da Croácia (9,7) e da Suécia (7,9), informa a Lusa.


Em 2017 os Que Mais Pediram Asilo a Portugal Foram Ucranianos Angolanos e Congoleses

Em 2017 houve um total de 1.015 novos pedidos de asilo a Portugal, acima dos 710 registados no ano anterior, o que corresponde a 98 casos por um milhão de habitantes – só Eslováquia e Polónia tiveram uma proporção menor – e a apenas 0,2% dos requerimentos feitos durante esse período nos 28 Estados-membros da União Europeia.

Segundo os dados divulgados pelo Eurostat esta terça-feira, 20 de Março, no caso português, as três principais origens dos requerentes de asilo pela primeira vez foram a República Democrática do Congo (160 casos, 16% do total), Ucrânia (125 casos; 12,3%) e Angola (120 casos; 11,8%).

No entanto, destas três cidadanias com mais pedidos, só no caso dos angolanos é que Portugal figura como um dos maiores destinos – o terceiro. Os países onde mais angolanos procuraram asilo no ano passado foram França (865 pedidos, equivalente a 56% do total) e a Alemanha (240; 16%).