Em 2016 Foi Concedida a Nacionalidade Portuguesa a 25.104 Pessoas Entre Eles Mais de 7.800 Brasileiros

Portugal concedeu, em 2016, nacionalidade a 25.104 pessoas, aumento de 23% comparativamente a 2015, sendo mais de 7.800 brasileiros, segundo o Eurostat, centro de estatísticas da União Europeia.

De acordo com os dados de 2016 hoje divulgado, Portugal concedeu a naturalização a 25.104 estrangeiros (mais 23% do que no ano anterior), na sua maioria brasileiros (31,3%), seguindo-se cabo-verdianos (14,4%) e ucranianos (12,9%).

Em 2016, Portugal teve ainda uma a terceira maior taxa de naturalização – a relação entre o número de pessoas que adquiriram nacionalidade e o total de estrangeiros residentes no início do ano – da UE: 6,5 por cada 100, depois da Croácia (9,7) e da Suécia (7,9), informa a Lusa.


Em 2017 os Que Mais Pediram Asilo a Portugal Foram Ucranianos Angolanos e Congoleses

Em 2017 houve um total de 1.015 novos pedidos de asilo a Portugal, acima dos 710 registados no ano anterior, o que corresponde a 98 casos por um milhão de habitantes – só Eslováquia e Polónia tiveram uma proporção menor – e a apenas 0,2% dos requerimentos feitos durante esse período nos 28 Estados-membros da União Europeia.

Segundo os dados divulgados pelo Eurostat esta terça-feira, 20 de Março, no caso português, as três principais origens dos requerentes de asilo pela primeira vez foram a República Democrática do Congo (160 casos, 16% do total), Ucrânia (125 casos; 12,3%) e Angola (120 casos; 11,8%).

No entanto, destas três cidadanias com mais pedidos, só no caso dos angolanos é que Portugal figura como um dos maiores destinos – o terceiro. Os países onde mais angolanos procuraram asilo no ano passado foram França (865 pedidos, equivalente a 56% do total) e a Alemanha (240; 16%).


Em 2017 Portugal Atingiu o 2º Lugar Mundial com Mais Órgãos de Dadores Falecidos

Portugal atingiu no ano passado o segundo lugar na lista mundial de países com mais órgãos de dadores falecidos, anunciou hoje o presidente do Instituto Português do Sangue e da Transplantação (IPST).

João Paulo Almeida e Sousa falava aos jornalistas à margem de um simpósio internacional sobre transplantação e doação de órgãos, que decorre em Lisboa.

Esta subida à segunda posição é “uma excelente notícia”, disse. “Mais do que a nossa posição no ‘ranking’, significa que houve mais oportunidade de doação e portugueses que precisaram de mais um órgão para viver, e para viver com qualidade, e que tiveram acesso a esse órgão”, adiantou.

Portugal alcançou este segundo lugar num universo de 50 países, entre os quais estão representados “todos os países ocidentais”. Em 2016, Portugal ocupava a terceira posição e, em 2015, o quarto lugar.


Aumentaram Quase 35% em 2017 as Exportações de Portugal Para a China

Portugal exportou para a China produtos no valor de 2.128 milhões de dólares em 2017, um crescimento de 34,69%, num ano em que as trocas comerciais entre os dois países desceram 0,17%, foi hoje divulgado. Entre os países lusófonos, o Brasil é o principal parceiro comercial da China, seguido de Angola.

Dados oficiais publicados no portal do Fórum Macau e com base nas estatísticas dos Serviços de Alfândega chineses, Lisboa vendeu a Pequim produtos no valor de 2.128 milhões de dólares (cerca de 1,7 mil milhões de euros), enquanto da China chegaram produtos no valor de 3.480 milhões de dólares. O Brasil é o principal parceiro da China no âmbito do bloco lusófono, tendo registado trocas comerciais de 87.534 milhões de dólares, seguido de Angola.


Em 2017 Os Museus Monumentos e Palácios Portugueses Receberam um Total de 5.060.780 Visitantes

Os museus, monumentos e palácios portugueses, tutelados pela Direção-Geral do Património Cultural, receberam um total de 5.060.780 visitantes, em 2017, num crescimento de 08% em relação ao ano anterior.

De acordo com as estatísticas oficiais hoje divulgadas, verificou-se um crescimento de 60 por cento de visitantes, quando considerados os números dos últimos seis anos, de 2012 a 2017, inclusive.