Instituição Portuguesa em Loures Acolhe Crianças dos FALOP com Problemas Cardíacos

A Casa Damião, em Loures, Portugal, foi criada com apoio de uma congregação religiosa, e recebe crianças da África lusófona com problemas cardíacas.

O número 33, no Catujal, concelho de Loures, foi o espaço escolhido para acolher, tratar e acompanhar crianças dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) com problemas cardíacos, cujos tratamentos nos seus países de origem são limitados.

Em declarações à agência Lusa, Igor Rodrigues, responsável pela Casa Damião, explicou que a instituição surgiu através de “um coletivo de religiosos – a Congregação dos Sagrados Corações – que fundaram a Casa Damião” para dar “mais dignidade, segurança e conforto no acompanhamento destas crianças”.

O responsável pela Casa Damião assistiu ao surgimento, em abril de 2013, da instituição que realiza um acolhimento temporário, pré e pós-hospitalar, para crianças e jovens, com especial atenção para as crianças da Guiné-Bissau.

“No âmbito dos protocolos de colaboração na saúde entre o Estado português e os países africanos de língua oficial portuguesa, Guiné-Bissau é o país que apresenta maiores debilidades e fragilidades na saúde, daí o nosso foco ser estas crianças da Guiné-Bissau”, salientou.

Durante a visita pela casa, que tem capacidade para receber até sete crianças, Igor Rodrigues referiu que esta instituição acompanha as crianças desde que chegam, até ao regresso do seu país de origem, assegurando alojamento, alimentação, vestuário e educação durante o período em que estão em Portugal.


A Produção Portuguesa de Energia Renovável Deu Para Abastecer 54% do Consumo Eléctrico Até Agosto

A produção portuguesa de energia renovável abasteceu 54% do consumo nos primeiros oito meses do ano e 38% em agosto, segundo os dados da REN – Redes Energéticas Nacionais de Portugal, hoje divulgados.
De acordo com os dados da REN, entre janeiro e agosto, a produção renovável abasteceu 54% do consumo, repartida pela hidroelétrica com 25%, eólica com 23%, biomassa com 5% e fotovoltaica com 1,6%.

Por sua vez, a produção não renovável abasteceu 46% do consumo, repartida pelo gás natural com 26% e pelo carvão com 19%.

Já o saldo de trocas com o estrangeiro “foi exportador”, equivalendo a 7,0% do consumo português.

Em agosto, a produção renovável abasteceu 38% do consumo mais saldo exportador, com a produção eólica a registar valores inferiores aos normais para o mês.

Segundo a REN, em agosto, as condições hidrológicas mantiveram-se “favoráveis”, com um índice de hidraulicidade de 2,18 (média histórica igual a 1), enquanto a produção eólica registou valores “inferiores aos normais” para o mês, com o índice de produtibilidade a situar-se em 0,89 (média histórica igual a 1).


De Janeiro a Junho Deste Ano o Turismo do Brasil, Estados Unidos e Canadá Continuam em Alta em Portugal

Contra a tendência de recuo do turismo estrangeiro em Portugal, as dormidas de brasileiros nos hotéis portugueses cresceram em junho. Estados Unidos e Canadá também estão em alta.

O turismo brasileiro em Portugal encerrou a primeira metade deste ano com um crescimento de quase 12% em comparação com o ano passado. De janeiro a junho houve 1,06 milhões de dormidas de turistas brasileiros nos hotéis portugueses, mais 11,7% do que em igual período de 2017, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE).

O Brasil foi o terceiro mercado emissor de turistas estrangeiros para Portugal que mais cresceu no primeiro semestre, atrás dos Estados Unidos (18,7%) e do Canadá (12% de crescimento nas dormidas nos hotéis portugueses), de acordo com o INE.

Considerando somente o mês de junho, os turistas brasileiros foram responsáveis por 207 mil dormidas na hotelaria lusa, mais 6,9% do que em junho do ano passado. Foi também o terceiro maior registo entre os turistas estrangeiros, apenas atrás do crescimento da procura dos Estados Unidos (15,9%) e do Canadá (14,9%).

Desde o início do ano a procura brasileira nos hotéis portugueses oscilou entre um mínimo de 133 mil dormidas em março e um máximo de quase 228 mil dormidas em maio, indicam os dados publicados pelo INE.


Governo Português Pressionado Pelo Embaixador dos EUA em Lisboa Por Ser Contra Investimento Chinês

O embaixador norte-americano em Lisboa, George Glass, disse hoje que os EUA estão “atentos” ao investimento chinês em Portugal, criticando o modelo de empresas estatais que obedecem a ordens do poder político de Pequim. Glass sugeriu que eventual aquisição da elétrica portuguesa pela China Three Gorges (CTG) seria retaliada pelos EUA.

Em declarações à agência de notícias portuguesa Lusa sobre  o investimento chinês em Portugal, um dos pontos de acesso à Europa da denominada “Uma faixa, uma rota” (um projeto de infraestruturas chinesas por todo o mundo, com um investimento de cerca de um bilião de dólares), George Glass respondeu: “Não usaria a palavra preocupado, usaria a palavra atento”.

Em causa está o tipo de investimento chinês que “é muito diferente” do resto dos países, já que são “empresas estatais”, com ligação direta ao poder político de Pequim, afirmou Glass, salientando que esse modelo subordina os interesses económicos aos interesses do Estado.

“Isto não é parceria comercial, mas uma parceria política”, porque “não são empresas ou entidades privadas a fazerem transações, isto são empresas estatais”, explicou.


Um dos Mais Criativos Artistas Plásticos de Portugal, Júlio Pomar, Faleceu Ontem aos 92 Anos

Painel junto à Biblioteca Nacional, em Brasília-Foto Pinterest

O artista plástico Júlio Pomar morreu, terça-feira, aos 92 anos no Hospital da Luz, em Lisboa.  Pintor e escultor, nascido em Lisboa em 1926, Júlio Pomar é considerado um dos criadores de referência da arte moderna e contemporânea portuguesa. 

Júlio Pomar deixa uma obra multifacetada que percorre mais de sete décadas, influenciada pela literatura, a resistência política ao fascismo, o erotismo e algumas viagens, como à Amazónia brasileira. Paris, onde viveu por mais de vinte anos, foi outra das suas fontes inspiradoras.

Em Brasília, cidade que visitou, Pomar assina um painel de 120 metros quadrados de azulejos, junto à Biblioteca Nacional, espaço nobre da capital federal, oferecido à cidade por Portugal, em dezembro de 2009.

Obras do artista estão presentes em várias coleções particulares e em museus do Brasil. Em 1976, participou da Bienal de São Paulo. Trabalhos de Júlio Pomar fazem parte dos acervos dos  Museu de Arte de Brasília, Museu de Arte de S. Paulo Assis Chateaubriand, e Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (1986).