Em Angola a Pobreza Extrema Cresce e Mais de 8 Milhões de Angolanos Vivem Com Menos de 1,25 USD Diários

Trinta por cento da população angolana vive em situação de extrema pobreza, ou seja, com menos de 1,25 dólares por dia, problema que tem vindo a aumentar no país, indica o World Poverty Clock, ferramenta online que mede, em tempo real, o peso da pobreza nos diferentes países do mundo.

Neste momento mais de 8 milhões de angolanos vivem em extrema pobreza, número que corresponde a 30% da população (estimada em 27 milhões) e que, em 2030, vai aumentar para 12,7 milhões, referentes a 33,9% dos cidadãos.


Em Angola,Classe Média Empobrecida Pode Levar a Perturbações Sociais e Políticas.

empobrecimentoA investigadora Rebecca Engebretsen, da Universidade de Oxford, considera que se a classe média em Angola continuar a perder poder de compra isso pode desencadear perturbações sociais e políticas.

A investigadora Rebecca Engebretsen, da Universidade de Oxford, considera que se a classe média em Angola continuar a perder poder de compra isso pode desencadear perturbações sociais e políticas como aconteceu em vários países na Primavera Árabe. “Um decréscimo no poder de compra do grupo que detém o poder em Luanda pode desencadear perturbações sociais e políticas, como aconteceu noutros países durante a Primavera Árabe”, escreveu a investigadora Rebecca Engebretsen numa análise publicada na AllAfrica Global Media.


Redução da Pobreza em Angola, de 6,8 Milhões de Pessoas Sub-Alimentadas Passou a 3, 2 Milhões

Foto Angop – Carlos Amaral

carlos_amaralAngola está no bom caminho no concernente a redução da pobreza no país, afirmou hoje, sábado, em Roma, Itália, o representante permanente adjunto de Angola junto das Agências das Nações Unidas em Roma, Carlos Amaral.

“Nós tínhamos antes 6, 8 milhões de pessoas sub-alimentadas e actualmente em Angola temos 3, 2 milhões”, explicou Carlos Amaral quando questionado pela imprensa angolana em Roma, sobre a situação dos índices de pobreza e da fome no país.

Carlos do Amaral que representa Angola na qualidade de adjunto de Angola na Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), Programa Alimentar Mundial (PAM) e do Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola (FIDA) disse que “ainda existe um trabalho a fazer neste capítulo (redução da pobreza) mas de qualquer maneira há indicação de que estamos num bom caminho”.


40 Anos Depois da Independência de Moçambique, a Pobreza é o Único Inimigo do Momento

fome-002A pobreza é o “único inimigo do momento” para Moçambique, volvidos 40 anos após a proclamação da Independência nacional do jugo colonial português, declarou quinta-feira o chefe de Estado moçambicano, Filipe Nyusi.

Falando na capital, Maputo, por ocasião da comemoração do 40º aniversário da Independência nacional, Nyusi explicou que, para o sucesso da luta contra a pobreza, “é necessário que todos os moçambicanos assumam como prioridade a unidade nacional”.


Reafirmado em Nova York pelo Governo Angolano o Compromisso de Combate à Pobreza

combate_pobrezaO governo angolano reafirmou na terça-feira (23), em Nova York, o compromisso de combate à pobreza e do desenvolvimento sustentável do país. O representante do Chefe de Estado angolano, Manuel Vicente, discursava na “Cimeira Mundial do Clima”, convocada pelo secretário-geral das Nações Unidas, Ban ki-moon, em véspera do início do debate geral da 69 sessão da Assembleia Geral da ONU.

Leia Mais