Quinta Feira em Nova Iorque a Bióloga e Pesquisadora Angolana Recebe Prémio da ONU

A bióloga e pesquisadora angolana Adjany Costa é galardoada quinta-feira, em Nova Iorque, com o prémio Jovens Campeões da Terra, atribuído pelas Nações Unidas a jovens ambientalistas.

Adjany Costa, 29 anos, se distinguiu pelos esforços de conservação de água e biodiversidade. Vai receber o prémio na gala dos Compões da Terra, em Nova Iorque, à margem do Debate Geral da ONU.

A jovem bióloga será contemplada com duas bolsas de estudo no valor de 15 mil dólares norte-americanos, para dar sequência ao seu trabalho de campo e outra no valor de nove mil dólares, para a cobertura de média e marketing no trabalho.

Em entrevista exclusiva à Angop, Adjany Costa disse estar honrada pelo facto da Organização das Nações Unidas ter reconhecido os seus esforços em prol da conservação da natureza.

Disse que o prémio é importante para a continuidade do seu projecto e para destacar os esforços de conservação da vida selvagem em Angola.


Angola Elogiada Pela ONU Pelas “Reformas Ambiciosas” Para Diversificar a Economia

A secretária-executiva da Comissão Económica das Nações Unidas para a África (UNECA, em inglês), Vera Songwe, elogiou as “reformas ambiciosas” do Presidente angolano, para diversificar uma “economia monolítica”, suportada pelo sector do petróleo.

Em entrevista à Lusa, à margem dos encontros anuais do banco pan-africano Afreximbank, que decorreram em Moscovo, Vera Songwe, que esteve recentemente em Angola, elogiou as “reformas muito ambiciosas e corajosas” do Governo, esperando que os seus resultados “permitam um crescimento económico muito em breve”.

A lei do investimento, que liberaliza o acesso ao mercado, e a facilitação de vistos são dois exemplos de medidas que poderão contrariar a atual dependência do sector petrolífero.“A economia de Angola é monolítica” e são necessárias “reformas difíceis” para “diversificar a economia”, afirmou Vera Songwe .

A responsável considerou que “muitas das reformas serão complexas” porque envolvem o combate à inflação, reforço dos sistemas de monitorização e da justiça, o que irá encontrar resistências no tecido económico e político angolano.

“A minha sensação é que quando se está a fazer este tipo de reformas o difícil é manter o curso”, disse a dirigente das Nações Unidas.


Na Primeira Quinzena de Agosto o Secretário Geral da ONU, António Guterres, Visitará Angola

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas, o português António Guterres, pode visitar Angola na primeira quinzena de Agosto próximo, realidade que só dependerá das autoridades angolanas

A informação foi transmitida Sexta-feira última pelo administrador- geral do Programa de Desenvolvimento para as Nações Unidas (PNUD), Achim Steiner, à ministra do Ambiente de Angola, Paula Francisco, durante um encontro sucedido à margem da 6.ª Assembleia do Conselho do Fundo Global do Ambiente (GEF, na sigla em inglês), realizada de 23 a 29 de Junho, em Da Nang (Vietname).

segundo a fonte das Nações Unidas que avançou a informação a OPAÍS, no encontro entre a governante angolana e o oficial do PNUD foram abordadas questões relacionadas com o financiamento a Angola, no âmbito do ciclo 7, tendo em conta a carteira de projectos e programa do Ministério do Ambiente (MINAMB), no quadro do Plano Nacional de Desenvolvimento (PND) do país para o período 2017-2022.

Ambas as personalidades passaram em revista os projectos dos vários ciclos de financiamento a Angola, em particular o trabalho feito pelas várias agências da ONU sedeadas no país. Na ocasião, o oficial do PNUD informou a ministra angolana que no âmbito da reestruturação por que passa a agência, Angola é um país prioritário para a ONU, que se disponibiliza a prestar todo o apoio necessário ao país em questões ambientais. Ambos trataram, igualmente, dos apoios já dados pelas agências das Nações Unidas, os quais foram direccionados para as áreas de conservação, capacitação e projectos integrados que agora surgem no âmbito ciclo 7.


A República de Angola Foi Hoje Eleita Para o Conselho de Direitos Humanos da ONU

A República de Angola foi hoje (segunda-feira) eleita, pela Assembleia- Geral das Nações Unidas, em Nova Iorque, membro do Conselho de Direitos Humanos da ONU, para o período 2018-2020.

Angola figurava entre os quatro candidatos, por África, ao Conselho, ao lado da República Democrática do Congo, Nigéria e Senegal. O mandato é de três anos, com efeito a partir de Janeiro de 2018.


Ministra Nigeriana Escolhida por Guterres Para Adjunta

Amina Mohammed, ministra do Ambiente da Nigéria, deve ser secretária-geral adjunta das Nações Unidas, informou o jornal nigeriano Premium Times. Ela terá sido uma escolha pessoal do português António Guterres, empossado segunda-feira, 15, no cargo de secretário geral. O facto ainda não foi oficialmente confirmado