Sítio Histórico em Mbanza Congo Ameaçado de Destruição

Foto: Kinda kyungu

Uma ravina de grande dimensão ameaça destruir a Fonte Santa, um dos sítios históricos da cidade de Mbanza Congo, província do Zaire, que também contribuiu na inscrição desta localidade na lista do património mundial da Unesco, em 8 de Julho de 2017.

A preocupação foi manifestada nesta segunda-feira à imprensa, pela administradora municipal de Mbanza Kongo, Nzuzi Makiese, no final de uma visita de constatação que o governador provincial, Pedro Makita Armando Júlia, efectuou ao local.

Segundo a gestora, foram identificadas no município sede 38 ravinas, das quais duas de grande dimensão que ameaçam engolir não só a fonte santa, localizada no bairro Sagrada Esperança, como também residências de cerca de 200 famílias que vivem no bairro 4 de Fevereiro, periferia da cidade de Mbanza Congo.

Na ocasião, Nzuzi Makiese, solicitou a intervenção do Ministério da Construção e Obras Públicas para se evitar o alastramento das duas ravinas.


Novo Aeroporto Para Mbanza Congo

O novo aeroporto, cujos trabalhos já tiveram inicio, no âmbito do Programa de Investimentos Públicos (PIP), está ser erguido na comuna de Kiende, a 33 quilómetros de Mbanza Kongo.

A informação foi avançada esta quinta-feira, em Luanda, pelo governador Pedro Makita, no final da II Reunião da Comissão Nacional Multissectorial para a Salvaguarda do Património Cultural Mundial, orientada pelo vice-presidente da República, Bornito de Sousa.

As autoridades da província do Zaire estão a mobilizar igualmente empresários nacionais e internacionais para investirem no sector hoteleiro na região. As estradas Luanda-Mbanza Kongo e Nzeto-Soyo beneficiaram também de um novo tapete asfáltico.

Reabilitação de monumentos históricos

O Ministério da Cultura identificou uma lista de monumentos históricos do país, cuja reabilitação já foi aprovada, no âmbito do Programa de Investimentos Públicos (PIP).


Mbanza Congo Ganha Classificação de Património Mundial da Unesco

Foto Busca Google

A cidade de Mbanza Congo, no norte de Angola, descerrou a placa que passa a identificar o centro histórico, antiga capital do Reino do Congo, como património mundial da Unesco.

A cerimónia, presidida pela ministra da Cultura de Angola, Carolina Cerqueira, incluiu a entrega oficial do diploma da classificação e aconteceu precisamente ao passar o primeiro aniversário daquela declaração, aprovada em 08 de julho de 2017, na 41.ª sessão da Comissão de Património Mundial da Organização da ONU para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco), em Cracóvia, Polónia.

No evento de hoje estiveram presentes vários membros do Governo angolano e do governo provincial do Congo Central, na República Democrática do Congo, área do antigo Reino do Congo.

O projeto “Mbanza Congo, cidade a desenterrar para preservar”, que tinha como principal propósito a inscrição desta capital do antigo Reino do Congo, fundado no século XIII, na lista do património da UNESCO, foi oficialmente lançado em 2007.

O centro histórico de Mbanza Congo, na província do Zaire, está classificado como património cultural nacional desde 10 de junho de 2013, um pressuposto indispensável para a sua inscrição na lista de património mundial.


Situação das Ravinas e Chuvas Torrenciais Ameaçam Mbanza Congo-Património da Humanidade

O município de Mbanza Congo, na província do Zaire, corre o risco de ficar isolado dos restantes devido à situação das ravinas, ameaçadas pelas chuvas torrenciais que têm caído na região nos últimos dias, informa a Lusa.

Segundo a mesma fonte, a informação foi avançada hoje pelos Serviço de Proteção Civil e Bombeiros daquela província e as autoridades tradicionais referem que desde o início do período de chuvas, em setembro, quatro pessoas morreram e 338 famílias – o correspondente a 2.028 pessoas -, ficaram desalojadas, consequência igualmente da progressão das ravinas


O Centro Histórico da Cidade de Mbanza Congo é Património Mundial da Humanidade

Foto O PAÍS

A Comissão de Património Mundial da UNESCO declarou Sábado, 8 de Julho, por unanimidade, o centro histórico da cidade de Mbanza Congo como património mundial