Terra Rica de Muita Gente Pobre-Lunda Norte

Os residentes dos mais variados bairros do sector diamantífero do Kafunfo, na Lunda-Norte clamam por melhorias das condições de vida.Para os moradores em Kafunfo falta um pouco de tudo desde emprego, alimentação, água em condições para consumo, estradas para se deslocar de um lugar ao outro.

A única coisa que não falta, dizem eles, são diamantes mas este recurso não beneficia os naturais da localidade.

A senhora Luisa Matwika diz ter nascido em Kafunfo, os seus pais também vivem uma situação de carência de quase tudo, tal como e os demais
vizinhos do bairro. “Não têm comida, água, não há luz, as crianças sofrem quando ficam doentes”, disse acrescentando que no hospital se passam receitas mas não há dinheiro para comprar os medicamentos.

“A água que se consome é do rio”, acrescentou. O senhor Alberto e companheiros do bairro lamentam o estado das estradas que dificulta a circulação de pessoas e bens.


Lunda-Norte, a Transformação Numa Nova Província

A Lunda-Norte está a transformar-se numa nova província. Os investimentos até agora feitos levaram os ventos da modernidade a tocar em vários sectores e a imprimir uma nova dinâmica de vida para as populações locais.
No Dundo a nova centralidade, as instalações do Ensino Superior, os projectos agro-pecuários e agora as obras em curso do novo aeroporto estão a remeter para plano secundário a ideia de uma província cuja vida económica tinha sido talhada para andar à volta fundamentalmente da exploração de diamantes. Os novos ares e oportunidades de realização pessoal são uma realidade festejada por todos os que sempre sonharam com a possibilidade de valorização do potencial humano da província sem terem necessariamente de a abandonar em busca de conhecimentos.
Quem hoje chega ao Dundo e tenha estado por mais de cinco anos ausente há-de constatar que, no cômputo geral, as transformações positivas são indesmentíveis. A reabilitação das estradas vai completar o cenário de mudanças em curso e abrir espaço para um rápido crescimento da actividade económica, com o comércio a projectar-se como um sector responsável por grande parte da vitalidade que já é possível vislumbrar em muitos municípios. A transformação do meio rural em espaço aberto à modernidade
dá lugar a uma nova vivência em que é cada vez mais reconhecida a necessidade da existência de empresas como factores que asseguram a estabilidade social por via do fomento do emprego e do progresso económico.
Ao ritmo que os projectos nascem e se realizam, a Lunda-Norte vai seguramente, dentro de cinco-dez anos, transformar-se numa das províncias do país com mais crescimento em todos os sectores. E como no acreditar reside a força das grandes conquistas, as populações estão repletas de alegria e empenhadas em mudar o curso da história, porque sabem e podem agora verificar que a Lunda-Norte está a projectar o seu desenvolvimento para além do diamante. Apostar noutros sectores económicos é um imperativo decorrente da própria mudança de mentalidade que também está a florescer com a força e inteligência de quem tem fé que a Lunda-Norte pode ser também uma província grande produtora agrícola, com investimentos de vulto na pecuária industrial, capaz de formar técnicos superiores e, em conjunto com as demais, contribuir para o engrandecimento de Angola.

Leia Mais


Lunda-Norte Avalia Propostas de Adjudicação de Obras de Impacto Social

O governo da província da Lunda-Norte deu início, na terça-feira, à avaliação das propostas de candidatura de empresas de construção civil, para a adjudicação de obras de impacto social, inseridas no Programa de Investimentos Públicos (PIP) de 2012.
O vice-governador para o sector Técnico e Infra-estruturas, Lino dos Santos, disse ao Jornal de Angola que, para o exercício económico deste ano, está prevista, a nível de toda a província, a execução de um total de 30 projectos, entre os quais a construção de postos e centros médicos, escolas e uma série de novos empreendimentos administrativos e residências para quadros.
Até ao momento, 48 empresas adquiriram os cadernos de encargos para o concurso às empreitadas, que vão reforçar as acções do governo tendentes à melhoria da qualidade de vida das populações locais.
Lino dos Santos disse que, face aos incumprimentos registados em 2011, por parte dos empreiteiros, em relação à execução dos projectos que lhes foram adjudicados, a comissão de avaliação das propostas às empreitadas deve trabalhar de forma cautelosa e seleccionar empresas que garantam credibilidade.
A divulgação dos vencedores do concurso é feita dentro de 30 dias, de acordo com o estipulado na Lei de Contratação Pública e o vice-governador referiu a necessidade de as empresas concorrentes envidarem esforços para, com antecedência, conhecerem a realidade da província, devido às dificuldades relacionadas com as vias de acesso.
Arquitecto de profissão, o vice-governador apontou a degradação das estradas locais como sendo a principal responsável pela desistência de muitas empresas antes da conclusão das obras. Anunciou ainda, para breve, o início de concurso público para as empresas de fiscalização que vão acompanhar o desenrolar e a evolução dos diferentes projectos a nível do sector da construção civil. Leia Mais


Rede Sanitária, Centros de Saúde e Postos Médicos Para a Lunda-Norte

O governador da Lunda-Norte anunciou, no Dundo, a expansão e ampliação, no próximo ano, da rede sanitária, com a construção de centros de saúde e postos médicos nas sedes municipais e comunais.
Ernesto Muangala, que fez o anúncio na cerimónia de cumprimentos de fim de ano, disse que as autoridades locais estão a envidar esforços para as obras do novo hospital provincial da Lunda-Norte, paralisadas há mais de dois anos por falta de verbas, serem concluídas. Também começou a construção do hospital da nova centralidade do Dundo, cujo projecto está concebido para 90 camas.
O governador afirmou ser de extrema importância o surgimento dos novos empreendimentos, tendo em conta o número de camas e a diversidade dos serviços que podem proporcionar.
O governador, médico de profissão, referiu que as novas estruturas sanitárias vão dispor de serviços de urologia, oftalmologia e hemodiálise. A intenção do governo provincial, afirmou, é dotar a província de serviços de saúde que reduzam “a elevada dependência e procura dos hospitais de outras regiões, particularmente de Luanda”.
Ernesto Muangala estabeleceu como meta para 2012 a aquisição de mais clínicas móveis e ambulâncias para facilitar a assistência médica e medicamentosa às populações das zonas afastadas das sedes e municipais e comunais.

Ler Mais