Mais Iluminação Pública Requalificar Jardins e Espaços Verdes em Luanda

O governador provincial de Luanda, Adriano Mendes de Carvalho, lançou hoje um programa de requalificação dos jardins e reforço da iluminação pública, visando promover a arborização dos espaços urbanos e a segurança da população.

Enquadrado no programa “Luanda Verde 2022”, o projeto tem como lema “Dê Cor à sua Vida, Dê Cor à sua Comunidade” e prevê abarcar toda a província, que abrange, além da capital, os municípios do Belas, Cacuaco, Cazenga, Ícolo e Bengo, Quiçama e Viana.

O governador anunciou também o lançamento do projeto de iluminação pública em todo o território da província, começando pela zona central dos municípios de Luanda e Belas.

Mendes de Carvalho referiu que, com o programa, esperam-se melhorias na saúde dos cidadãos, uma vez que os espaços verdes se revelam cada vez mais importantes na melhoria da qualidade de vida, promovendo estilos de vida saudáveis.

“Há, pois, uma relação inequívoca entre a qualidade de vida, bem-estar das populações e a qualidade ambiental, sendo os espaços verdes considerados fundamentais à saúde das pessoas”, disse, lembrando também os ganhos com a segurança pública.


Revitalização do Património Histórico de Luanda Defendido por Académicas

A arquitecta Suzana Matos e a professora Cristina Pinto defendem a necessidade de revitalizar o Património Histórico de Luanda, através da sensibilização e envolvimento da sociedade e dos governantes.

As académicas falavam ontem durante uma conferência de imprensa para apresentação de uma série de eventos, que decorrerão nos próximos três dias (Sexta-feira, Sábado e Domingo), e visam celebrar os dez anos de existência da Campanha Reviver e o Dia Internacional da Abolição da Escravatura, que amanhã, 23, se comemora e cujo palco principal será a “Rua dos Mercadores”, no centro histórico de Luanda. Ao tomar a palavra, a arquitecta Suzana Matos, do Centro de Estudos de Investigação da Universidade Lusíadas de Angola, considerou que no âmbito da Campanha Reviver, a mesma está engajada em questões que se prendem com o Património e sua consequente Revitalização. Desse modo, considera imperioso respeitar a memória, cuidar do que se recebeu com a devida atenção e não deixar ao abandono. Daí deparamo-nos com a dimensão do Património ‘sobrevivente’ da cidade capital, alguns deles em avançado estado de degradação.

A arquiteta reconhece que esse mau estado resulta dos limitados recursos disponíveis, pelo que é difícil fazer opções sobre o património que justifica o esforço de preservação e aquele que não é possível atender. Entretanto, entende que a Revitalização Patrimonial é algo em que vale a pena intervir num determinado momento ou em conjunto, se o usufruto desse monumento estiver assegurado. “Quando falamos em usufruto, trata-se de um espaço em que vivemos ou no espaço que é habitado. Assim as pessoas e o património são indissociáveis”, rematou. Na sequência, Suzana Matos afirmou que o Património deve ser reconhecidamente amado pelas pessoas e utilizado pelas mesmas. O que é revitalização patrimonial?

Questiona, a arquitecta e ao mesmo tempo que dá resposta à sua inquietação, ao dizer que a Revitalização Patrimonial é voltar dar vida ao Património “Entendo que se pode dar vida pelo uso original ou eventualmente um novo uso que seja compatível ao original. E que se respeite o Património. Na nossa cidade já temos muitos bons exemplos de Património com nova vida”, apontou. Nesse sentido, Suzana Matos apresentou alguns bons exemplos de revitalização, como são os casos do edifício em que actualmente funciona o Centro Cultural Brasil-Angola (CCBA), antigamente (Grande Hotel), o Palácio de Ferro, um testemunho de uma nova vida que o edifício ganhou depois de uma intervenção. “Estamos a falar em construções que foram sujeitas a restauro e que trouxeram uma nova dinâmica ao edifício e de que a comunidade pode se beneficiar”, acrescentou.


Viaduto Para a Estrada da Samba na Zona da Corimba

A estrada da Samba vai este ano ganhar um viaduto na zona da Corimba, permitindo a ligação Samba/centro da cidade/avenida 21 de Janeiro/ Nova Marginal Sudoeste sem intercessão de vias.

A empreitada, que foi hoje (segunda-feira) relançada pelo ministro da Construção e Obras Públicas, Manuel Tavares de Almeida, faz parte da segunda fase da Marginal Sudoeste, em construção desde 2017.

O ministro considerou que a empreitada visa melhorar o escoamento do tráfego do centro da cidade para zona sul de Luanda, uma vez que as vias adjacentes como a estrada da Samba e 21 de Janeiro estão saturadas.

“A obra está programada de formas a não criar constrangimentos ao tráfego, pois haverá vias alternativas para facilitar o escoamento do trânsito, bem como está acautelado o realojamento das famílias que serão afectadas por estarem na área do projecto”, referiu.


Vai Ser Desmontada em Luanda Grua Montada nos Anos 70

O vento que ocorreu no período das 12 horas e 30 minutos de quarta-feira na cidade de Luanda atingiu uma intensidade superior a 30 quilómetros por hora, causando a queda de uma árvore por cima de três viaturas e a movimentação de uma grua.

A árvore caiu na rua Marien Ngouabi, ex-António Barroso, enquanto a grua encontra-se situada no Prenda desde os anos 70, altura da construção dos últimos prédios dos lotes, no distrito da Maianga, município de Luanda.

Em outras zonas da cidade, para além da forte poeira, coberturas de zinco e de lusalite foram arrancadas.

A grua do Prenda, com cerca de cem metros de comprimento, tem um peso acima de duas toneladas e nos arredores foram construídas mais de 40 casas, entre definitivas e casebres.


Inaugurada Hoje em Luanda Biblioteca Pública com 17.000 Títulos

Ministro das Finanças Angolano

Uma biblioteca e mediateca, com 17 mil títulos sobre economia e finanças, foi inaugurada esta quinta-feira, em Luanda, no município de Cacuaco, em Luanda, pelo ministro das Finanças Archer Mangueira, no âmbito da capacitação dos quadros da administração pública e a comunidade estudantil angolana.

Instalada no edifício do Instituto de Formação de Finanças Públicas (Inforfip), a biblioteca dispõem de livros físicos e em formato digital, para apoiar a pesquisa técnico-científica nas especialidades de finanças, economia, gestão, direito, informática, ente outros.

No mesmo recinto, estão também disponíveis 32 computadores que suportam livros digitais com vários títulos de autores nacionais e estrangeiros.

O acervo bibliográfico contou com o suporte do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), no quadro do seu projecto de Apoio à Gestão Económica e Financeira, que entre outros objectivos, visa a capacitação dos recursos humanos angolanos.