Grande Espectáculo ao Ar Livre no Lobito Para Saudar o Centenário e Março Mulher

Nois-cantando-MeteoroOs músicos Bangão, Dom Caetano, Pedro Cabenha e Irmãos Almeida são as atracções principais de um grande espectáculo que se realiza sábado, a partir das 19h00, ao ar livre no Lobito, para saudar o seu centenário da cidade e saudar o Março Mulher.
Organizado e produzido pelo Movimento Nacional Espontâneo, com o apoio do Governo Provincial de Benguela e da Administração municipal do Lobito, o espectáculo, que tem o suporte instrumental da Banda Yetu, vai contar, ainda, com as participações de Ângelo Boss, W King e Noite Dia.
Bangão, Dom Caetano e Pedro Cabenha são três vozes bem conhecidas do semba, enquanto Manos Almeida, há algum tempo ausente dos palcos, “viajam” mais pelos sons de kizomba e sungura, este último particularmente apreciado na província de Benguela.
Bernardo Jorge “Bangão”, que continua a gerir o sucesso dos seus dois CD, “Sembele” e “Cuidado”, promete fazer uma incursão à sua carreira, iniciada no conjunto Tradição, e interpretar temas que são grandes sucessos, como “Kaquixaca”, “Dioguito”, “Kibuikila”, “Kangila” e “Mabikubiku”.
Caetano Domingos António, ou simplesmente Dom Caetano, antigo vocalista dos Jovens do Prenda, é dono de um vasto repertório. Tem dois discos gravados, “Adão e Eva” e “Mateus 7.7”, este último com os temas “Xico Dia Cabu”, “Homenagem ao Marubia”, “Dimi Die”, Dimi Dia Kouami”, “Suicídio”, “Kuimbila Kuami”, “Musunda”, “Malvada Intempérie”, “Kusokana Tia” e “Tu Bíen Querer”. Dom Caetano subiu pela primeira vez ao palco em 1973, no Centro Cultural os Anjos, no Sambizanga, e foi acompanhado pelo Conjunto Astros.
Pedro Cabenha, natural de Nbanzo Quitele, no Bengo, começou a cantar na década de 1970, mas foi em 1984, como vocalista principal do conjunto Proletários que se tornou conhecido. Gravou os discos “Ndaiué” e “Nzoji Yami”. “Ndaiué”, lançado em 2010, com dez temas de semba, rumba, kizomba e bolero, tem a participação de Betinho e Humberto Manuel (teclados e programação), Baptista Cambigano (guitarra ritmo e solo), Habana Maior (percussão), São Paulo e Vavá (guitarra baixo), e Elizeth Manuel e Lukenia (coros). “Nzoji Yami”, posto à venda no mesmo ano, com todos os temas em quimbundo, foi gravado nos Estúdios EP, de Eduardo Paím.
Os Irmãos Almeida vão interpretar vários temas do seu repertório, que constam dos discos “Kimbanda”, “O pico”, “Almeisi”, “Ao vivo no Brasil”, “Invisível” e “The Best mais 5”, todos esgotados.

Jornal de Angola


Importância Económica do Corredor do Lobito para Angola, Zâmbia e República Democrática do Congo

1restinga

Hotel Restinga no Lobito

O Corredor do Lobito, cuja ligação ferroviária serve do ponto de vista físico Angola, Zâmbia e República Democrática do Congo (RDC), constitui uma importante via de promoção e desenvolvimento da integração da economia regional, devido ao conjunto e grandeza de infra-estruturas de transportes que dele fazem parte.

Segundo o director geral do corredor do Lobito, José Luindola, durante a sessão oficial de abertura da 2ª reunião de peritos regionais sobre o Corredor do Lobito, que decorre nesta cidade portuária do Lobito, com a participação de Angola, Zâmbia e República do Congo Democrático (RDC), este encontro constitui uma das diversas oportunidades de partilhar ideias técnicas sobre as infra-estruturas disponíveis, visando o melhor aproveitamento para o desenvolvimento económico dos respectivos países.

Por outro lado, o administrador do Lobito, Amaro Segunda Ricardo, disse que esta reunião vem proporcionar “um aceleramento de ideias sobre o desenvolvimento regional que poderá ter reflexos no tecido social tanto de Angola como da Zâmbia e da RDC, bem como de outros países vizinhos destes últimos dois países encravados (sem saída pelo mar).

Entre as infra-estruturas de transportes que constituem o Corredor do Lobito, Amaro Segunda Ricardo lembrou as obras sobre a modernização do Cominho-de-Ferro de Benguela (CFB), do Porto do Lobito, a construção do Aeroporto Internacional da Catumbela, o Porto Mineiro do Lobito, o Porto Seco, entre outras infra-estruturas de apoio.

Disse que isso tudo está a ser reforçado e complementado com o processo de requalificação da própria urbe, tornando-a moderna.

“Estamos atentos, pois sabemos que Lobito é o ponto de partida desse corredor de desenvolvimento. Esta cidade é a porta de saída para o resto do mundo, dai a atenção especial das autoridades locais”, disse o responsável máximo do Lobito, dirigindo-se aos peritos presentes.

Peritos e outros quadros seniores de diversas áreas económicas e sociais, nomeadamente da Agricultura, Turismo, Pescas, Indústria, Petróleos, Educação, Saúde, entre outras, participam da reunião que teve início na manhã de hoje, quarta-feira, com vista à produção da documentação que será adoptada pela sessão ministerial na quinta-feira.

Augusto da Silva Tomás, o ministro anfitrião dos Transportes deverá presidir à reunião de ministros a ter lugar no salão nobre da administração local, seguida de visitas de constatação de algumas estruturas de apoio ao Corredor do Lobito.

Angop


O Lobito é Uma Cidade Aquática e Extremamente Turística

 

lobito_bna_

Banco Nacional de Angola á esquerda e Sede de Companhia de Seguros Angolana

O Lobito tem a primeira versão do plano director de desenvolvimento do município, que começa esse mês a ser discutido, analisado e aprovado pelo Governo Provincial de Benguela. O administrador municipal, Amaro Segunda Ricardo, disse ao Jornal de Angola que “este ano foi eleito como o da solidariedade, fraternidade e orgulho dos lobitangas.
O administrador referiu que o plano director é o principal instrumento de gestão e planeamento do território, crucial para a vida do município, que possui uma componente específica para resolver os problemas da periferia.
Amaro Ricardo disse que o relançamento do Porto do Lobito e do Caminho-de-Ferro de Benguela é uma realidade que este ano atinge o auge, com a chegada do comboio ao Luau e a ligação ferroviária com os países da África Austral. As vias fundamentais da cidade vão gerar sinergias e responsabilidades ao município.
O administrador referiu que, dentro em breve, vão começar as obras das infra-estruturas de apoio da Refinaria do Lobito, cuja primeira fase foi inaugurada pelo Vice-Presidente da República, Manuel Vicente.
“A primeira fase contempla, ainda, a construção de uma nova estrada na Hanha do Norte com 13 quilómetros de extensão. É uma via dedicada à refinaria e cujo piso aguenta cargas até duas mil toneladas. Começa na baía do Lobito e vai até às instalações da refinaria e ao terminal marítimo”, informou o administrador do Lobito.
Amaro Ricardo garantiu que “a construção da refinaria do Lobito e dos três mil fogos habitacionais na zona alta da cidade obrigou a responder com urgência às acessibilidades, por isso está a ser construída a estrada com 13 quilómetros. Também temos garantias de que este ano e o próximo algumas vias estruturantes do município são reabilitadas”.

Reabilitação das estradas

Amaro Ricardo anunciou que vai ser ampliado o acesso que sai do posto de revenda de combustível do Adérito até à rotunda do Camionista. Avança igualmente a reabilitação da estrada da Hanha, na zona do Cajueiro, até ao Lobito Velho, passando pela Canata até aos Bombeiros.
A via rápida do Lobito entre o Bar Africano, Kalumba, Bairro da Luz e Catumbela, consta também do pacote de reabilitação das vias rodoviárias.
No próximo ano, acrescentou, fica concluído o Programa Integrado de Infra-estruturas de Benguela (PIIB), empreitada que está a ser executada no Bairro da Luz e nas valas de drenagem do Lobito, que vai dar condições de habitabilidade aos moradores daquela zona. Há ainda a intervenção em alguns equipamentos sociais por reabilitar e ampliar, como a escola comandante Valódia e o Jardim-Escola, que constam no Programa de Investimentos Públicos para 2013. Este ano e no próximo vão nascer novos empreendimentos de grande alcance social.

Leia Mais


Lobito Acordou Ontem Com as Ruas Sob “Segurança” da Polícia de Intervenção Rápida

A zona alta da cidade do Lobito acordou nesta segunda-feira, 10, aos berros de um megafone que exigia os condutores a retirarem seus carros da via pública. A cidade acordou com as ruas todas sob “segurança”, da Polícia de Intervenção Rápida, a Polícia Canina, a ordem pública e a polícia de trânsito fortemente armados com matérias bélicos pesado.

Foi deste jeito que a cidade despertou tudo isso, devido ao lançamento da primeira pedra no espaço onde albergará a futura refinaria de petróleo a ser construído no município do Lobito, no morro da Kileva.
As paragens de táxis e os mercados informais mais populosos e que ficam a beira do caminho onde Manuel Vicente passaria nomeadamente no Chapanguel, Contente e no Catuma, foram proibidos as vendas e carregamento de viaturas. Muitos dos vendedores destes espaços ficaram sem fazer completamente nada devido a forte ameaça que se impunha as pessoas que ousassem a se opor ou insistir.

Os vendedores da praça do Chapanguel indignaram-se pela atitude das autoridades locais, uma vez que lhes foi prometido pelo do governador da província, Armando da Cruz Neto, isso na altura das eleições de 2012, em fazer daquele local a nova praça municipal, o que até agora nada se concretizou, se não apenas a construção de um quarto de banho público de duas sanitas (o que ainda espera-se para inaugurar).

Em depoimento, algumas vendedoras destes locais questionavam: “O que vamos comer hoje?” Muitas delas têm de lucro naquilo que vendem o dia todo, apenas 500 kzs ou menos, e ainda vem uma ordem do género. Questionaram.
O caso também foi doloroso para os taxistas que foram proibidos de carregarem nas paragens habituais, obrigando muitos passageiros a subirem e descerem as corridas e com a viatura em movimento, perigando assim a vida de muitos.

Muitos professores, enfermeiros e outros, tiveram muitas dificuldades de chegarem aos seus locais de serviços, principalmente aqueles que trabalham no interior da província. Nos municípios como no Bocoio e o Balombo, muitos professores não foram cedo ao trabalho e outros desistiram de ir, porque as paragens destes (na paragem do Catuma) foram também proibidas. Facto esse que afectou muitos afazeres, uma vez que para os professores, está a se fazer as correcções das provas e as pautas finais de um ano lectivo de longa pausa pedagógica.
A normalidade destes locais e das ruas calmas do Lobito, se restabeleceu as 12h00, mas deixando sem possibilidade de venda muitas pessoas, uma vez que muitos deles tinham de montar as suas barracas.

Em grupos de intelectuais desta cidade do Lobito, começam já a prever (caso um dia Manuel Vicente se torne Presidente da República) que não teremos uma governação muito diferente do actual Presidente da República. Continuaremos sob ordem de “Armamentos bélicos” pesados para impor a ordem e o pão, constantemente retirado.

Club-k.net


Depois de Luanda é o Lobito a Ter Hipermercado Kero

O primeiro hipermercado da rede Kero, construído fora da cidade de Luanda, foi aberto na manhã de hoje, na cidade do Lobito, em cerimonia presidida pela ministra do Comércio, Rosa Pacavira.

Em breves declarações, a governante destacou o espírito empreendedor dos gestores nacionais, no geral, e particularmente os deste projecto, que diz contribuir para a diversificação da rede comercial, em prol da melhoria do nível de vida da população local.

Encorajou os gestores do Kero Lobito a trabalharem com a Confederação dos Camponeses Associados, de modo a priorizarem a produção agro-pecuária da região, que segundo o seu parecer “atingiu níveis consideráveis”.

Por seu lado, o director geral do Kero, João Santos, enalteceu o empenho dos seus colaboradores, que sem medir esforços permitiram que a infra-estrutura, de direito 100 porcento angolano, fosse concluída e inaugurada nesta data.

Disse que o surgimento do Kero no Lobito corresponde à dinâmica social, económica e empresarial que a região conhece nos últimos tempos, daí a razão de o Kero participar desse processo de desenvolvimento de Benguela.

Angop