Novas Regras Fiscais no Sector dos Petróleos Angolano Vai Atrair Mais Investimentos

A introdução de novas regras fiscais no sector dos Petróleos angolano, incluindo a redução de impostos para campos petrolíferos mais pequenos, deverá atrair mais investimentos para o país, algo essencial “para estabilizar a produção petrolífera a médio prazo”, antecipa a consultora britânica BMI Research, alertando, porém para os “intermitentes problemas de liquidez” da Sonangol, que limitam a aposta na exploração.

Angola está a promover “um ambiente fiscal mais favorável”, o que “coloca riscos positivos para os fluxos de investimento”, apontam os especialistas da BMI Research, numa análise enviada aos investidores e citada pela agência Lusa.

Segundo a avaliação, as novas regras fiscais angolanas deverão ajudar a desbloquear vários projectos em fase de pré-decisão final de investimento, evolução que “será fundamental para estabilizar a produção petrolífera a médio prazo”.

As boas pespectivas traçadas pelos analistas, potenciadas pela extensa infra-estrutura ao largo do país e um grande volume de recursos ainda por desenvolver, bem como pelo aumento dos preços do barril do petróleo, são apenas moderadas pela situação financeira da Sonangol.


A Baixa na Produção de Petróleo em Angola Deve-se à Falta de Investimentos no Sector

O declínio na produção de petróleo que se verifica actualmente em Angola decorre da falta de investimento nos segmentos de prospecção, pesquisa e exploração, disse o ministro dos Recursos Minerais e Petróleos, Diamantino Azevedo, quando em Porto Amboim se dirigia aos presentes no I Conselho Consultivo do Ministério da Indústria.

Diamantino Azevedo disse ser fundamental assegurar até ao final da presente legislatura que a produção de petróleo não baixe para menos de 1,5 milhões de barris por dia e recordou que o compromisso assumido com a Organização dos Países Exportadores de Petróleo contempla uma produção de 1,6 milhões de barris por dia.

Falando sobre a refinação, Diamantino Azevedo disse ter o governo definido já a estratégia para os próximos anos, que passa pela construção da refinaria do Lobito, com capacidade para processar 200 mil barris por dia, da de Cabinda, com 60 mil barris/dia e a modernização da de Luanda, que foi construída na década de 1950.


50 Mil Milhões de Dólares Para Financiamento de Projectos em Angola Por Fundo Asiático

Investidores angolanos e estrangeiros vão poder aceder a um fundo de 50 mil milhões de dólares (42,6 mil milhões de euros), da Centennial Energy Thailand, um grupo internacional de investimento e desenvolvimento de projectos comerciais e humanitários.

Para o efeito, foi assinado hoje, em Luanda, um memorando entre a Unidade Técnica para o Investimento Privado (UTIP) de Angola, organismo de apoio ao Presidente da República na preparação, condução e negociação de projectos de investimento privado, e a Centennial Energy Thailand.


Analista da Consultora Woodmackenzie Diz Que Angola Vai Perder 67 Mil Milhões de Dólares em Investimentos Entre 2015 e 2020

O analista da consultora Woodmackenzie que acompanha o petróleo em Angola disse à Lusa que o país vai perder 67 mil milhões de dólares em investimentos entre 2015 e 2020 face às previsões de 2014.

“Em 2014, antes da queda dos preços do petróleo, havia muito mais projectos de águas profundas à espera de aprovação em Angola, mas este ano a maioria dos novos desenvolvimentos foi cancelada, porque isso quando comparamos a nossa previsão atual para despesas de capital entre 2015 e 2020 com a previsão feita em 2014, constatamos que há menos 67 mil milhões de dólares em Angola”, explicou Adam Pollard à Lusa.


31,3 Mil Milhões de Dólares é Quanto Entidades Residentes em Angola Tinham “Lá Fora” no Final de 2016

Dados do BNA revelam que, no final de 2016, entidades residentes em Angola tinham “lá fora” 31,3 mil milhões USD, sendo 23,9 aplicados em empresas e 7,3 mil milhões injectados em títulos.

Os valores em causa são superiores às próprias Reservas Internacionais Líquidas do País no mesmo período.

Os angolanos investiram 2.747,8 milhões USD em empresas e títulos estrangeiros em 2016, elevando para 31.344,6 milhões USD os investimentos acumulados até esse ano, segundo cálculos do Expansão a partir do relatório da Balança de Pagamentos de Angola de 2016 do Banco Nacional de Angola (BNA).