Empresa Luanda Night Life Lança Projecto “Hotel Week” Que Visa Fomentar o Turismo Interno

A pretensão deste projecto, que decorrerá de 22 a 28 de Julho próximo nas províncias de Luanda, Benguela, Huambo, Huíla, Cuando Cubango e Malanje, é reduzir as tarifas em hotéis e agências de viagens, assim como aumentar as taxas de ocupação na unidades hoteleiras.

Segundo o presidente do Luanda Night Life, Cláudio Silva, que falava hoje à Angop, Hotel Week é um projecto de intermediação na relação entre os operadores de equipamentos turísticos (hotéis) e os potenciais clientes com direito a descontos de até 40% a quem aderir aos pacotes em promoção nas unidades hoteleiras e agências de viagens.

O projecto Hotel Week conta com a parceria de oito agências de viagens e 24 hotéis. O propósito é contribuir para o aumento das taxas de ocupação, aumentar o fluxo do turismo interno e a promoção de Angola enquanto destino turístico junto dos países da região, de modo a contribuir para o processo de diversificação da economia nacional.

Com o projecto, que se baseia na promoção de descontos tarifários de até 40% nos melhores hotéis do país, descontos em 20% dos bilhetes de passagem pelas companhias aéreas TAAG e Sonair, bem como a criação de pacotes turísticos a preços mais acessíveis nas agências de viagens mais conceituadas do país, pretende-se ter uma participação activa na promoção do turismo interno.


Cerca de 60% dos Hoteis em Angola Estão em Luanda

Cerca de 60% dos empreendimentos e equipamentos hoteleiros existentes em Angola estão em Luanda, ficando apenas 40% para as restantes 17 províncias, reconheceu a ministra da Hotelaria e Turismo, Ângela Bragança.

Ao intervir no painel “Turismo e a inclusão social em África” no decurso da reunião do Fórum Mundial do Turismo, a ministra do Turismo referiu que o sector dispõe de 28 462 quartos, dos quais 14 088 são quartos de hotel e 14 374 são de outros tipos de alojamento.

A ministra disse ainda que existem em Angola 235 hotéis, 1771 empreendimentos hoteleiros, 5829 restaurantes e similares, bem como 317 agências de viagens.

Apontou como principais dificuldades do turismo em Angola, a carência e a fragilidade de infraestruturas e acessibilidades, o défice de produção interna e dependência das importações e a escassez de equipamentos hoteleiros, oferta complementar, formação e qualificação da força de trabalho, incluindo de gestores.


Elevado Custo da Estadia Afugenta Clientes dos Hotéis em Luanda

A província de Luanda, fundada oficialmente a 25 de Janeiro de 1576, continua a liderar o “ranking” da rede hoteleira do país, com um total de 109 hotéis e 50 resorts, muitos dos quais duramente afectados pela crise económica iniciada em finais de 2014.

Principal ponto de entrada de turistas estrangeiros para o país, a antiga São Paulo de Assunção de Loanda registou, nos últimos dez anos, um incremento da rede hoteleira.

Dados oficiais do Ministério da Hotelaria e Turismo referem que, em 2009, existiam apenas 27 hotéis na capital angolana, ou seja, menos 82 em relação ao número actual. Além dos hotéis, a cidade conta com 63 pensões, 12 aldeamentos, 37 hospedarias, sete albergarias, uma pousada e igual número de estalagens, além de dois aparthotéis.

Desde a altura da realização do CAN/2010, a rede hoteleira e similares tem crescido em Luanda. Mas, nos últimos quatro anos, regista-se queda na taxa de ocupação.


Continuam a Cair os Níveis de Ocupação dos Hoteis em Angola

Os níveis de ocupação dos hotéis em Angola continuam a cair e a Associação dos Hotéis e Resorts de Angola (AHRA) garante que é fundamental reduzir os custos para diminuir o número de falências de unidades hoteleiras.


Começam a Ser Construídas Este Ano em Angola, Seis Escolas Regionais de Turismo

Seis escolas técnico- profissionais regionais de hotelaria e turismo começam a ser construídas ainda este ano, um investimento de 125 milhões de dólares norte-americanos do Governo