Patriota, Nacionalista e Activista Angolano, António Marques Monteiro (Antonico) Faleceu Há 50 Anos

António Marques Monteiro (DR)

Patriota, Nacionalista e activista Angolano, membro do processo dos 50, Antonico foi vítima de maus tratos durante a detenção, onde chegou a ser desterrado para o Tarrafal, Cabo Verde.


Direção da UNITA Afirma Que “Sem Cuba História de Angola Teria Sido Diferente”

fidel_A direção da UNITA afirma que os militares do partido «sempre admiraram» Fidel Castro, mas sublinha que sem o envolvimento de Cuba em Angola o curso da história nacional teria sido «muito diferente».

 A posição vem expressa numa nota de condolências pela morte do líder histórico cubano, assinada pelo secretariado executivo da comissão política da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA), à qual a Lusa teve hoje acesso.

 Cuba foi aliado do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), no poder desde 1975, desde o período da guerra colonial até à guerra civil que se seguiu à independência angolana do regime colonial português, inclusive com apoio militar no terreno.


O Nacionalista Angolano Lúcio Lara “Tchiweka” Faleceu Hoje em Luanda

lucio_laraO nacionalista angolano Lúcio Lara morreu hoje em Luanda, aos 86 anos, vítima de doença, noticiou a Televisão Pública de Angola (TPA).

Lúcio Rodrigo Barreto de Lara nasceu a 9 de Abril de 1929 no Huambo, foi membro influente do MPLA, partido maioritário em Angola. (ANGOP)


José Eduardo dos Santos nas Eleições de 1992 Obteve Mais Votos do Que Foi Oficialmente Anunciado

Herman Cohen.A ideia é que Jonas Savimbi fosse à segunda volta das eleições,revela o antigo secretário de Estado americano para os Assuntos Africanos Herman Cohen.

O Presidente angolano José Eduardo dos Santos obteve mais votos do que foi oficialmente anunciado nas eleições de 1992.


Museu Etnográfico do Lobito que Data das Décadas 1930/40 Representa a Diversidade da Cultura Angolana

lobito_museu_etnografiaO Museu Etnográfico do Lobito, localizado no município com o mesmo nome, província de Benguela, é o retrato fiel da diversidade etno cultural dos povos de Angola, como prova a composição do seu acervo museológico.

Com mil e 513 peças de espólio geral, o Museu Etnográfico do Lobito, que  data das décadas 1930/40 (logo após consolidação da ideia do Porto e Caminho-de-Ferro de Benguela), surgiu, segundo o seu responsável, Cipriano de Sousa, da necessidade de se conhecer “por dentro” os habito e costumes dos então habitantes das áreas transversais do projecto  ferro-portuário, porém hoje retrata uma realidade cultural quase nacional.