Metade das Províncias Angolanas Estão em Situação de “Desnutrição Crónica”

A informação foi transmitida, quarta-feira (13), pela chefe do Programa Nacional de Nutrição de Angola, Maria Futi Tati, durante um seminário de lançamento da “Plataforma Multissetorial de Nutrição em Angola”, realizado, em Luanda, considerando a situação “muito séria e preocupante”.

“O grau de desnutrição, principalmente a crónica, a nível do país é muito sério. Temos que trabalhar bastante, estamos com uma desnutrição crónica com uma taxa de 38% e o padrão preconizado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) é de menos de 20%”, disse.

De acordo com a responsável, “nenhuma das 18 províncias angolanas está em normalidade nutricional”, ou seja, “todas as províncias estão com problemas sérios de desnutrição”, demonstrando que “o país está mal”.

As províncias do Bié com 51%, Cuanza Sul com 49%, Cuanza Norte com 45% e o Huambo com 44% são, segundo Maria Futi Tati, as que apresentam maiores indicadores de desnutrição.

“São cerca de nove províncias que estão em situação de extrema gravidade de desnutrição, sete províncias em situação de prevalência elevada e duas províncias em situação de prevalência média”, apontou.


Após uma Diminuição Durante Mais de Dez Anos A Fome Aumenta no Mundo

A fome está a aumentar novamente no mundo após uma diminuição constante durante mais de dez anos e atingia 815 milhões de pessoas em 2016, ou seja, 11% da população mundial, indica um relatório da ONU divulgado hoje.


Taxa de Malnutrição em Angola Baixou 43% Sendo Apontada Como Exemplo em África

Angola está na lista dos sete países de África que mais reduziram a taxa de malnutrição, tendo conseguido que a mesma baixasse 43% nos últimos 15 anos, indica um estudo sobre segurança alimentar recém-apresentado na Costa do Marfim.


Situação de Fome Extrema no Município dos Gambos no Sul da Huíla

Cerca de sete mil pessoas vivem em situação de fome extrema no município dos Gambos no sul da Huíla e a situação parece tender a agravar-se e a atingir cada vez mais famílias, de acordo com fontes da Voz da América.


A FAO Diz Que 6 Milhões de Pessoas nos Países da CPLP Deixaram de Passar Fome

alimentacaoA Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) estima que 36% de pessoas, ou seja, 6 milhões,  deixaram de passar fome em três anos na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

A agência investiu na Estratégia de segurança alimentar e nutricional com US$ 500 mil para melhorar a capacidade de analisar a informação, tomar decisões e acordos entre os países.