Num Ano Angola Importa Mais de 4.000 Milhões de Dólares em Combustíveis

Angola vai gastar mais de 4.000 milhões de dólares durante um ano para importar combustíveis refinados, segundo uma autorização para o negócio, envolvendo o grupo da petrolífera estatal Sonangol, a que a Lusa teve acesso esta sexta-feira.

Em causa está o despacho presidencial n.º 61/18, de 24 de maio, em que o Presidente angolano, João Lourenço, autoriza a abertura do procedimento de contratação simplificada para o fornecimento de derivados do petróleo, nomeadamente gasolina, gasóleo e gasóleo de marinha, à Sonangol Logística.

O contrato é referente ao período de 01 de abril de 2018 a 31 de março de 2019 e “autoriza a realização de despesa inerente aos contratos a celebrar” no valor global de 4.030.734.000 dólares (3.430 milhões de euros).

A petrolífera angolana Sonangol anunciou a 16 de março a contratação de duas empresas internacionais de trading e refinação para fornecimento de combustíveis, o que representa o fim do monopólio da Trafigura.


Solicitação ao Governo Por Parte da Sonangol Para Aumentar o Preço dos Combustíveis

A petrolífera nacional já solicitou ao Executivo o aumento do preço dos combustíveis, para reduzir o “esforço que a Sonangol faz em prol da economia e da satisfação da população”.

Segundo o presidente do conselho da administração da companhia estatal, a exemplo do que fez o Banco Nacional de Angola (BNA), dever-se-ia estudar “um mecanismo para os preços dos combustíveis também num intervalo flutuante e variável”.

A proposta de Carlos Saturnino foi partilhada com os jornalistas na conferência de imprensa da passada quarta-feira, 28 de Fevereiro.


A Companhia Aérea Angolana Tem o Preço Mais Alto do Mundo em Combustível Para Aviões

Os custos da TAAG com o abastecimento de combustível representam cerca de 28% dos custos operacionais, revelou o ministro dos Transportes, Augusto Tomás, adiantando que a companhia aérea angolana tem o preço mais alto do mundo em jet fuel (combustível para aviões).

“Isto tem um reflexo imediato no tarifário que é praticado pela companhia”, disse ontem, 15, o governante, em resposta às preocupações apresentadas por empresários nacionais, no âmbito do seminário de auscultação sobre o Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição de Importações (PRODESI).


Construção de Novas Refinarias em Angola Pode Diminuir Importação de Derivados

63 propostas para construção de novas refinarias foram apresentados por empresas nacionais e estrangeiras ao Executivo.

Os novos projectos de construção de refinarias no país, apresentados à comissão criada pelo Executivo podem ter impacto positivo na produção de refinados no país, o que poderá, igualmente, baixar os níveis de importação de gasolina, gasóleo e de outros derivados do petróleo. A comissão liderada pela Sonangol com objectivo de analisar as propostas técnicas, económicas e financeiras para a construção de refinarias no país recebeu 63 propostas da parte de empresas tanto nacionais como estrangeiras, informou a empresa estatal em comunicado divulgado esta semana.


Em Apenas Dois Meses Angola Recebeu Quase 20 Propostas Para a Construção de Refinarias

No espaço de dois meses, Angola recebeu quase “20 propostas para a construção de refinarias e investimentos na indústria petroquímica”, revela o ministro da Comunicação Social, João Melo.

Depois de ter comentado a “excelente notícia” dos novos investimentos da petrolífera TOTAL em Angola, o ministro da Comunicação Social, João Melo, voltou a partilhar novidades sobre o sector dos Petróleos, através da sua conta no Twi tter.