A Cidade das Acácias Rubras, Benguela, Pronta e Bonita Para as Festas de Natal e Ano Novo

natalA cidade das Acácias Rubras, capital da província de Benguela, encheu-se de luzes e cores para a comemoração natalina de 2013, transformando as diversas ruas em cartões postais de Natal e, também, em lugar convidativo das famílias para as tradicionais compras de final de ano.

Numa ronda efectuada pela Angop, constatou-se que atracções como a Árvore de Natal gigante, no Largo 1º de Maio, a que se juntam decorações diferentes em casas, postes, árvores, estabelecimentos comerciais e edifícios públicos como a Administração Municipal de Benguela, o Tribunal Provincial, o Palácio do Governo, além das rotundas do Cavaco, Cruz Vermelha e Kalunga, oferecem um clima propício para as festas de final de ano.

Os moradores e turistas que passearem por Benguela já poderão presenciar em diversas avenidas, ruas, largos e praças as típicas iluminações e as mais variadas decorações com temas natalinos que ajudam a realçar ainda mais a beleza dos edifícios e de vários pontos da capital benguelense, eleita um dos melhores destinos turísticos do país.

Desde o início de Dezembro, muitas vias e ruas da cidade estão a mudar de visual, devido às centenas de lâmpadas “pisca-pisca”, montadas por uma equipa da Administração Municipal de Benguela, para não só proporcionar brilho à noite como aproximar as pessoas do espírito desta data especial.

Uma das decorações mais aguardadas de sempre para a ocasião é a clássica árvore de Natal do Largo 1º de Maio, que mede cerca de 25 metros de altura. Sua estrutura apresenta cores e luzes diferentes, simbolizando o coração da cidade, que por estes dias está ao rubro devido às acácias carregadas de flores e beleza natural.

Entre os lugares de destaque para os compradores está a Avenida 10 de Fevereiro e o Mercado Municipal Heróis de Moncada, que além de serem um dos pontos de maior movimentação são considerados importantes para compras durante o dia, onde se podem encontrar supermercados e melhores lojas de roupas, além de objectos para decorações.

Com esta atmosfera de Natal prevalecente, Benguela torna-se, também, centro das atenções, por conta dos famosos reveillons que celebram a entrada no novo ano, num clima de grande animação e ritmo, acompanhado do espectáculo de fogo-de-artifício, um dos momentos mais aguardados na noite que marca a passagem de ano.

O Natal, comemorado anualmente a 25 de Dezembro a propósito do nascimento de Jesus Cristo, é a época do ano preferida de muitas pessoas, pelas confraternizações, famílias reunidas, casas enfeitadas, ruas iluminadas e um clima de solidariedade por conta dos presentes e acções sociais.

Angop


Armazéns Para Conservação de Produção Agrícola em Benguela

 

benguela_mercado_2009_1A província de Benguela vai contar, a partir do próximo ano, com seis modernos armazéns para o aprovisionamento e conservação de toda a produção agrícola para evitar a sua deterioração como a­contece actualmente.

A criação dos armazéns insere-se num conjunto de acções estratégicas programadas pelo governo provincial de Benguela para ajudar os agricultores e camponeses a economizarem recursos com o escoamento da produção para os grandes centros de consumo nas cidades e vilas.
Luciano Anselmo, um dos responsáveis da direcção do Comércio, Hotelaria e Turismo, disse que o projecto contempla a construção de lojas rurais para permitir a venda dos produtos agrícolas em bom estado de conservação.
Falando num encontro provincial das comunidades promovido pela Acção para o Desenvolvimento Rural e Ambiente, ADRA, na vila da Ganda, Luciano Anselmo a­crescentou que os armazéns vão servir também para aprovisionar a produção dos camponeses individuais e colectivos, uma medida destinada a incentivá-los a organizarem-se em cooperativas.
“A conservação dos produtos a­grícolas vai contar com apoio e a­companhamento dos ministérios da Saúde, Comércio, Indústria e do INADEC para preservar a qualidade do produto”, disse, adiantando que os croquis e municípios seleccionados para a construção dos armazéns vão ser apresentados em breve.
No encontro, o director do Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA), Afonso Dialamicua, garantiu apoio aos agricultores e camponeses em sementes e fertilizantes para o fomento da actividade agrícola, defendendo “uma maior celeridade na disponibilização do crédito agrícola de campanha e capacitação dos agricultores em diferentes técnicas de cultivo para aumentar os níveis de produção”.
A directora da ADRA em Benguela, Teresa Vitória, reconheceu que o encontro, com o lema “Sociedade civil, construindo caminhos para uma participação mais efectiva nas políticas públicas”, correspondeu às expectativas.
O administrador municipal da Ganda, Caetano Lopes, considerou o encontro “uma garantia para a estabilidade e o desenvolvimento da actividade agrícola e para a promoção da qualidade de vida”. Caetano Lopes realçou que a estiagem ainda constitui preocupação no município da Ganda, contribuindo para a redução da produção agrícola.
O encontro da ADRA no município da Ganda reuniu responsáveis de núcleos dos agricultores, representantes das cooperativas de camponeses, líderes das comunidades, autoridades tradicionais, responsáveis de cooperativas de mulheres camponesas e representantes das igrejas.

Jornal de Angola/Maximiano Filipe


Da Rotunda do Kalunga em Benguela à Vila da Baía Farta, 26 Kms. de Estrada Reabilitada

Benguela-Baia-Farta-Após cerca de dois anos, o troço entre a cidade de Benguela e o município da Baía Farta, com 26 quilómetros de extensão, foi totalmente reaberto ao trânsito este sábado, em cerimónia presidida pelo governador da província, Isaac Maria dos Anjos.

Consignada em Setembro de 2011 à construtora Odebrecht, esta via inicia-se junto à Rotunda do Kalunga, em Benguela, e dirige-se rumo à vila da Baía Farta, sendo um eixo fundamental que liga o Norte ao Sudoeste da província, facilitando a circulação de mercadoria diversa.

As obras de reabilitação e ampliação do troço entre Benguela e Baía Farta, orçadas em 92 milhões de dólares (9, 2 mil milhões de kwanzas), contemplaram a execução de pontes, passagens hidráulicas, camadas de drenagem de águas pluviais, revestimento asfáltico em cada sentido com duas faixas de rodagem.

Para aliviar o trânsito no meio do trajecto, quer no sentido ascendente, quer no descendente, foram inseridos dois retornos, sendo um junto aos postos de abastecimento de combustíveis no bairro do Kasseque e outro próximo de duas novas pontes paralelas sobre o rio do Calombutão, para além de uma rotunda no desvio da via em direcção ao município de Caimbambo.

Paralelamente a esta intervenção, o troço Benguela/Baía Farta beneficiou-se de bermas, separador central, iluminação pública, paragens específicas para autocarros e táxis, passadeiras, adequada sinalização rodoviária vertical e horizontal a fim de se proporcionar maior segurança aos automobilistas e peões.

Intervindo na ocasião, o governador provincial de Benguela destacou a importância da conclusão da obra e da melhoria das condições de mobilidade na estrada de âmbito nacional.

Issac Maria dos Anjos apelou para uma maior prudência aos automobilistas como uma forma de se evitar acidentes susceptíveis de causarem vítimas mortais.

Para o governante, é importante consciencializar as pessoas de que as máquinas (viaturas) matam, daí a necessidade de se cumprir o código de estrada.

Referiu que apenas este ano as estatísticas já apontam para cerca de 340 mortes resultantes de 1.117 acidentes, razão pela qual pediu aos condutores para não circularem em velocidade excessiva.

“Está a morrer muita gente na estrada e voltamos a pedir aos jovens para que andem mais devagar e que não tenham pressa”, finalizou.

A reinauguração do troço foi testemunhada pelo administrador municipal de Benguela, Leopoldo Muhongo, pelo chefe de departamento provincial do Instituto Nacional de Estradas de Angola (INEA) em Benguela, Henrique Vitorino, e autoridades tradicionais.

Quando a via referida esteve em reabilitação os automobilistas eram direccionados em caminhos alternativos para chegar a Benguela, a Baía Farta e a outras localidades, enfrentando engarrafamentos constantes, daí que o restabelecimento da circulação vá tornar o trânsito mais fluido, confortável e seguro.

Angop


Benguela Combate Criminalidade Com Câmaras de Vigilância Espalhadas pela Cidade

benguela6kg4A cidade de Benguela conta, desde a semana passada, com sete câmaras de vigilância, com grande alcance, visando contribuir no combate à criminalidade.

Em declarações à Angop, o director provincial da Ordem Pública, superintendente-chefe Carlos Mota, referiu que a colocação destes equipamentos em várias artérias da cidade vai permitir identificar situações criminais para intervenções operativas.
O director provincial afirmou que as câmaras de vigilância vão facilitar a identificação dos autores dos crimes e auxiliar a Polícia Nacional no domínio da ordem pública. Carlos Mota assegurou que o circuito fechado de televisão (CCTV) vai ter a monitorização na sala operativa do comando da Polícia que, numa primeira fase, vai abranger os municípios de Benguela e Lobito em locais de maior a densidade populacional.
Carlos Mota considera que a utlização das câmarasvai contribuir , não só para a diminuição da criminalidade em Benguela, uma das cidades com elevado índica de actos criminosos, mas também para disciplinar os automobilistas.
“No que diz respeito ao trânsito rodoviário, Benguela é uma das cidades mais movimentadas do país e a instalação de câmaras vai ajudar-nos a indentificar em tempo oportuno as trangressões ao trânsito”, disse o director provincial da Ordem Pública, que se manifestou optimista com a medida. Entretanto, o tribunal provincial de Benguela condenou o cidadão Carlos de Sousa a 22 anos de prisão maior, por crime de homicídio qualificado e preterintencional.
Carlos de Sousa, de 59 anos, foi condenado por ter morto à facada a jovem universitária Plácida Câmia, sua ex-namorada, no dia 11 de Dezembro de 2011.
O tribunal provincial de Bneguela decidiu ainda que o réu deve pagar 80 mil kwanzas de taxa de justiça e um milhão e quinhentos mil kwanzas de indemnização à família da vítima.
Plácida Câmia, de 25 anos de idade, que frequentava, antes da sua morte, o segundo ano de Direito na Universidade Jean Piaget, foi assassinada com sete golpes desferidos em várias regiões do corpo.

Jornal de Angola


Acidente no Grande Prémio de Benguela Causa 2 Mortos e 15 Feridos

948x624Acidente em Angola: populares tentam queimar vivo piloto português.

Aos poucos começam a ser públicos mais pormenores, alguns bem macabros, sobre a tragédia no Grande Prémio de Benguela, que provocou dois mortos e cerca de quinze feridos e envolveu o piloto português Luís Almeida.

De acordo com a agência Angola Press, os populares que agrediram brutalmente Luís Almeida, após o acidente, tentaram queimar vivo o piloto. Os primeiros relatos separavam os incidentes, ou seja, Almeida teria sido agredido, com a lesão mais evidente a ser uma fratura num braço, e depois os agressores viraram a sua fúria para o Porsche 911 GT3.

Contudo, a agência frisa que não foi bem assim. Na verdade, os populares depois de agredirem o piloto, fecharam-no dentro do carro, regaram-no com gasolina e preparavam-se para atear fogo. Valeu a intervenção da polícia.

Entretanto, a Federação Angolana de Desportos Motorizados (FADM), emitiu um comunicado onde explica que o acidente se deveu a uma falha nos travões e saliente que Luís Almeida é um piloto “com enorme experiência”.

A FADM confirma também a versão de que os espectadores atingidos se encontravam num local onde não era permitida a presença de público, por motivos de segurança.

“Ao não terem sido cumpridas as normas de segurança previamente definidas pela Comissão Organizadora, a viatura entrou na zona de escapatória onde não deveria ter nenhum espectador. Como consequência do não acatamento das normas de segurança, temos a lamentar a morte de 2 pessoas e cerca de 17 feridos, alguns com ferimentos ligeiros que já tiveram alta e ferimentos do piloto”, lê-se no comunicado.948x624

A FADM revela ainda que as duas vítimas mortais eram crianças e envia “sentidas condolências às famílias”. Promete ainda “dentro do calendário nacional estabelecido nos circuitos urbanos, melhorar os níveis de segurança, comunicando que será extremamente rigorosa no cumprimento dessas normas que permitam, que estes verdadeiros ambientes de festa popular não se traduzam em tragédias.”

Por fim, a FADM manifestou “profundo desagrado” pela “reacção de vandalismo de certos indivíduos”.

A assistir à prova, na cidade de Ombaka, província de Benguela, estavam cerca de 200 mil pessoas.

Noticias, Fotos e Videos de Carros