Restrições de Energia Eléctrica no Norte de Angola Terminam Graças à Barragen de Laúca

Após a entrada em operação a 04 de Agosto de 2017 da barragem Hidroeléctrica de Laúca, em Cacuso, e o consequente aumento da produção e disponibilidade hídrica, as restrições de energia eléctrica no sistema norte do País reduziram drasticamente.

Antes da inauguração de Laúca, o sistema Norte, que compreende as províncias de Luanda, Cuanza Norte, Uíge, Cuanza Sul, Zaire, Malanje e Bengo, registava em média 16 apagões/dia, mas os investimentos feitos na construção desta barragem e na reabilitação de outras permitiram reduzir as restrições na ordem de 94 por cento.

Ao falar por ocasião do primeiro aniversário do aproveitamento hidroeléctrico de Laúca (AHL), assinalado dia quatro, o director do projecto, Elias Daniel Estevão, disse que o sistema interligado Norte tem um consumo máximo de 1500 megawatts de energia eléctrica, enquanto a produção nas três centrais hidroeléctricas existentes (Cambambe, Laúca e Capanda) é de dois mil e 692 megawatts, potência disponível que supera a demanda.

Laúca está com três das sete unidades geradoras de cada 334 MW. Quando estiver totalmente concluída Laúca terá uma capacidade nominal de dois mil e 70 megawatts.

Com uma altura de 156 metros, mil e 200 metros de comprimento e uma área de 24 mil hectares, incluindo a albufeira, a barragem tem uma central principal, com seis grupos geradores de 334 megawatts cada e uma ecológica de 65 megawatts.


Novo Empréstimo de 247,8 Milhões de Euros Contraídos Pelo Governo Angolano Para Financiar a Barragem de Laúca

O governo de Angola aprovou a contracção de mais um empréstimo de 247,8 milhões de euros junto do banco britânico Standard Chartered para financiar a construção do sistema de transporte de energia associado ao Aproveitamento Hidroeléctrico de Laúca, de acordo com um despacho presidencial com data de 20 de Fevereiro.

O aproveitamento hidroeléctrico de Laúca, no rio Cuanza e localizado entre as províncias do Cuanza Norte e Malanje, é a segunda maior barragem do continente africano e o maior projecto de obras públicas do país, tendo um custo estimado em 4,3 mil milhões de dólares.

O governo angolano anunciou em Outubro de 2016 que estava à procura de soluções alternativas de financiamento à suspensão dos fundos de uma linha de crédito do Brasil para obras em Angola – como é o caso da barragem de Laúca – no âmbito da operação contra a corrupção Lava Jacto.


Entrada em Funcionamento da Barragem da Laúca Vem Trazer Melhorias ao Ambiente de Negócios em Angola

Foto AngopO ambiente de negócios no país passa a ser mais atractivo com a entrada em funcionamento nesta sexta-feira do Aproveitamento Hidroeléctrico de Laúca, em construção na província de Malanje.


A Barragem de Laúca Começa Hoje a Produzir Electricidade Para a Rede Pública Angolana

A barragem de Laúca situada no rio Kwanza, província de Malanje, em Angola começa hoje a produzir electricidade para a rede pública angolana, segundo escreve o Novo Jornal.


A Barragem Hidroeléctrica de Laúca Atinge Amanhã a Cota de 800 Metros de Altura

A água na albufeira da barragem hidroeléctrica de Laúca atinge nesta terça-feira a cota de 800 metros de altura, facto que permitirá nos dias próximos dias a realização dos ensaios da primeira turbina com capacidade para gerar 334 Megawatts.