Ainda o António Costa e as Suas Jeans

Foto Correio da Kianda

Nunca antes uma visita de um chefe do Governo português provocou tanto alarido entre Luanda e Lisboa, como aconteceu na passada segunda-feira, 17, com a chegada a Luanda de António Costa, Primeiro-Ministro português.

O líder Socialista chegou ao aeroporto 4 de Fevereiro, sem qualquer cerimónia, trajando uma calça “jeans”, camisa branca, blazer, calçando uns mocassins.

O traje do político, que apesar de ter ido à Angola numa visita oficial, acabou por incendiar as redes sociais, e não só, dos dois países onde chegou mesmo a ser acusado pelos mais extremistas de “desrespeitar os Angolanos”.

Caloroso como sempre, Costa foi recebido com honras de Estado pelo ministro das Relações Exterior de Angola, Manuel Augusto, que vinha vestido a rigor, apesar de Luanda estar a viver naquele dia um feriado nacional, dia em que se comemora mais um aniversário natalício do primeiro Presidente de Angola, António Agostinho Neto.


Discurso do Presidente Angolano Por Ocasião da Visita de Trabalho do 1º Ministro Português

Discurso de Sua Excelência João Lourenço, Presidente da República de Angola, por ocasião da visita de trabalho a Angola de Sua Excelência António Costa, Primeiro-Ministro de Portugal. Luanda, 18 de Setembro de 2018.

– Sua Excelência António Costa, Primeiro-Ministro de Portugal,

– Senhores Ministros,

– Senhores Embaixadores,

– Minhas Senhoras, Meus Senhores,

– Excelências,

Em representação do povo angolano e do Executivo que encabeço, recebo Vossa Excelência de coração aberto, neste contexto muito particular da visita de trabalho que efectua a Angola, durante a qual teremos seguramente a oportunidade de passar em revista as nossas relações bilaterais com realismo e objectividade, para que se tornem estáveis e profícuas no presente e no futuro.

Aproveito este momento para dar as boas vindas a Vossa Excelência e à delegação que o acompanha.

Senhor Primeiro-Ministro,

Excelências,

As relações entre Angola e Portugal são históricas, seculares e com uma profunda carga afectiva, de amizade e solidariedade entre seus povos, por isso na abordagem que faremos durante este encontro sobre o caminho a seguir para reforçarmos os laços que nos ligam, não devemos ignorar o manancial de experiências acumuladas até aqui, assim como as oportunidades que se nos oferecem para que projectemos o futuro com pragmatismo, em função dos nossos valores e interesses nacionais.


Governo Angolano Assume Já 105 Milhões de Dólares em Dívida Certificada a Empresas Portuguesas

O ministro das Finanças, Archer Mangueira, estimou hoje em 105 milhões de dólares a dívida já certificada de entidades públicas a empresas portuguesas e a não certificada na ordem dos 350 milhões de dólares.

Archer Mangueira avançou com esta estimativa na abertura do Fórum Empresarial Angola-Portugal, no qual também discursou o primeiro-ministro, António Costa, adiantando que tenciona fechar a parte maioritária do processo de certificação de dívidas a empresas portuguesas até Novembro próximo.

A parte portuguesa estima que a dívida não certificada de entidades públicas angolanas a empresas portuguesas, sobretudo firmas de construção civil e obras públicas, ronda “no mínimo” entre os 466 e os 583 milhões de dólares.

Na sua intervenção, o ministro das Finanças de Angola referiu que, após uma análise feita às “regularizações atrasadas” a empresas portuguesas, concluiu-se que “o maior volume não fazia parte do Sistema Integrado de Gestão do Estado”.


António Costa Cria Polémica em Luanda Por Trajar Camisa Branca Sem Gravata e Calças de Ganga,

Foto RTP

Costa chegou a Angola na manhã desta segunda-feira para uma visita de Estado muito aguardada depois de as relações entre os dois países terem andado por caminhos trocados. Costa aterrou no Aeroporto 4 de Fevereiro e abriu logo uma polémica nas redes sociais por causa da sua indumentária.

“É com grande satisfação, entusiasmo e profunda confiança no reforço das relações entre #Portugal e #Angola que aterrei esta manhã em Luanda para uma visita oficial”, anunciou António Costa na sua conta oficial no Twitter, o que originou vários comentários (a maioria) a criticar a escolha da roupa.

O texto era acompanhado por uma foto com Costa sobre a passadeira vermelha do aeroporto de Luanda ladeado pela guarda de honra militar e acompanhado pelo ministro das Relações Exteriores.

Só que o primeiro-ministro trajava uma camisa branca sem gravata, sob um blazer preto e calças de ganga. Uma indumentária pouco habitual numa visita de Estado que logo fez disparar críticas nas redes sociais.


Agora Compete-nos Construir o Futuro. o Passado Ficou no Museu, Diz António Costa em Luanda

O primeiro-ministro afirmou hoje que o passado nas relações luso-angolanas ficou no museu e que os dois países se preparam para fechar um novo acordo de cooperação estratégica, num sinal de confiança em relação ao futuro.

Palavras proferidas por António Costa no primeiro ponto do programa oficial de dois dias a Angola, depois de ter visitado o Museu Nacional de História Militar na Fortaleza de Luanda.

“Vamos assinar o Acordo de Cooperação Estratégica para os próximos anos e vamos dar um sinal de confiança para o aprofundamento das nossas relações económicas”, declarou o líder do executivo nacional, num momento em que estava ladeado pelos ministros angolanos Manuel Domingos (Relações Exteriores) e Salviano Sequeira).

Perante os jornalistas, António Costa referiu que a sua visita “começou precisamente no Museu de História Militar”.