Degrada-se a Situação dos Doentes Angolanos Devido a Atraso nas Transferências de Dinheiro de Angola para Portugal

O Presidente João Lourenço prometeu melhorar as condições dos doentes angolanos com junta médica em Portugal. Mas de novembro até hoje nada melhorou, pelo contrário, a situação degradou-se.

Dez meses depois da visita oficial do Presidente angolano João Lourenço, as condições de habitabilidade e a qualidade da alimentação nas pensões que acolhem os pacientes não melhoraram.

Há mais doentes a chegarem a Lisboa, mas também há casos de pessoas desalojadas por falta de pagamento, em consequência dos atrasos nas transferências de dinheiro de Angola para Portugal. O setor da saúde da Embaixada de Angola reuniu-se esta semana com a associação que representa os doentes para mais uma tentativa em busca de soluções.

Condições precárias

Um dos doentes é José Maria Paixão Fonseca, 62 anos, tenente coronel das Forças Armadas, que vive numa das quatro pensões em Lisboa que albergam angolanos que têm


Representantes da Sonangol e Galp Reafirmam Preservar a Aliança Que os Une

Representantes da Sonangol e da sua congénere portuguesa Galp mantiveram encontros em Lisboa, que uma fonte da companhia angolana declarou ontem ao Jornal de Angola terem servido para reafirmar a decisão mútua de preservar a aliança que as une na estrutura accionista da petrolífera lusa.

As informações obtidas por este jornal dão conta da declaração proferida aos parceiros portugueses, de que a Sonangol vai manter a participação na Amorim Energia por intermédio do consórcio Esperaza.
De acordo com a fonte, os representantes da companhia que mantêm reuniões em Lisboa também reafirmaram a decisão do Conselho de Administração de manter “em níveis relevantes” a participação no banco português BCP.
O grupo estatal angolano detém uma posição de 60 por cento da Esperaza, um accionista do Grupo Amorim Energia, detentor de 33,34 por cento do capital da Galp.
Dessa, a Sonangol detém uma participação indirecta de 15,98 por cento na Galp Energia, além de controlar, por outro lado, uma posição de 14,87 por cento do capital social do Banco Comercial Português, conhecido pela marca Millennium BCP.


A Grande Prova dos Vinhos de Portugal em Luanda

A grande prova dos vinhos de Portugal em Luanda vai ter lugar a 27 de Junho, no HCTA (Hotel de Convenções de Talatona), entre as 17h e as 21h. São espera- dos 950 visitantes, neste que é já um dos mais aguarda- dos eventos em Luanda.

Os profissionais do sector convidados vão poder experimentar o melhor do néctar português. De acordo com Jorge Monteiro, Presidente da Vini-Portugal, Portugal é o país do qual Angola importa mais vinho, sendo por isso estratégico para os vinhos de Portugal fortalecerem a sua imagem de liderança com eventos como a Grande Prova Anual, impactando os líderes de opinião do mercado e reforçando a educação junto do trade.

Em antecipação à Grande Prova Anual, segundo o PlatinaLine, realizam-se três acções, em linha com a contribuição que os Vinhos de Portugal têm procurado dar ao conhecimento e qualidade dos sectores da Grande Distribuição e Retalho em Angola. Estarão à prova no evento mais de 370 vinhos portugueses. No dia 26 de Junho, Luís Lopes, director da revista da especialidade, Vinho Grandes Escolhas, dará uma for- mação aos colaboradores do hipermercado Deskontão. No mesmo dia, o Clube Vinhos de Portugal, formado por algumas das personalidades angolanas de maior renome, reúne-se no Espaço Luanda, em Talatona.


Projetos Para o Sector Eléctrico Apresentados em Lisboa Pelo Governo Angolano

As oportunidades de negócios no sector energético em Angola, na perspectiva de atrair investimento privado para os projetos no setor vão ser apresentadas nesta quarta-feira (12) em Lisboa, pelo secretário de Estado para Energia, António Belsa da Costa.

Belsa da Costa, que encontra-se em Lisboa desde segunda-feira, vai aproveitar esta 21ª edição do Fórum de Energia de África para atrair investimento, que arranca hoje, com mais de três mil personalidades de todo o mundo, entre ministros, investidores e académicos.

Autoridades angolanas vão aproveitar o fórum para atrair investimento privado, num sector que precisa de mobilizar quase três mil milhões de dólares para as infra-estruturas até 2022, para elevar a capacidade actual de geração de energia, passando dos actuais 3.334 Megawatts para 7.500 Megawatts. Está previsto que 500 Megawatts venham a partir de energias novas e renováveis.

No quadro do programa do aumento da oferta de energia no país, o Governo vem apostando na reabilitação e construção de novas fontes de geração de energia eléctrica,  com destaque a Central de Ciclo Combinado no Soyo, as barragem de Cambambe, Laúca, Capanda e Caculo Cabaça o que permitirá o país alcançar a capacidade de 7 mil Megawatts.

Além das três barragens já concluídas, com Caculo Cabaça ainda em obras, no Médio Kwanza estão previstas mais três empreendimentos, nomeadamente Túmulo do Caçador, Luime, Zenzo I e Zenzo II.


Data Emblemática da Identidade Portuguesa Saudada Pelo Presidente de Angola

O Presidente de Angola, João Lourenço, enviou hoje (10) uma mensagem ao homólogo português, Marcelo Rebelo de Sousa, saudando o povo português pelo “10 de junho”, a “celebração de uma data emblemática da identidade portuguesa”.

Segundo um comunicado da Casa Civil do Presidente da República de Angola, enviado à agência Lusa, João Lourenço destaca que a efeméride permite que os portugueses “se unam à volta dos grandes valores e símbolos da pátria” para “comemorar com júbilo as conquistas alcançadas ao longo da História como Nação”.

“Tenho a honra de felicitar o Povo, o Governo português e Vossa Excelência, em nome do Povo, do Governo angolano e no meu próprio pela celebração de mais um aniversário do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas. Trata-se de uma data emblemática da identidade portuguesa, em que os portugueses se unem à volta dos grandes valores e símbolos da sua Pátria, para comemorar com júbilo as conquistas alcançadas ao longo da sua história como Nação”, sublinha João Lourenço na mensagem.