Reportagens Traduzidas em 12 Línguas a Mostrar Potencialidade Económica Angolana Pela EuroNews

A serie de reportagens, traduzidas em 12 línguas vai mostrar o desenvolvimento dos sectores económicos, bem como as potencialidades turísticas angolanas.

A estação televisiva Euronews vai emitir, durante o ano em curso, uma serie de reportagens que visam divulgar ao mundo às potencialidades económicas angolanas.

Designadas “ Business Angola”, as peças jornalísticas vão retratar as perspectivas de crescimento económico do país, no âmbito do programa de diversificação da economia do Executivo angolano que poderão alcançar cerca de 320 milhões de casas.

Segundo a Agência de Notícias Angola Press (ANGOP), as reportagens serão emitidas mundialmente em 12 línguas, nomeadamente alemão, árabe, espanhol, farsi (persa), francês, grego, húngaro, inglês, italiano, português, russo e turco.

Na primeira peça exibida, isto a 24 de Janeiro de 2019, foi feita uma abordagem geral na qual os desafios e as oportunidades de negócios dentro da diversificação da economia de Angola estiveram em voga.


A Consultora Eaglestone Considerou Que 2019 Vai Ser Determinante Para Angola Virar de Página

A consultora Eaglestone considerou hoje que este ano será determinante para se ver “se Angola consegue virar a página e voltar a crescer”, depois de três anos consecutivos em que o crescimento económico foi negativo.

“O ano de 2019 será determinante para ver se Angola consegue virar a página e voltar a crescer”, escrevem os analistas da consultora Eaglestone, numa nota sobre a economia angolana, com o título ‘Virar a Página’.

“Com a ajuda do programa do Fundo Monetário Internacional (FMI), as autoridades angolanas deverão continuar muito empenhadas em corrigir os actuais desequilíbrios do país”, lê-se na nota enviada aos clientes, e a que a Lusa teve acesso.

A Eaglestone considera que “o Programa de Estabilização Macroeconómica tem ajudado a fortalecer as contas públicas, a baixar a inflação, a reduzir as distorções no mercado cambial e deverá ajudar a melhorar a estabilidade no sector financeiro”, principalmente com as intervenções do Banco Nacional de Angola, que “deverá proceder também à revisão da qualidade dos activos dos bancos, o que poderá levar à recapitalização dos bancos mais fracos e/ou a fusões e aquisições”.


Artigo de Opinião de José Kaliengue “Miséria Perigosa”

Foto – O PAÍSjose_kaliengueDe uma coisa podemos ter a certeza: o assimilacionismo criou complexos que persistem. A metrópole ainda habita muita gente. Infelizmente chega-se a esta conclusão.

Não me referiro às empresas, como os bancos e gabinetes de consultoria, onde apenas falta, pelo menos para acesso a alguns lugares, se calhar, a exigência ofi cial de apresentação de passaporte de uma determinada nacionalidade. Nem me refi ro aos armazens.


Cidadãos da Serra Leoa, Libéria e Ruanda Vão Ficar Sem Estatuto de Refugiados em Angola

refugiados-onuO Governo angolano vai retirar o estatuto de refugiado aos cidadãos da Serra Leoa, Libéria e Ruanda, que se encontram em Angola, entendendo que “terminaram as razões objectivas que justificaram a protecção internacional” e a atribuição desse estatuto.

A informação consta de um despacho presidencial de 17 de Agosto, a que a Lusa teve hoje acesso, criando uma comissão interministerial para a “implementação” de uma “estratégia global” para a situação dos refugiados destes três países africanos, mas sem precisar quantos podem actualmente viver em Angola, já que serão alvo de um recenseamento.


Desemprego, Inflação e Cortes na Educação e Saúde Agravaram as Dificuldades dos Angolanos em 2015

desenpregoAno de 2015 ficou marcado por desemprego, inflação e cortes na educação e saúde, segundo relatório social da Universidade Católica de Angola.

O desemprego, a redução do poder de compra pela inflação e a desvalorização da moeda agravaram as dificuldades dos angolanos em 2015, mas a crise no país fez-se sentir ainda com cortes na educação e saúde, segundo um relatório.