O Presidente João Lourenço Afirmou Que o Combate Conjunto de Angola e Cuba Levou à Abolição do Regime do Apartheid na África do Sul.

O Presidente da República, João Lourenço, afirmou ontem, em Havana, que o combate conjunto de Angola e Cuba contribuiu decisivamente para contrariar a agressão das forças externas que pretendiam pôr em causa a soberania e integridade de Angola, bem como para acelerar a Independência da Namíbia e pôr fim ao regime racista na África do Sul.

Discursando na prestigiada Universidade de Havana, onde estudam jovens angolanos, reconheceu que os internacionalistas cubanos constituíram “uma importante força de dissuasão contra aqueles que pretendiam impedir a libertação dos povos angolano, namibiano e sul-africano”.

João Lourenço, que efectua a sua primeira visita de Estado a Cuba, considerou a África Austral, durante décadas, como tendo sido uma das zonas de maiores conflitos do planeta.

“É hoje uma região completamente livre do colonialismo, com democracia e em franco desenvolvimento económico e social”, afirmou. Sobre o contributo de Cuba a Angola, o Presidente da República afirmou que o povo angolano continuará grato aos “heróicos combatentes cubanos que tantas vezes com o sacrifício das suas próprias vidas, atravessaram o Atlântico” para defenderem os mais elevados valores do ser humano.


“A vida Tem Outro Sabor em Cape Town” Campanha Turística Dirigida aos Angolanos

Desenvolver parcerias e fortalecer laços comerciais entre o mercado sul africano e angolano, no domínio do turismo, constam das prioridades da Agência de Promoção para Investimento, Comércio e Turismo de Cidade do Cabo e Cabo Ocidental “Wesgro”, afirmou, em Luanda, o seu diretor executivo.

Ao falar numa conferência de imprensa, para apresentar a campanha “A vida tem outro sabor em Cape Town”, o gestor Tim Harris sublinhou que a organização reconhece a importância do mercado angolano para o desenvolvimento de parcerias, uma vez que os angolanos deslocam-se à África do Sul como um destino turístico e de negócio.

Segundo o responsável, a Wesgro está a trabalhar em parceria com o Turismo da África do Sul  (SAT) para sediar uma série de sessões educacionais entre os operadores turísticos angolanos e a indústria do turismo sul-africano para construir experiências turísticas em categorias identificadas.

Em relação à campanha,  informou que a mesma tem por objectivo promover “Cape Town” como um destino turístico preferencial, destacando a oferta de vinhos “Premium” da província, e as experiências turísticos, gastronomia, inúmeras opções de compra.

A referida campanha foi concebida tendo em conta o aumento da procura de vinhos sul-africanos que se reflete atualmente no mercado, revelando um aumento de mais de 27 por cento de 2012 para 2017.


Governos de Angola e África do Sul Assinam Acordos de Cooperação Económica

O chefe da diplomacia nacional, que participou na 10.ª Cimeira do BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), de 25 a 27 de Julho em Joanesburgo, disse que os dois países vão cooperar no domínio da indústria extractiva, infra-estruturas, agricultura, turismo e crédito financeiro, estando nesse sentido a ser ultimada uma visita a Luanda, no início do próximo mês de Agosto, de uma delegação presidencial da África do Sul, liderada pelo Presidente Cyril Ramaphosa.

“Angola é o presidente do órgão da SADC (Comunidade de Desenvolvimento da África Austral) e o Presidente Ramphosa é o presidente da SADC. No dia 17 de Agosto, ambos vão passar o testemunho a outros países e, portanto, é possível que antes dessa data os dois presidentes se encontrem para discutirem sobre essa transição”, disse à Lusa, Manuel Augusto, na capital sul-africana.

“A África do Sul, para nós, é um parceiro estratégico”, afirmou. “Entendemos que, para eles, Angola também é um parceiro estratégico”, frisou. “Vamos trabalhar para fazermos projectos de interesse comum no domínio das infra-estruturas, estradas, possivelmente uma auto-estrada entre a África do Sul e Angola, e queremos usar o facto de a África do Sul ser um dos membros dos BRICS para que possamos ter acesso também a fundos que os BRICS têm para projectos de infra-estruturas que tenham um impacto regional”, precisou o governante.
Ao nível bilateral, a África do Sul, acreditamos, vai voltar a Angola no sector dos diamantes de onde se tinha quase retirado, mas a África do Sul quer também entrar connosco nas áreas da Agricultura e Turismo, e nós queremos naturalmente criar primeiro, o suporte institucional para que os operadores privados possam julgar o seu papel”, disse.


Aumentar a Cooperação Com Angola Para Níveis Mais Altos é o Que Pretende o Presidente da África do Sul

Cidade do Cabo

África do Sul vai continuar a trabalhar para levar a cooperação com Angola para “níveis mais altos”, disse, em Luanda, o presidente Cyril Ramaphosa, no final da visita de quatro horas a Angola. Ramaphosa esteve reunido com o presidente João Lourenço no Palácio da Cidade Alta.

Em declarações aos jornalistas no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, o presidente sul-africano afirmou que algumas áreas de cooperação se vão intensificar visando o desenvolvimento económico dos dois países, enquanto novos setores serão identificados para investimentos sul-africanos em Angola e vice-versa.

Cyril Ramaphosa disse ambos os países continuam a trabalhar para desenvolver a “excelente” cooperação bilateral nas áreas do turismo, infraestruturas, comércio, energia, minas, agricultura, entre outras.


A Partir de Dezembro Entra em Vigor Acordo Entre Angola e África do Sul Para Supressão de Vistos

O acordo de supressão de vistos em passaportes ordinários entre as repúblicas de Angola e da África do Sul entra em vigor na primeira quinzena do mês de Dezembro, anunciou hoje, segunda-feira, no Luena, o embaixador daquele país, Faninie Mfana Phacola. c

O anúncio foi feito à imprensa angolana no quadro da visita de trabalho de três dias que efectua à província, a convite do governador provincial, Gonçalves Muandumba, para estudar áreas de investimentos e cooperação.