A Norte da Cidade do Cuito Fica a Centralidade do Andulo Que Está Pronta a Ser Habitada

Cento e 72 apartamentos, dos mil em edificação na centralidade do município do Andulo, a 130 quilómetros a norte da cidade do Cuito (Bié), estão concluídos e começa a receber os primeiros moradores a partir de Dezembro deste ano.

Em declarações hoje à Angop, o responsável pela área Comercial e Marketing da Kora Angola, Crispim Costa, referiu que o acto de assinatura de contrato e consequentemente a entrega das respectivas chaves serão procedidas no município do Andulo.


No Andulo, Esquecer o Passado com Olhos Postos num Futuro Risonho

Foto de Jacinto FigueiredoEsquecer o passado com olhos postos num futuro que aparenta ser risonho, tendo em conta as acções até agora desenvolvidas pelo Governo Provincial do Bié, no município do Andulo, é a mensagem transmitida pelos seus habitantes a todos que a visitam quer por motivos de turismo ou de negócios.


Vila do Andulo na Província do Bié

O Andulo é uma vila e município da província do Bié. Tem 10.316 quilómetros quadrados e cerca de 319 mil habitantes. É limitado a Norte pelo município de Mussende, a Este pelos municípios de Luquembo e Nharea, a Sul pelos municípios de Cunhinga, Mungo e Bailundo e a Oeste pelos municípios da Cela e Quibala.
O Bié é uma província de Angola. Tem área de 70.314 quilómetros quadrados e a sua população aproximada é de 1,8 milhões de habitantes. A sua capital é a cidade do Cuito.É formada pelos seguintes municípios: Andulo, Camacupa, Catabola, Chinguar, Chitembo, Cuemba, Cunhinga, Cuito e Nharea.
O rio Kwanza nasce nesta província, juntamente com a maioria dos rios do país. Devido a isso a província adquire grande potencial hidroeléctrico.
O clima é húmido e quente, e existem duas estações: de Outubro até Abril, que é quente e chuvoso; entre Maio e Setembro é seco, com temperaturas médias de 2ºC a 10ºC nos meses de maior frio e 18ºC até 25ºC em períodos de clima mais quente.


Água Potável para o Andulo

Os habitantes da vila do Andulo vão passar a ter água potável a partir deste mês, graças à aquisição de equipamento que vai permitir ultrapassar as situações que têm dificultado o funcionamento do sistema de captação, tratamento e distribuição, anunciou na quarta-feira, a administradora municipal, Maria Chicapa.
Actualmente, acrescentou, o sistema de captação, tratamento e distribuição de água potável encontra-se inoperante, devido à remoção de 15 metros de tubo PVC da conduta e à destruição dos chafarizes por malfeitores.


A aquisição do referido equipamento enquadra-se no programa do Executivo angolano de melhoria das condições de vida das populações, segundo Maria Chicapa, que adiantou estarem em execução outros projectos, com financiamento dos parceiros sociais que operam no município, como a Unicef, Care Internacional e o PNUD.
No ano passado, o município do Andulo registou melhorias significativas no abastecimento de água, com a entrega às populações de dez pontos de água, no quadro do projecto “Água para todos” e a reabilitação de outros oito pontos com financiamento da UNICEF. Actualmente, está em curso a construção do sistema de captação, tratamento e distribuição de água da comuna de Calussinga e de pequenos sistemas para a povoação do Chiombo, com financiamento da Organização Não-Governamental, Care Internacional.
Outros cinco pontos de água estão a ser montados na comuna do Chivaúlo, com apoio financeiro da embaixada japonesa em Angola.
José Chaves/Jornal de Angola


Andulo Renasce dos Escombros


O município do Andulo comemorou os seus 39 anos de existência com grande satisfação dos munícipes que estão a ver as destruições provocadas pela guerra serem substituídas por novas estruturas sociais e económicas.
No dia 13 de Julho de 1971, foi criado o município do Andulo. Várias infra-estruturas sociais, administrativas e económicas erguidas após a sua libertação, em 1999, garantem agora qualidade de vida às populações. Com a chegada da paz, o Andulo começou a mostrar as suas potencialidades em diversos sectores.


Ndulu, nome do filho primogénito da família Ukungu, deu o nome ao município que é constituído pelas comunas de Calussinga, Cassumbi e Chivaulo, e tem 179.639 habitantes.
A estrada entre o Cuito e o Andulo continua em reabilitação. Máquinas e homens trabalham na via que também dá acesso às províncias de Malange e Kuanza-Sul. Cada munícipe procura dar o seu melhor para desenvolver a cidade que durante muitos anos foi a mais castigada pela guerra.
A estrada que dá acesso ao município do Andulo possibilita aos automobilistas e turistas uma viagem tranquila, ar puro e belas paisagens. Logo pela manhã as mulheres vão para as lavras carregando os filhos às costas. Trabalham enquanto há sol, para obterem bons resultados na colheita.
O maior Instituto Médio de Agricultura da província do Bié está localizado no Andulo. A instituição escolar demonstra o empenho e determinação do Executivo na reposição das estruturas de grande porte na localidade.
Escolas de todos os níveis, centro materno infantil, hospital municipal e postos médicos, fazem parte das construções erguidas pela Administração Municipal com fundos do Executivo, ao longo dos anos de paz.
A administradora do Andulo disse que estão em marcha diversos empreendimentos sociais e no ano passado foram abertas cinco novas escolas nas povoações do Chiombo, Ecanduvene. Actualmente 100.506 alunos estão inseridos no sistema público de ensino.

Reconstrução nacional

As festas do município decorrem até o dia 31 de Julho e, é visível a agitação dos habitantes do Andulo e visitantes.
O hotel Marinela tem quartos, suites e um restaurante, para quem quiser ir ao Andulo e conhecer com profundidade a realidade do município. As pensões de pequena dimensão também alojam muitos forasteiros que chegam para as festas.
Os locais turísticos, como as águas termais da comuna de Cassumbe, e os rios de grande e pequena dimensão, são muito procurados pelos forasteiros.
No Andulo renascido da guerra, 23.500 habitantes beneficiam de água canalizada e potável através de um sistema de captação, tratamento e distribuição na comuna de Cassumbi.
As vendedoras e quitandeiras, logo pela manhã percorrem as ruas da cidade. Vários artigos desde vestuário, frutos, legumes, frescos e materiais de cozinha, são comercializados ao ar livre, no chão ou em bancadas para atrair os compradores.
A Administração Municipal do Andulo, no quadro das festividades, tem em agenda a inauguração de várias infras-estruturas incluindo o edifício onde vão funcionar os órgãos de comunicação social.

Jornal de Angola//Delfina Vitorino