Preparar Mais de Cinco Milhões de Hectares de Terras Aráveis em Toda Angola

Foto ANGOP

Mais de cinco milhões de hectares de terras aráveis serão preparados em todo o país, para campanha agrícola em 2018/2019, com vista a produção em grande escala de cereais, tubérculos, frutas, vegetais e oleaginosa, visando reduzir as importações
Ao avançar hoje a informação, na cidade de Porto Amboím, o director nacional para Agricultura, José Carlos Benttecourt, disse que a aposta é a produção de cereais, como milho, soja, trigo e arroz, por constituírem as culturas de bases para o desenvolvimento do país.

“Na campanha agrícola 2018/2019, o Ministério da Agricultura e Florestas propõem-se em preparar mais de cinco milhões de hectares em todo país e superar um milhão 470 mil de hectares actuais”, referiu.

Para esta campanha, as famílias camponesas, um total de um milhão e 900 mil, vão preparar 2,9 milhões de hectares manualmente, enquanto 2,1 milhões de hectares preparados e 77 mil hectares com recurso à tracção animal.


Grandes Quantidades de Arroz Produzidos na Fazenda Agro-Industrial do Longa no Cuando Cubango

Foto de Nicolau Vasco

Dois anos depois, a Fazenda Agro-Industrial do Longa, situada na comuna com o mesmo nome, no município do Cuito Cuanavale, província do Cuando Cubango, volta a produzir grandes quantidades de arroz, terminada a fase de recuperação e a compra de novos equipamentos, sementes e a preparação dos solos.

O Executivo fez um investimento de pouco mais de três milhões e 500 mil dólares americanos para o relançamento da produção de arroz em grande escala na Fazenda  Agro-Industrial do Longa, que se encontrava paralisada devido a crise económica e financeira que se instalou em Angola.
A Fazenda, que está agora a cargo do projecto de produção alimentar “Faz Angola  SA”, desde Dezembro de 2016 abrange uma área de 6.500 hectares, contra os 1.050 que eram usados anteriormente pela empresa Gesterra que geria este imponente projecto desde a sua inauguração em 2013.
O empreendimento, que custou aos Cofres do Estado cerca de 76 milhões dólares, produziu, no primeiro ano que entrou em funcionamento, um total de 4.500 toneladas de arroz, no segundo ano 4.700 toneladas e no terceiro pouco mais de 2.000 mil toneladas.


No Libolo Província do Cuanza Sul Espera-se Colheita de 450 Toneladas de Uva

Uma estimativa de 450 toneladas de uva cultivadas numa área de 30 hectares esperam-se ser colhidas na fazenda Xixila Maria Carolina, município do Libolo, província do Cuanza Sul.

Em declarações à imprensa, por oacasião da abertura da colheita, o governador provincial do Cuanza Sul, Eusébio de Brito Teixeira, adiantou que a produção de uva na província impulsiona o sector agrícola na região.

Referiu que o Cuanza- Sul possui grandes potencialidades agrícolas, por isso, todo investimento neste sector é favorável à diversificação da economia nacional.

“É preciso que haja mas investimento no sector agricola para que o país possa diversificar a sua economia e aumentar a actividade tributaria”, disse o governador.


Pólo Agrícola da Quiminha em Angola Atingirá Este Ano a Plena Produção e Iniciar Exportação Para a Europa

O Pólo Agrícola da Quiminha, considerado o maior projeto integrado de agricultura em Angola, que resulta de uma parceria público-privada, com especialistas israelenses, deverá atingir este ano a plena produção e prevendo já a exportação para a Europa.

Localizado a cerca de 50 quilómetros de Luanda, o projecto foi lançado em 2012, pelo Estado angolano, que avançou com a infraestruturação dos 5.000 hectares de cultivo, onde hoje já trabalham 600 pessoas na produção de cerca de 30.000 toneladas/ano de todo o tipo de legumes e frutas.


A Fazenda Girassol no Nzeto Província do Zaire Preparada para Exportar Hortículas Para Portugal

Fotografia:Garcia Mayatoko

A Fazenda Girassol, situada na comuna da Musserra, município do Nzeto, província do Zaire, está apostada no cultivo de hortícolas, variedades de ervas aromáticas e curcubitáceos (abóbara, melancia, melão e outros), cuja produção, além de abastecer os supermercados, restaurantes e hotéis de Luanda, é exportada para a Europa, com maior incidência para Portugal.