O Aeroporto da Catumbela em 2019 Poderá Começar a Receber Voos Internacionais

O aeroporto da Catumbela, na província de Benguela, que entrou em operação em 2012, terá condições de receber voos internacionais nos primeiros meses de 2019, garantiu quarta-feira o director da Empresa Nacional de Exploração de Aeroportos e Navegação Aérea (Enana), Armindo Chambassuco.

Falando à Angop, na sequência da visita do ministro dos Transportes, Ricardo de Abreu, àquela infra-estrutura aeroportuária, o responsável afirmou que já só falta cumprir as últimas das cinco etapas do processo para a internacionalização do terminal, nomeadamente a fiscalização, aceitação e a entrega da certificação pelo Instituto Nacional de Aviação Civil (Inavic).

Para Armindo Chambassuco, a manifestação do interesse da Enana para certificação – que ditará a internacionalização do aeroporto, e a análise dos documentos pelo Inavic, já foram ultrapassados para o aeródromo estar apto para rotas de voos internacionais.

Quanto ao estado das infra-estruturas, assegurou estarem quase todas operacionais, com destaque para a pista de três mil e 700 metros de comprimento e 45 de largura, capaz de receber em simultâneo, três aviões de grande porte como o Boeing 777-300 em horas de pico.

Apontou que, neste momento, o aeroporto da Catumbela, com uma capacidade instalada para atender 900 passageiros em hora de pico, já recebe voos noturnos, das 18h00 às 21h00, cujo benefício é visível por parte das pessoas que frequentemente usam o transporte aéreo.

Referiu, também, que a outra situação preocupante é a subida do caudal do rio Catumbela, que transborda para o perímetro do aeroporto, situação que levou o Governo Provincial de Benguela a accionar um plano para construir um dique para o desvio do leito do rio, enquanto se aguardam por outras medidas.

No entanto, o ministro dos Transportes, Ricardo de Abreu, que fez quarta-feira a sua primeira visita ao aeroporto da Catumbela, no âmbito da sua deslocação à província de Benguela para presidir ao 10º Conselho Consultivo do sector, que decorre de hoje até sexta-feira, no Lobito, mostrou-se, na ocasião, preocupado com a corrosão da rede metálica que veda o perímetro daquela importante infra-estrutura.

Sobre este aspecto, Armindo Chambassuco informou que a sua empresa está já a criar condições para acautelar a situação, evitando deste modo a entrada de possíveis animais que circulam nos arredores daquela área.

Acompanhado de técnicos seniores do seu pelouro, o ministro Ricardo de Abreu percorreu todas as instalações do aeroporto da Catumbela, tendo sido informado, entre outros assuntos, sobre o processo de embarque e desembarque de passageiros e carga, equipamentos de segurança e comunicações, como rádio ajuda de comunicação aérea.

Aeroporto projectado para 2.2 milhões de passageiros/ano

Inaugurado em Agosto de 2012, no âmbito da estratégia do Governo Angolano para o desenvolvimento aeroportuário da região Sul do país, o aeroporto da Catumbela, com vista ao mar, está localizado entre as cidades de Benguela e do Lobito, tendo uma capacidade projectada para 2.2 milhões de passageiros por ano.

Conta com centrais para o abastecimento de água, energia e de ar condicionado, elevadores, tapetes rolantes, tapetes de bagagem na área de desembarque para atender duas aeronaves de grande envergadura em simultâneo, 16 balcões para chek-in e 18 para os serviços de imigração, salas protocolares e para clientes em executiva e primeira classes e espaços para restaurante e bares.

O edifício está, ainda, equipado com sistemas de controlo de metais e de acesso, gabinetes para as companhias aéreas, chek-in informatizado e informação electrónica.

Exigências para a certificação do aeroporto da Catumbela

Para a certificação, o aeroporto da Catumbela deve ter os serviços exigidos pela Organização Internacional da Aviação Civil, como a polícia fiscal, Serviço de Migração e Estrangeiros (SME), o “flight shake”, que faz a calibragem dos equipamentos instalados e que ajudam a controlar os aviões.~

Atendendo ao seu enquadramento paisagístico e por servir de plataforma logística, devido ao Porto do Lobito e ao Caminho de Ferro Benguela (CFB), a província de Benguela é, por excelência, um destino turístico de negócios obrigatório.

Assim, os voos internacionais directos de e para Catumbela previstos para o início de 2019 serão um atractivo para incentivar a vinda de mais turistas e sobretudo potenciais investidores interessados no potencial desta região Centro do país.

ANGOP

 

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Anti-Spam * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.