Crocodilos Mataram Dezenas de Pessoas na Ilha de ChindeProvíncia Moçambicana da Zambézia

Crocodilos mataram dezenas de pessoas na ilha de Chinde, província moçambicana da Zambézia. Habitantes acusam autoridades de nada fazer para os proteger dos ataques. Governo está sem capacidade de resposta e pede ajuda.

Dezenas de pessoas têm sido atacadas por crocodilos no distrito de Chinde, a sul da província da Zambézia. Só nos últimos seis meses, 15 pessoas morreram em ataques, segundo as autoridades locais.

A população diz que os crocodilos chegam a saltar para as canoas para atacar os passageiros. “Atacam quando as pessoas vão buscar água e vão à pesca. O problema é que não há um poço para ir buscar água e nós bebemos sempre água lá no rio”, relata Inácio Costa, residente no distrito de Chinde.

João Gordinho, outro morador deste distrito, pede ajuda: “Na área de Candaia, as pessoas são atacadas quando vão à pesca e nós atravessamos outras margens para fazer machamba. Nós não temos meios e estamos a pedir ajuda ao Governo.”

Há uma grande guerra com o crocodilo

O administrador de Chinde, Pedro Vírgula, diz que tem feito o que pode para tentar pôr fim aos ataques. O problema é que há pouco peixe e demasiados crocodilos. “A população vive da pesca e o peixe está a escassear no mar. Por isso, a população tenta procurar mais locais onde encontrar peixe e isso cria guerra com os crocodilos”, explica.

“Há uma grande guerra com o crocodilo. Já recebemos duas armas, já temos caçadores, mas, mesmo assim, não estamos a conseguir. Portanto, estamos a trabalhar com alguns líderes e pessoas influentes na comunidade, para ver se nos ajudam”, conta o administrador.

Segundo o porta-voz da polícia, Sidner Lonzo, é preciso um trabalho conjunto para evitar mais mortes. “Temos de trabalhar com os líderes comunitários para sensibilizar a população, principalmente as crianças, para não se fazerem ao rio”, diz.

O administrador de Chinde, Pedro Vírgula, diz que os ataques de crocodilos atingiram uma proporção tal, que ultrapassa a capacidade de resposta do governo local. “Nas margens do rio Zambeze, há muitos ovos de crocodilo e não há uma campanha de recolha destes ovos”, lamenta.

“Já levantámos essa questão ao próprio governo provincial. Tem de haver uma campanha ou negociar-se com os países vizinhos para comprarem os ovos de crocodilo ou arranjarem algum agente económico”, sublinha o administrador, que pede a intervenção do governo provincial.

Até ao momento, a DW África não conseguiu obter uma resposta do Governo.

DW

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Anti-Spam * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.