Restrições de Energia Eléctrica no Norte de Angola Terminam Graças à Barragen de Laúca

Após a entrada em operação a 04 de Agosto de 2017 da barragem Hidroeléctrica de Laúca, em Cacuso, e o consequente aumento da produção e disponibilidade hídrica, as restrições de energia eléctrica no sistema norte do País reduziram drasticamente.

Antes da inauguração de Laúca, o sistema Norte, que compreende as províncias de Luanda, Cuanza Norte, Uíge, Cuanza Sul, Zaire, Malanje e Bengo, registava em média 16 apagões/dia, mas os investimentos feitos na construção desta barragem e na reabilitação de outras permitiram reduzir as restrições na ordem de 94 por cento.

Ao falar por ocasião do primeiro aniversário do aproveitamento hidroeléctrico de Laúca (AHL), assinalado dia quatro, o director do projecto, Elias Daniel Estevão, disse que o sistema interligado Norte tem um consumo máximo de 1500 megawatts de energia eléctrica, enquanto a produção nas três centrais hidroeléctricas existentes (Cambambe, Laúca e Capanda) é de dois mil e 692 megawatts, potência disponível que supera a demanda.

Laúca está com três das sete unidades geradoras de cada 334 MW. Quando estiver totalmente concluída Laúca terá uma capacidade nominal de dois mil e 70 megawatts.

Com uma altura de 156 metros, mil e 200 metros de comprimento e uma área de 24 mil hectares, incluindo a albufeira, a barragem tem uma central principal, com seis grupos geradores de 334 megawatts cada e uma ecológica de 65 megawatts.

O empreendimento, cujas obras iniciaram em 2012, vai beneficiar, depois de concluído, oito milhões de pessoas, das regiões norte, centro e sul do País.

O projecto de construção do aproveitamento hidroeléctrico de Laúca está avaliado em 4,5 mil milhões de dólares norte-americanos.

Actualmente Laúca conta com cerca de três mil trabalhadores entre nacionais e expatriados

(Angop)

 

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Anti-Spam * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.