Fundo da Nações Unidas Apoia Angola Com 500 Mil Dólares Para Produção de Mel

Ministério da Família e Promoção da Mulher (MINFAMU), Fundo da Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO), em parceria com o PNUD, firmaram, ontem, em Luanda, um acordo de cooperação para a implementação de um projecto-piloto de apoio à promoção da apicultura em benefício da mulher rural na região Sul do país (Cunene, numa primeira fase), no valor de USD 500 mil.

Com duração de dois anos, o projecto visa contribuir para a melhoria da segurança alimentar e nutricional, bem como fortalecer as capacidades de resiliência das populações vulneráveis e tem como objectivo principal o emponderamento das mulheres e dos jovens, que constituem 90 por cento dos beneficiários. De acordo com a ministra da Família e Promoção da Mulher, Filomena Delgado, o projecto vai arrancar nos próximos dias, tendo dito igualmente que o apoio financeiro constitui um esforço conjunto entre a FAO e o PNUD, com a contribuição do Minfamu na mobilização das comunidades, assim como a responsabilidade do acompanhamento para a formação dos beneficiários.

A governante avançou que o projecto-piloto vai ajudar a mobilizar novos financiamentos e promover a actividade da apicultura através da produção, em especial na qualidade e comercialização do mel, que vai servir como base para o programa nacional de desenvolvimento da apicultura em Angola. Avançou que, numa primeira fase, serão formadas cerca de 250 mulheres. O aumento do número de formandas, de acordo com a governante, está assegurado, uma vez que o objectivo é estender o projecto para mais três províncias do país, além do Cunene.

“No quadro dos esforços que visam o combate à fome e à pobreza, queremos alinhar estes projectos com os de desenvolvimento sustentável”, disse, reforçando: “principalmente naquilo que diz respeito à igualdade do género e a sustentabilidade económica”, realçou. Por sua vez, o representante da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) em Angola, Mamoudou Diallo, disse que o projecto é fruto de uma parceria entre o Ministério da Promoção da Família e Promoção da Mulher, a FAO e o PNUD e representa uma ilustração da qualidade exemplar da cooperação existente entre os três. Realçou que, apesar do contexto internacional difícil, a FAO e o PNUD uniram esforços no sentido de financiar o projecto, que constitui prioridade para o Ministério da Família e Promoção da Mulher.

“Este acto representa o que pode ser feito em benefício das comunidades locais e em especial para a mulher rural, num segmento tão importante como é a apicultura”, referiu o diplomata. Segundo ele, o projecto inscreve- se no âmbito da política de diversificação económica acelerada, orientada pelo Executivo angolano, com fileiras potencialmente promissoras de rápido crescimento e geração de renda para a população local, especialmente daquelas regiões mais afectadas pela seca, como é o caso do Sul de Angola. Mamoudou Diallo disse ainda que o projecto vai resultar, de seguida, num programa nacional de promoção da epicultura em Angola.

E deste modo, frisou, contribuir para o alcance dos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio para Angola. “Este é o terceiro projecto de cooperação a ser desenvolvido com o Ministério Família e Promoção da Mulher nos últimos três anos. A FAO pretende desenvolver em Angola outras iniciativas que envolvam as fileiras agrícolas catalisadoras de rendimento de fácil implementação no meio rural, como é o caso da apicultura”, avançou, sublinhando que a produção de espirulina, com o Ministério das Pescas, e da mandioca, com o Ministério da Agricultura, são outros projectos já implementados.

OPAÍS/

 

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Anti-Spam * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.