Num dos Mais Fervilhantes Bairros de Luanda Fica a Igreja de São Paulo,

Fotos de Ampe RogérioA Igreja do São Paulo é eixo central deste bairro característico de Luanda. Lugar de culto e recolhimento, de festas e orações, foi um dos templos que recebeu o Papa Bento XVI durante a sua visita a Angola em 2009.

O bairro do São Paulo é um dos mais fervilhantes de Luanda. Transição entre a cidade de asfalto e os antigos bairros de terra vermelha do Sambizanga, São Paulo é vizinho do mítico Bairro Operário e repositório de pontos icónicos de Luanda, como o seu famoso mercado.

A pautar a vida do bairro, está a sua igreja. Fica entre as ruas Comandante Bula e Garcia Neto, transversais à Avenida Cónego Manuel das Neves. À semelhança de outras igrejas de Luanda é não só centro espiritual da comunidade, mas também social. No pátio do templo organizam-se actividades desportivas e de convívios entre os jovens. Há ensaios de coros e danças, reuniões de grupos religiosos e eventos culturais. Todos os dias há missas e récitas do terço (18 horas). Há catequese, e às quintas-feiras a Adoração Eucarística.

Busto de Dom Bosco

Este conceito de Igreja-Missão está nas entranhas deste templo. A ideia de construir o complexo religioso nesta zona da cidade surgiu em 1933. Era uma missão católica clássica, com toda a intenção de evangelizar as populações dos bairros periféricos de Luanda. 1935 marcou o arranque das primeiras actividades religiosas, com a chegada das irmãs de São José de Cluny, a 10 de Junho. Neste ano também foi nomeado o primeiro pároco – nada mais, nada menos que o mítico Cónego Manuel das Neves, que ali professou até 1948. Fruto do conhecimento profundo do sentir destas gentes, os bairros de São Paulo e Operário foram fundamentais na revolta do 4 de Fevereiro, que o Cónego ajudou a arquitectar.

A partir da segunda metade dos anos 30, começou também a construção dos vários edifícios que completam a missão. O que hoje é o Salão Paroquial foi a primeira capela onde o famoso vigário-geral Monsenhor Manuel Alves da Cunha celebrava as eucaristias aos domingos. A imagem da Nossa Senhora de Fátima foi colocada no pátio (onde ainda hoje se encontra) em Julho de 1937.

Em 1948, os Capuchinhos assumiram as rédeas da missão e lançaram a primeira pedra da igreja que todos conhecemos. Onze anos depois, a 18 de Outubro de 1959, o templo foi inaugurado. Linhas sóbrias, modernas, espaços amplos e arejados para acolher o máximo possível de fiéis, à semelhança de outras igrejas construídas na periferia de Luanda nas últimas décadas da colónia, como a de Santa Ana, no Bairro Popular.

Desde 1982 que a Paróquia de São Paulo está entregue aos Salesianos de Dom Bosco. Os tempos eram de conflito, e a construção do Centro Paroquial acabou por ser interrompida. O edifício, mesmo ao lado da igreja, foi entretanto ocupado pela Conferência Episcopal de Angola e São Tomé (CEAST). Ali funciona também a Rádio Ecclesia.

O espaço é coração que bombeia vida no bairro. A importância da sua história missionária fez da Igreja de São Paulo um dos palcos da visita do Papa Bento XVI, em 2009. Honra maior para os habitantes deste bairro que leva no nome o santo que deu o primeiro baptismo à Luanda colonial.

Pompa e circunstância que nunca tirou a humildade deste espaço de recolhimento, perfeito para uma paragem durante a correria do dia-a-dia. Nessas alturas em que o que mais precisamos são uns minutos de silêncio, a Igreja de São Paulo é oásis de portas abertas onde a paz e a tranquilidade imperam.

Rede Angola/Pedro Cardoso

 

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Anti-Spam * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.