Bill Gates Prometeu Doar Pelo Menos 100 Mil Galinhas à População Africana

 

 

 

 

 

 

 

                           Foto Michael Gottschalk

Bill Gates, um dos homens mais ricos do mundo, lançou uma nova campanha, no mínimo curiosa, com a qual pretende ajudar famílias que vivem abaixo da linha da pobreza na África subsaariana. A ideia do cofundador da Microsoft, explica a BBC, é doar galinhas à região. Segundo o magnata, conhecido pelos seus trabalhos de cariz social, criar e vender os frangos pode ser uma forma eficiente de combater a pobreza.

A promessa de Gates é doar pelo menos 100 mil galinhas à população africana. E a página do projeto na internet já foi compartilhada milhares de vezes.

Segundo o bilionário, um fazendeiro que crie cinco galinhas pode ganhar mais de mil dólares por ano. A linha da pobreza é definida por um rendimento um pouco abaixo disso – 700 dólares anuais.

Gates explicou ainda que o objetivo é levar pelo menos 30% das famílias rurais da África subsaariana a criarem as melhores raças de galinhas vacinadas – sendo que atualmente essa percentagem não ultrapassa os 5%.

A ideia parece simples e eficaz, mas alguns analistas mostram reservas. Matthew Davies, editor de negócios da BBC África, reconhece a nobreza do gesto de Bill Gates, mas revela muitas dúvidas. Segundo diz, à medida que a população de galinhas aumentar nascerá um outro problema: como alimentá-las? Será necessário disponibilizar mais terra arável para cultivar alimentos para elas?

Além disso, com mais frangos no mercado, a lógica simples da oferta e da procura sugere que a média do preço de uma galinha tende a cair, explica Davies. E, depois, ainda há a questão do dumping. Por exemplo: os Estados Unidos, a União Europeia e o Brasil são acusados de vender frangos ao mercado africano a preços bem mais baixos do que os praticados pelos fazendeiros locais, o que acaba por ter um efeito perverso nas vendas locais.

Ainda assim, Davies sublinha que a estratégia de Bill Gates não está fadada ao fracasso e que vale sempre a pena tentar, já que há hipóteses de sucesso (ainda que reduzidas).

«Os céticos e os pessimistas vão sempre criticar, mas uma coisa é certa: quando se trata de ajudar a combater a pobreza em África, ninguém pode dizer que Bill Gates não faz nada», frisa Davies.

No lançamento da campanha, em Nova Iorque, Gates disse, cita a BBC: «Estas galinhas vão reproduzir-se de maneira contínua. Por isso, não há investimento que tenha uma percentagem de retorno maior do que ser capaz de as criar».

O multibilionário, que deixou os destinos da Microsoft e hoje em dia se dedica a causas humanitárias, está a promover esta campanha em parceria com a organização de beneficência Heifer International.

Estimativas da ONU dizem que 41% das pessoas que moram na África subsaariana vivem em condições precárias, abaixo do nível da pobreza.

África 21 online

 

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Anti-Spam * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.