O Município da Conda na Província do Cuanza-Sul Está a Crescer nos Vários Domínios Sócioeconómicosa

Fernando Barbosa Fonseca, Administrador Municipal da Conda – Foto Angop

Fernando Barbosa FonsecaO município da Conda, um dos 12 municípios da província do Kwanza-Sul, está a crescer, nos vários domínios da vida sócioeconómica, devido aos projectos executados, no âmbito do Programa Integrado de Combate à Pobreza e outro dos cuidados primários de saúde.

Em declaraçoes hoje à Angop, o administrador municipal, Fernando Barbosa Fonseca, adiantou que a reabilitação das principais estradas que ligam a sede do município com o municipio do Amboim do Úko-Seles, constitui a mola impulsionadora para as trocas comerciais e o relançamento da actividade pela classe empresarial que opera na região.

Na mesma vertente, destacou as obras em curso, de reabilitação da estrada que liga a sede municipal à comuna do Cunjo, num troço de 36 quilómetros, como um dos maiores ganhos, tendo em conta o seu petencial agro-pecuário.

Acrescentou que o rítmo das obras apontam que até em 2017, o município vai estar ligado por estradas reabilitadas.

Disse que as autoridades e habitantes do município aguardam com ansiedade pela implementação do projecto de construção da linha de baixa tensão a partir da substação electrica da Gabela, já aprovado pelas autoridades competentes. O seu arranque preve-se para ospróximos tempos, o que é considerado como um dos maiores ganhos para se pensar na agro-indústria e outros projectos que possam alavancar o desenvolvimento do município.

Segundo o administrador municipal da Conda, é o momento propício para os investidores nacionais e estrangeiros aplicarem os seus recursos para desenvolver a região e garantiu o total apoio da administração para com os potenciais investidores.

Leia Mais

“Estamos abertos para qualquer iniciativa que concorra para o desenvolvimento do nosso município e porque as potencialidades da região são enormes”, assegurou Fernando Fonseca, tendo apontado os minerais como o quartzo, o ouro e outros como sendo os que clamam por investimentos para a sua exploração.

Salientou que o relançamento da produção do café é outra aposta que precisa de investimentos e sublinhou que “depois de 38 anos, desde o alcance da independência, os cafeicultores estão a assistir o “dinheiro pendurado nos cafezais, por falta de recursos”.

De acordo com Fernando Barbosa Fonseca, no município da Conda estão cadastradas 83 fazendas médias e 52 outras, vocacionadas para a produção do café, mas grande parte delas não funcionam como desejado, por falta de recuros de seus proprietários.

Os projectos sociais em curso e outros já concluídos, executados no quadro do Programa Municipal Integrado de Desenvolvimento Rural e Combate à Pobreza e dos Cuidados Primários de Saúde, incidiram na construção e reabilitação de infraestruturas escolares e sanitárias e que responderam as necessidades das comunidades.

Dentre as acções desenvolvidas no aludido programa, o administrador da Conda destacou a construção de um sistema de cadeia de frio, consultório e laboratório na sede municipal, bem como da construção dos postos de saúde nas localidades de Hanga, Gumba, Caúje, Limba, Munguanda, Dele, Tocota e na comuna do Cunjo.

As acções enquadradas no Programa Municipal Integrado de Desenvolvimento Rural e Combate à Pobreza ao nível do município consistiram na construção de 20 casas evolutivas e uma escola com quatro salas na sede da comuna do Cunjo, ampliação com mais quatro salas da escola do I ciclo nº138 na sede municipal, ampliação da sede administrativa do município, aquisição do equipamento para a reabilitação da Eta da sede municipal, construção dos sistemas de abastecimento de água potável nas localidades de Chiaca, Canene, Imbungú, Arianga, Anguna, Cumbira e outras.

Fernando Barbosa Fonseca considera-se uma pessoa alegre e disse ao Jornal de Angola que conduz o município com tranquilidade e segurança, porque o árduo trabalho desenvolvido nos diversos sectores está a dar resultados visíveis e ao mesmo tempo, as populações começam a sentir o impacto das acções executadas pela administração local.

Turismo

As potencialidades turísticas do município da Conda são invejáveis e falta o restauro para gerarem riqueza e empregos. Apesar do fraco investimento neste sector, muitos turistas nacionais e estrangeiros afluiram locais como as das Cachoeiras do Binga, Tocota e Piscina municipal.

Saúde e educação

Os sectores da Saúde e da Educação do muunicípio da Conda conheceram melhorias, nos últimos tempos, fruto dos esforços da Administração Municipal e do Governo da Província do Kwanza Sul, embora prevaleçam condicionalismos de ordem conjuntural.

A rede sanitária compreende 30 unidades, sendo um hospital municipal, com 76 camas, um centro materno, com 30 camas, dois centros médicos, 26 postos de saúde e um corpo clínico composto por três médicos, 48 enfermeiros, um técnico de laboratório e pessoal auxiliares.

As principais doenças na região são a malária, doenças diarreicas e respiratórias agudas, , entre outras.

A rede escolar é, actualmente composta por 29 escolas, das quais 27 do ensino primário e uma do I e II ciclos. Destas escolas que o município possui, beneficiam com a merenda escolar quatro escolas.

Para o presente ano lectivo foram matriculados 19 mil e 937 alunos de iniciação à 12ª classe e com 598 professores efectivos.

O município da Conda tem uma superfície de 2.090 quilómetros quadrados e tem uma população estimada em 76.942 habitantes. Administrativamente está dividido por duas comunas, sendo a sede e a do Cunjo e duas áreas administrativas, nomeadamente, Assango II e Jombe.

Angop

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Anti-Spam * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.