Em Moçambique, Festival Internacional de Artes UMOJ Com Destaque para Stewart Sukuma

Caiu o pano sobre a sétima edição do festival internacional de artes UMOJA, no qual participaram oito países de África e Europa, nomeadamente, Noruega, Etiópia, Quénia, Uganda, Tanzania, Zimbabwe, África do Sul e Moçambique (que foi o país anfitrião). Stewart Sukuma actuou no sábado e foi a principal atracção.

Como tem sido hábito, uma vez por ano, a Praça da Independência acolhe centenas de artistas das mais variadas áreas, como dança, música, acrobacia, circo e artes plásticas, representando uma verdadeira grandeza multicultural.

A abertura oficial do festival arrancou com uma exposição colectiva dos estudantes do Instituto Superior de Artes e Cultura (uma das principais parceiras do UMOJA). Victor Sala, um dos docentes daquela instituição cultural, disse tratar-se de uma “oportunidade ímpar, onde é possível trocar experiências entre os artistas, constituindo o principal trampolim para elevar as artes ao mais alto nível, numa altura em que a cidade das acácias celebra 125 anos”.

Sexta-feira passada, Denny Ripanga, Carolla Kinasha e Big Sam, apresentadores de Moçambique, Tanzania e Uganda, respectivamente, tiveram a responsabilidade de animar o público presente, que desde o primeiro minuto não se afastou do local, aplaudindo efusivamente a turma moçambicana e parte dos convidados.

O principal destaque foi para o embaixador e anfitrião Stewart Sukuma, acompanhado pela prestigiante banda Nkuvu, que conseguiu manter alta a adrenalina do princípio ao fim da performance. As vozes de Sizaquel e Sandra (coristas) desempenharam igualmente um importante papel, encantando e seduzindo os corações masculinos.

O tom multicolor dos elementos da sua banda, onde se destacava o vermelho, complementou também a indumentária de Sukuma, que foi vestido a rigor, tendo por base a capulana, aliás, um aspecto que evidenciou o trabalho da alta costura de Iris Margarida Santos, sua estilista de eleição.

Vários estilos no palco

O festival abriu com excelente som e as actuações de Lourena Nhate (que actuou em play-back, para o desagrado do público), Oliver Style, H20, banda Kakana, Liloca, Wazimbo, João Bata, Hermínio, Dany Og, Valdemiro José e a sua banda (conseguiram reanimar o público), Mimãe, Dionísio, o baterista e líder da banda Jaaka (sempre em alta), Xidiminguana e a sua banda (muito aplaudidos e acarinhados pelo público).

O apresentador de televisão Osvaldo Caetano, que surgiu depois de muitos anos fora dos palcos, Miss Zav, o produtor beirense Slowly e Mr Bow, cada um à sua maneira, fizeram de tudo para conquistar aplausos dos espectadores.

Leia Mais

A elevar a cultura zimbabweana, a consagrada cantora Dudu Manhonga entrou em grande estilo, interpretando sons do género afro-jazz, diferente dos ritmos mais comuns. Potente na voz e em palco, Dudu cantou e encantou, tendo voltado ao palco mais tarde, para actuar com Stewart e a tanzaniana Carolla, apresentadora e também especialista no canto.

Do Quénia, a pequena Asali Msanil foi uma das vozes que também soube cativar a plateia. Da Noruega, Didrick Benedicte, na sua simplicidade e muito firme na responsabilidade incumbida, mostrou o seu potencial vocal. A interpretação da música “Time to say goodbye”, do compositor italiano Andrea Bocelli, fez multiplicarem-se os abraços entre os casais presentes no público, balançando calmamente mediante a sonoridade romântica que enchia o local. Não tardou que a audiência aplaudisse de forma sonora, pedindo “bis”.

Os acrobatas de circo foram outra das atracções da festa do UMOJA. Desta vez, foram os etíopes nervosos a entrarem em cena. A exibição começou com uma dupla de acrobatas, um dos quais com menos 10 anos. Os interessantes momentos exibidos deixaram os presentes perplexos e alguns até apreensivos. Houve até espectadores que disseram estar com os corações nas mãos, tendo em conta os movimentos arriscados. Esta foi mesmo uma das maiores atracções para os presentes, com aplausos constantes.

Por fim, chegou o momento anunciado pelos três apresentadores: a entrada da cantora sul-africana Zahara, outra das actuações mais aguardada do festival. No seu passear de classe, a artista conseguiu convencer os seus fãs, que não paravam de acompanhá-la nos coros das suas canções.

A figura UMOJA 2012

Anualmente, o mega-festival homenageia uma ou mais celebridades, e este ano não fugiu à regra. Tove Bruvik, embaixadora da Noruega, e David Simango, presidente do Município de Maputo, foram os responsáveis pela entrega do troféu ao compositor/intérprete moçambicano Dilon Djindji.

Segundo Tove Bruvik, “constitui sempre um prazer promover este mega-evento, em parceria com o Município de Maputo, e este ano com a particularidade do ingresso do Instituto Superior de Artes e Cultura”. A embaixadora disse estar “feliz, por encerrar com chave de ouro” e deixou a promessa: “Para o ano, com a ajuda dos parceiros, nomeadamente o ISARC e o Município de Maputo, cá estaremos novamente com outras grandes atracções artísticas”.

Já David Simango, presidente do Município de Maputo, confirmou que a missão foi cumprida e que agora resta aguardar pela celebração dos 125 anos da cidade das acácias. “Há semanas que estamos a promover inúmeras actividades culturais, incluindo a festa do batuque, e dentro de dias vamos receber nesta praça um vasto leque de nomes famosos da canção angolana, como a manutenção dos laços bilaterais de cooperação de longa data entre Moçambique e Angola, disse Simango.

Já no domingo, a festa foi para a pequenada no Parque dos Continuadores, sob a direcção do apresentador televisivo Didinho Caetano. Do festim Umoja Moçambique, fizeram parte a Umoja RSA, Umoja Zimbabwe, Umoja Noruega, Circo Umoja, Xindirinho e escola de Música de Ximbuwewe. Todos eles tiveram a responsabilidade acrescida de animar a criançada ávida por diversão.

Questionado pelos jornalistas, Rufus Maculuve, um dos coordenadores do festival, confessou estar satisfeito, pelo facto de ter conseguido cumprir a meta. “Este ano, conseguimos estabelecer parceria com o Instituto Superior de Artes e Cultura e contámos, pela primeira vez, com a presença do presidente do Município de Maputo, num evento que se associa aos 125 anos da cidade.

O País Online

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *


7 − 6 =

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>