Investir no Sector Industrial da Província do Kwanza-Sul

 

O director provincial da Indústria e Geologia e Minas no Kwanza-Sul, Pedro Firmino, exortou os empresários nacionais e estrangeiros a investirem no sector industrial da província, por existirem condições propícias para o efeito.
Pedro Firmino disse que apesar das potencialidades da região, a província dispõe de poucas indústrias. Referiu que vários projectos estão a ser implementados pelo sector privado no ramo industrial, estando agora em fase de conclusão a construção das fábricas de cimento no Cuacra e de calcário, entre outras iniciativas. “Estes investimentos vão proporcionar emprego a vários jovens, bem como a arrecadação de mais receitas públicas”, disse o director.
Quanto às pequenas e médias indústrias que foram redimensionadas e se encontram paralisadas, referiu que a direcção da Indústria e Geologia e Minas está a sensibilizar os proprietários para investirem nas mesmas ou buscarem parcerias, de modo a não perderem os empreendimentos. Actualmente, a província do Kwanza-Sul tem 55 pequenas e médias indústrias em funcionamento.

Expansão da rede da Movicel

A operadora de telemóveis (Movicel) inaugurou esta semana duas novas lojas padronizadas na cidade do Sumbe, sendo uma no centro urbano e a outra no bairro E-15, com o objectivo de expandir e aproximar os seus serviços. Com as duas lojas inauguradas, a Movicel passa a contar, a nível da província do Kwanza-Sul, com dez lojas comerciais, um número que vai aumentar com a abertura de duas lojas na sede municipal do Seles e de uma outra na localidade de Pinda, no Sumbe.

Entre os produtos expostos nas lojas comerciais da operadora Movicel, destacam-se telefones e cartões de recargas, computadores portáteis e outros acessórios. O chefe de departamento regional centro/norte da Movicel, Bernardo Januário, salientou que a intenção da operadora é abrir representações em todos os municípios, para aproximar os seus serviços aos clientes, o que, por sua vez, vai permitir a comunicação nas vertentes comerciais e familiares. O responsável, que não precisou os custos empregues nas novas infra-estruturas, informou que foram criados oito novos postos de trabalho e apelou aos jovens empreendedores que queiram investir no ramo das telecomunicações, a recorrerem aos programas de apoio à iniciativa privada da Movicel.

Leia Mais


Novas Subestações de Energia Eléctrica em Luanda

 

O ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, visitou ontem as obras de reabilitação e construção de novas subestações de energia eléctrica em Luanda.
Visivelmente animado com o que viu, especialmente na Central Térmica do Cazenga, João Baptista Borges pôde avaliar o andamento das obras.
O ministro visitou ainda a Central Térmica da Samba, com capacidade para 40 megaWatts e que está em fase de construção, a do Morro Bento, com 40 megaWatts, e a Central do Benfica, com 40 megaWatts, que funciona com a Central Térmica da Agreco, com 14 megaWatts.
O ministro visitou também a Central Térmica de Viana do Quilómetro 9 em fase de construção, com uma capacidade de 40 megaWatts, a subestação do Cazenga, a cargo da ENE (Empresa Nacional de Electricidade), com capacidade para 220/60 quiloWatts, e da EDEL, com capacidade de 60/15 quiloWatts.
João Baptista Borges visitou igualmente a central térmica do Cazenga, cujas turbinas 1, 2 e 3 estão a ser reabilitadas.
O presidente do Conselho de Administração da ENE, José Neves, lembrou que as restrições no fornecimento de energia eléctrica fazem-se sentir devido ao baixo nível da albufeira da barragem de Capanda. Os projectos em curso, esclareceu, são de produção e de transporte de energia eléctrica e visam mitigar o impacto das restrições que se têm verificado.
O PCA da ENE informou que a subestação da ENE no Cazenga, com capacidade para 220/60 quiloWatts, vai beneficiar não apenas os moradores do município, mas também os habitantes dos bairros Palanca e Popular.
José Neves anunciou também a entrada em funcionamento, para a próxima quinta-feira, 4 de Outubro, da central térmica do Benfica. A construção, fornecimento e montagem da subestação de 220 kiloWatts, localizada no Cazenga, é da responsabilidade da ENE e será alimentada pela subestação principal de Viana, que, por sua vez, vai alimentar algumas subestações a cargo da EDEL.

Leia Mais


Atravessando a Fronteira de Angola em Santa Clara, Cunene




O Bengo em Imagens



Veja Mais


Fotos de Uma Passagem Pelo Bailundo