Reabilitação do Cristo Rei no Lubango

A ministra da Cultura, Rosa Cruz e Silva, anunciou no sábado, no Lubango, o início em Abril da reabilitação do monumento histórico “Cristo Rei”, um dos principais cartões de visitas da capital da Huíla.
Em declarações à imprensa, no final de uma actividade religiosa, a governante referiu que a recuperação do monumento vai incidir, numa primeira fase, na parte superior, como os braços, que se encontram com os dedos danificados e o rosto.
Rosa Cruz e Silva afirmou que a obra necessita de uma reabilitação de especialidade, enquadrada no programa de preservação das estruturas e espaços históricos no país.
“O conserto da estátua vai precisar de perícia por causa da complexidade por parte das suas estruturas que estão degradadas: o nariz, dedos, vestes e outras partes sensíveis corroídas pela erosão e que devem ser concertadas por técnicos especializados em preservação de monumentos”. Pretende-se, com esta recuperação, devolver a mística que a estátua teve no passado, de modo a atrair turismo à cidade do Lubango, e preservar uma das maiores atracções culturais da região.
A estátua do Cristo Rei foi construída na década de 1960, pelos antigos colonos da região da Madeira (Portugal) e tem cerca de 30 metros de altura.
O Cristo Rei salta à vista de quem chega à capital da Huíla e o monumento foi erguido na década de 60 pela colónia de madeirenses que um dia subiram do deserto até à serra. O tempo arruinou a escultura, que apresenta várias partes corroídas pelo vento.
Há três anos, o governo da província da Huíla investiu na recuperação parcial do monumento que compõe o acervo turístico do Lubango, com a reposição do sistema de vedação, iluminação, pavimentação do pátio e altar.

Inaugurada paróquia

Uma paróquia da Igreja Católica baptizada como “Nossa Senhora da Muxima” foi inaugurada no sábado, no sector do Toco,  município do Lubango, província da Huíla, pela ministra da Cultura, Rosa Cruz e Silva.
Orçado em cerca de um milhão de dólares, a paróquia, com capacidade para 400 pessoas, comporta, entre outros compartimentos, residência para os missionários e uma sacristia.
Na ocasião, o governador provincial da Huíla, Isaac dos Anjos, considerou que a igreja é a casa dos missionários e vai permitir que a comunidade do Toco conheça a palavra de Deus.

Leia Mais
Isaac dos Anjos acrescentou que a Igreja Católica sempre foi parceira do governo. Mesmo no período do conflito armado, esteve sempre presente no apoio a acções, tanto na formação do homem, como na moralização da consciência dos angolanos. Por sua vez, o arcebispo do Lubango, dom Gabriel Mbilingui, reiterou que a paróquia é um motivo de satisfação e orgulho.
Assistiram ao acto, o governador da Huíla, Isaac dos Anjos, a ministra da Cultura, Rosa Cruz e Silva, o ministro dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria, Kundy Paihama, o arcebispo do Lubango, Gabriel Mbilingui, o Bispo emérito, Zacarias Kamuenho, e o embaixador de Angola em Portugal, Marcos Barrica.

Jornal de Angola

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Anti-Spam * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.