Fim de Semana em Luanda na Ilha do Mussulo

Ver Mais


Povoações da Huíla Com Melhores Condições de vVida

Escola, posto de saúde, sistema de água potável e energia eléctrica estão agora mais próximos das populações das zonas rurais, graças aos equipamentos que estão a ser alvo de sucessivas inaugurações e abertura ao público. No segundo semestre deste ano, as terras da Chela tornaram-se um imenso estaleiro. Os resultados estão agora à vista.
O modo de vida das famílias residentes nas sedes municipais, comunais e povoações da Huíla registou, este ano, melhorias substanciais com a abertura ao público de novos equipamentos de impacto socioeconómico, erguidos através da execução do Programa Municipal Integrado de Desenvolvimento Rural e Combate à Pobreza.
Os novos empreendimentos, construídos em períodos de 150 a 180 dias por empresas locais, dão maior eficácia e eficiência ao serviço público, principalmente nos sectores da saúde, educação, energia e águas, comércio, desporto, cultura e sanidade animal.
A conclusão com êxito das 248 empreitadas prescritas no Programa Municipal Integrado de Desenvolvimento Rural e Combate à Pobreza levaram as autoridades da província a percorrer cidades, vilas, zonas recônditas da Huíla, para proceder a sucessivas inaugurações. O governador provincial da Huíla, Isaac dos Anjos, referiu, nos cumprimentos da praxe, que as obras, executadas com qualidade e dentro dos prazos contratuais, custaram ao Executivo mais de dois milhões de kwanzas.
As oportunidades oferecidas pelo programa permitiram o surgimento de uma nova classe empresarial nos municípios. Os empresários do ramo da construção civil e fornecedores devem, segundo o governador, aperfeiçoar o seu sistema de organização, para apresentarem melhores propostas para as obras previstas para 2012, com os 280 concursos públicos marcadas para o mês de Janeiro e que fazem parte do Programa Municipal Integrado de Desenvolvimento Rural e de Combate à Pobreza.
Aos administradores municipais, Isaac dos Anjos pediu para observarem, com rigor, a Lei da contratação pública e da probidade administrativa e terem a responsabilidade do acompanhamento dos processos de abertura dos concursos públicos e da conclusão das obras nos prazos previstos.

Ler Mais


Em Moçambique Renamo Pretende Governo de Transição

«Pretendemos realizar a revolução popular para dissolver a Assembleia da República, o Governo e todas a autarquias do País», afirmou Afonso Dhlakama, líder da Renamo, em declarações à PNN.
As referidas manifestações proclamadas pelo líder da Renamo, Afonso Dhlakama, pretendem, segundo ele, desalojar o actual Executivo e criar um Governo de transição em Moçambique.
Afonso Dhlakama, que esteve na província central de Manica, veio a público manifestar o início das referidas manifestações, através de um seminário dirigido a delegados políticos e ex-militares da Renamo.
Sem avançar datas, o político explicou a forma como os seus seguidores se devem comportar durante as manifestações. Deu a conhecer que a Renamo já preparou homens armados que irão proteger dirigentes e membros do seu partido.
Dados divulgados na mensagem lida pelos desmobilizados de guerra de destabilização, que durou cerca de 16 anos em Moçambique, revelam a prontidão em apoiar a iniciativa do líder da perdiz.
Afonso Dhlakama revelou que homens armados já se encontram distribuídos por todas as províncias do Centro e Norte de Moçambique. Trata se de antigos combatentes e desmobilizados de guerra de destabilização.
«Pretendemos dissolver todos os órgãos criados pelo Governo do dia, nomeadamente a Assembleia da República, o próprio Governo e autarquias, tendo em conta que as mesmas foram criadas em resultado de votos que a Frelimo roubou. Tenho homens e armas para responder a provocações da Frelimo e derrubá-la», declarou Anfonso Dhlakama.
A Comissão Nacional de Eleições (CNE) e Secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE) são, entre outras, instituições a serem atacadas pela Renamo no período das manifestações.

Ler Mais


Em Luanda, Literatura Música e Flmes Infantis

Escritores infantis, produtores e promotores de espectáculos, músicos infantis, editores discográficos professores, entre outras individualidades convidadas para o evento garantem uma diversidade de atractivos, desde de títulos infantis, cadernos para colorir, tabuada, contos, interpretação de textos, lançamento de livros e discos, autógrafos e jogos de psicomotora.
A abertura oficial do certame coube à escritora infantil, Cremilda de Lima, prosseguindo com uma visita guiada aos diferentes stands, o mini-concerto acústico com violão proporcionado por Vitória Pereira e culminou com a exibição do filme “A Princesa e o gnomo”, Trata-se de uma excelente película para crianças, onde a magia e suspende formam o enredo desta fantástica fábula infantil. O certame com duração de cinco dias, divide-se em três momentos especiais e conta desde terça-feira com animação diária de Alice Berenguel, a famosa Avochiminha. O certame é um projecto cultural, de média dimensão, de apoio e promoção do livro infanto-juvenil, e da globalidade das manifestações literárias, para ofertas no período natalício.
Sessão de leitura de histórias e arte da plasticina O certame complementa ainda no seu cronograma, o ciclo de comunicação literária e musical, de modo a contribuir para o aumento e promoção do hábito de leitura e, consequentemente, do debate à volta das questões que se relacionam com a produção do livro, do disco, das artes do espectáculo, focalizada no entretenimento infantil.
Inclui igualmente, na sua programação, uma série de concertos de música infanto-juvenil, com nomes consagrados da música deste género, e a sua realização está a cargo da editora ArteViva, edições e eventos culturais e Alice Berenguel com apoio de instituições públicas e empresas privadas, interessadas na concretização do projecto.
Assim sendo, os dias 23 e 24, hoje e amanhã sábado portanto, reservamse à dois Mega-concerto, na grande Plateia do hall ora referenciado.
A animação diária contempla ainda na sua agenda, a tradicional roda com cantigas nacionais, a viva voz, acompanhada de arte gestual e percussão.

A animadora vai recordar, entre outros temas, as canções: “Margarida Morena, “Casa muito engraçada”, e “Salalé”, concluindo assim o primeiro momento da animação. Nesta óptica, o segundo momento será dedicado ao conto de histórias infantis com carácter pedagógico.
Concluído o espaço de histórias, seguir-se-á a ilustração de desenhos pelas crianças com idades dos 3 aos 12, com lápis e plasticina, em simultâneo, com um momento de travalíngua sequencial.
O terceiro momento será preenchido, na sua primeira etapa, com o “jogo passa a bola”, sendo a segunda constituída por singelos exercícios de linguística para formar a frase “Leituras no teu cabaz de natal “. Seguindo a quarta etapa de premiação do grupo que melhor se na pintura de rosto, terminando a sessão com o “show infantil de variedades”, que será preenchido com danças e muita música.

Ler Mais


Peritos da UNESCO em Mbanza Kongo

Uma equipa de peritos da UNESCO que se deslocou à cidade de Mbanza Kongo manifestou-se regozijado quanto às primeiras descobertas no domínio arqueológicos, tidas há duas semanas naquela localidade.
O material arqueológico, que data do primeiro milénio ao século XV, é mais uma das provas de que o processo de inscrição desta cidade na lista do património mundial está a caminhar bem.
A coordenadora do projecto, Sónia António, explicou que o referido material foi encontrado na sequência do acompanhamento do trabalho das infra-estruturas integradas do Ministério do Urbanismo e Construção, em local já intervencionado por uma empresa chinesa encarregue pelas obras de reabilitação das ruas desta cidade.
A responsável revelou que foi descoberto um depósito contendo peças de cerâmica, que se presume ser da idade de ferro, assim como outro material como sementes de palmeira e carvões minerais.
A especialista, que também é funcionária do Instituto Nacional do Património Cultural, esclareceu que a equipa por si coordenada, encarregue das escavações, está já a fazer o trabalho de laboratório envolvendo lavagem, remontagem e desenhos, para a posterior caracterização tipológica dos depósitos para se apurar com mais precisão a cultura a que pertencem.
Ainda de acordo com Sónia Domingos, será necessária a realização de um teste conhecido como “datação do carbono catorze”, para se certificar as actuais suposições. Salientou ainda, que o referido material arqueológico prova claramente que M’banza Kongo era já habitada há muito mais tempo, antes da chegada dos portugueses.
Sónia da Silva Domingos acrescentou que tal descoberta é fundamental para que a Unesco exiga na conformação do dossier de candidatura de Mbanza Congo a património mundial.
As escavações arqueológicas decorrem há cerca de um mês numa zona antiga e delimitada da cidade de Mbanza Congo, tida como área de protecção, que se estende por mais de 50 hectares.
Estas pesquisas visam encontrar as provas arqueológicas que o comité do património mundial, com sede em Paris (França), necessita e que provem que esta localidade tem um valor universal excepcional.
O projecto “Mbanza Congo, cidade a desenterrar para preservar” foi lançado em 2007 pelo Ministério da Cultura, com a realização da mesa redonda internacional na cidade.

O País