Estruturação dos Projectos Mineiros de Kassinga e Kassala Kitungo

Os projectos mineiro e siderúrgico de Kassinga, província da Huíla, e Kassala Kitungo, províncias do Kwanza-Norte e Malange, estão em vias de estruturação para que, em 2013, possam pôr no mercado nacional e internacional matéria-prima suficiente para a produção de ferro e outros derivados, com vista à diversificação das fontes de financiamento do Orçamento Geral do Estado.
De acordo com o presidente do Conselho de Administração da Ferrangol, Diamantino Pedro de Azevedo, a instituição pública que dirige, que é titular dos direitos mineiros de ferro e manganês de alguns pólos nacionais, tem por objectivos a dinamização e implementação de projectos integrados de prospecção pesquisa e exploração destes minerais, de forma a permitir o desenvolvimento sustentável da indústria mineiro-siderúrgica e outras conexas, bem como a construção e reconstrução de infra-estruturas básicas nas áreas de implementação dos projectos.
Sendo Angola detentora de um potencial geológico promissor, a diversificação da actividade da empresa vai estender-se a outros minerais metálicos, com o ouro a evidenciar-se nas linhas mestras da Ferrangol (Empresas Nacional de Ferro de Angola), a partir do projecto M’popo, onde já decorrem trabalhos de prospecção, para que o mesmo possa também colocar matéria-prima no mercado dentro dos próximos dois anos. Entre o potencial geológico angolano, sobressaem jazigos de diamantes, ferro, manganês, ouro, cobre, chumbo, metais básicos, diversos minerais industriais e agrominerais, além de fortes indícios da ocorrência de outros importantes minerais.

Para as actuais intenções, a Ferrangol vai intervir na Huíla numa mina que tem reservas provadas avaliadas em 400 milhões de toneladas de minério de ferro, no jazigo de Cateruca, e de outros 35 milhões de toneladas nos jazigos de Mussessa, Osse, Indungo, Cassongue e Gombe, ainda que estudos preliminares revelem um potencial de mais de 4,2 mil milhões de toneladas de minério de ferro em Cassinga. Na área de Kassala Kitungo, que circunscreve as províncias de Kwanza-Norte e Malange, as reservas provadas atingem 300 milhões de toneladas de minério de ferro e cinco milhões de toneladas de manganês.Note-se que nas áreas em que a Ferrangol se dispôs a investir, a empresa conta já com duas parcerias – AEMR e Somepa, associadas nas quais detém 30 por cento de participação –, além das indicações que dão como certa a operacionalização da Ferrangol P&P (Pesquisa e Produção), no quadro da estratégia empresarial traçada.
A Ferrangol – EP iniciou as suas actividades em 2006, tendo-se empenhado bastante na preparação de importantes projectos caucionados pelo Executivo. No quadro da inauguração da sede da empresa, os ministros da Economia, Abraão Gorgel, e da Geologia, Minas e Indústria, Joaquim David, visitaram o edifício-sede, construído de raiz, localizado na zona de Talatona.

Armando Estrela/Jornal de Angola

 

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *


+ 7 = 10

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>