Máquinas Já Rasgam a Estrada de Marimba


Jornal de Angola-As obras de melhoramento da estrada que liga Malanje e Marimba ficam concluídas dentro de 18 meses, revelou ao Jornal de Angola, o director provincial do Instituto Nacional de Estradas de Angola (INEA) Eliseu Cachimbombo.
Quando isso acontecer, disse, os “benefícios serão enormes, já que há condições de permuta cultural entre regiões e maior movimentação de pessoas entre o país e a vizinha República Democrática do Congo”.
Eliseu Cachimbombo afirmou que, numa primeira fase, o Instituto Nacional de Estradas de Angola (INEA) deu instruções para serem feitas obras preliminares que permitam a circulação de trânsito. Posteriormente, acrescentou, vai ser feita a pavimentação, que consiste em tapar buracos e no nivelamento do troço.
Manuel Nogueira, director da “Constru-Via”, empresa de direito e de capital angolano, uma das duas responsáveis pela obra, confirmou que a conclusão dos trabalhos de beneficiação “pode ocorrer num período de 18 meses”.
Quanto à estrutura do pavimento, tendo em conta o relevo e a geografia da área, o empreiteiro estima que as quantidades de material a serem utilizadas na terraplanagem sejam superiores às inicialmente previstas.
Face à eventual utilização da via por camiões pesados vai haver necessidade de se reforçarem as características inicialmente concebidas para a sua estruturação. Isso só é possível com a aplicação de solos seleccionados na base da estrada que está a ser rasgada pelas máquinas das empreiteiras. “Pelo tráfego pesado que se estima venha a afluir, há a necessidade de se projectar a pavimentação para estas características. Normalmente, as nossas estradas são projectadas para o tráfego pesado”, disse o director provincial do Instituto de Estradas, Eliseu Cachimbombo.
António Quipassa, administrador comunal de Cambo Sunginge, manifestou-se preocupado com a falta de pontes, tendo sido esclarecido pelo director provincial do INEA que devido à emergência das obras de reparação, as pontes definitivas não estão contempladas no projecto. “Vamos optar, numa primeira fase, por pontes metálicas provisórias, que são utilizadas nas várias vias do nosso país”, referiu Eliseu Cachimbombo.

Enormes vantagens
com a reparação da via

O director provincial do INEA referiu, ainda, ao Jornal de Angola, as “enormes vantagens que podem advir da reabilitação da via”, que liga Malanje a Marimba, passando pelos municípios de Kiwaba Nzoji e Caombo.
Os três municípios têm vivido um grande isolamento por falta de acessibilidades. As trocas comerciais são difíceis e há problemas ao nível da educação e da saúde.
Kiwaba Nzoji, Caombo e Marimba são os municípios da província com mais carências ao nível das infra-estruturas básicas. Com a estrada vai ser possível dar mais expressão ao comércio e ao escoamento dos produtos agrícolas. As crianças que hoje estão fora do sistema público de ensino vão ter mais professores e os postos de saúde são dotados com técnicos que agora não se fixam nos municípios por falta das condições básicas.
As vantagens, sublinhou Eliseu Cachimbombo., vão desde as económicas às sociais, pois, “haverá permuta cultural entre regiões e, igualmente, maior movimentação de pessoas”.
Além disso, lembrou o director provincial do INEA a “viagem de Malanje a Marimba, que, nesta altura, consome entre sete a oito horas, com a reabilitação da via pode ser feita em menos tempo. São vantagens que advirão da reabilitação desta estrada”.
A estrada é rasgada nos areais do Nordeste de Angola e começa a ganhar forma de via definitiva. Máquinas e homens trabalham todos os dias numa obra que vai arrancar do isolamento as populações dos municípios fronteiriços e permitir uma maior mobilidade de pessoas e bens. A estrada de Marimba permite sobretudo uma melhor e mais rápida ligação à capital provincial.
Depois da estada em Marimba, município que dista a cerca de 210 quilómetros da sede provincial de Malanje, o governador Boaventura da Silva Cardoso cumpriu a última etapa da série de visitas efectuadas às várias circunscrições da província. Antes, passou pelos municípios de Cacuso, Caculama, Cangandala, Kalandula, Kiwaba Nzoje, Cuale, Luquembo, Kunda dia Baze, Quirima, Quela, Caombo e de Massango.
Malanje, com capital do mesmo nome e uma superfície de 142.127 quilómetros quadrados, é a terceira maior província do país, aparecendo atrás do Kuando Kubango e do Moxico. É limitada, a Norte pelo Uíje e pela República Democrática do Congo, a Leste pela Lunda-Norte e Lunda-Sul, a Sul pelo Bié e a Oeste pelo Kwanza-Sul.


Concluída a Desminagem dos Caminhos-de-Ferro


Jornal de Angola-O director-geral do Instituto Nacional de Desminagem, Leonardo Severino Sapalo, anunciou ontem na capital do país, que o processo de desminagem levado a cabo nos caminhos-de-ferro de Luanda, Moçamedes e Benguela está concluído.

Em declarações à Angop, a propósito do trabalho de desminagem desenvolvido em Angola, no período de Janeiro a Julho de 2009, o responsável do INAD sublinhou que os operadores do Estado têm sabido responder às necessidades nacionais nesta matéria.

O trabalho foi realizado pelas operadoras controladas pela Comissão Executiva de Desminagem, as Forças Armadas Angolanas (FAA), Instituto Nacional de Desminagem, Gabinete de Reconstrução Nacional e Polícia de Guarda Fronteira. O director indicou que nos caminhos-de-ferro foram desminados ao todo 380 quilómetros em todo o território que dão garantias de que o comboio pode circular sem problemas.

Desminagem por segmentos

“O que falta agora é fazer uma desminagem de segmento, isto é, à medida que se edificarem infra-estruturas de apoio aos caminhos-de-ferro e haver necessidade, os nossos homens vão ao terreno fazer uma supervisão”, explicou o responsável.

Por outro lado, no quadro da extensão da fibra óptica para os serviços de telefonia da Unitel e da Telecom, informou, foram desminados no total 28.437 quilómetros quadrados. Leonardo Sapadlo referiu ainda que neste período está a ser feito o trabalho de localização, remoção e destruição de engenhos explosivos numa extensão de 78.806 quilómetros quadrados, que servem para as linhas de transporte de energia eléctrica.

A Comissão Executiva de Desminagem, criada por Decreto Presidencial, controla um total de 51 brigadas de desminagem que actuam em todas as 18 províncias de Angola.

Formação é prioridade

A formação de quadro para o manuseamento das distintas máquinas adquiridas, e a redução do índice de acidentes em termos de desminagem, constitui uma das principais prioridades do Governo nesta vertente, acrescentou o director-geral do Instituto Nacional de Desminagem, Leonardo Severino Sapalo.

À medida que se adquire uma máquina há necessidade de formação para garantir o manuseamento da mesma e o êxito em campo, disse Sapalo, referindo que os efectivos das operadoras tuteladas pela Comissão Executiva de Desminagem, beneficiam constantemente de formação.

A formação, explicou, é realizada em Angola e no estrangeiro, geralmente no país de aquisição dos equipamentos. “Com homens formados e máquinas modernas é possível melhorar o trabalho, na medida em que é feito com menos riscos de acidentes e menos tempo”, afirmou. O director do INAD informou que a escola de desminagem localizada em Viana está em pleno funcionamento realizando, inclusive, formação de refrescamento.

Leonardo Sapalo anunciou que neste momento as brigadas de desminagem, sob tutela do Estado, estão totalmente equipadas com meios e uniformes. “Tem sido feito um bom trabalho com o pessoal. Não há motivos de queixa em termos de material”.


50 Milhões em Chamas

Incêndio reduz a cinzas o armazém.

O País-A TAAG parece alternar um ciclo de bonança relacionada com a retoma dos voos para o espaço da União Europeia com outro de azares internos, estes ligados ao incêndio que na semana passada fulminou o seu armazém de meios logísticos.

No último incêndio que incinerou por completo a logística da TAAG, terão sido perdidos dezenas de milhões de dólares em peças de reposição para as aeronaves recém-adquiridas nos Estados Unidos da América e outros meios para o catering.

“Neste momento continuamos a avaliar os danos, mas as perdas podem estar avaliadas entre 40 e 50 milhões de dólares americanos”, disse a O PAÍS o porta-voz da comissão de gestão da companhia aérea de bandeira, o piloto Rui Carreira.

Questionado sobre os constrangimentos que a perda dos meios ligados à operacionalidade dos aviões pode provocar, Rui Carreira disse que em casos do género “a base regional da Boeing em África repõe imediatamente os níveis de reservas em peças sobressalentes para garantir a continuidade da operacionalidade dos aviões”.

No caso concreto do mais recente incidente, ele garantiu que a Boeing já repôs as reservas de peças necessárias, descartando, por isso, qualquer problema que viesse a interferir com o funcionamento normal dos aviões da TAAG.

Abordado durante a cerimónia da reabertura ao tráfego aéreo da pista do aeródromo Joaquim Kapango, na cidade do Kuito, Bié, encerrada por uma década, Rui Carreira disse que a companhia encara a situação com serenidade e está a aguardar o resultado do inquérito mandado instaurar para o apuramento das causas do incêndio.

“A comunidade internacional tem de entender que é uma contingência, por isso, não afecta a imagem da TAAG.

Eles têm de ser solidários”, acrescentou o também piloto de aviação para afastar qualquer belisco à imagem da companhia no plano internacional.


Governo Distribui MotoTáxis a Deficientes Físicos do Uíje


Jornal de Angola-Ao todo, 48 deficientes do município do Uíje, receberam, recentemente, moto-táxis, instrumentos trabalho de barbearia, alfaiataria e engraxaria e bens alimentares.
O vice-governador da província para Organização e Serviços Técnicos, Nazário Pedro Vilhena Bomba, que presidiu à cerimónia da entrega das motorizadas, disse que “este esforço do governo visa minimizar as dificuldades dos deficientes físicos”.
“Por isso, é necessário que os deficientes estudem e se profissionalizem para poderem contribuir na reconstrução do país”, frisou.
A directora provincial do Ministério da Assistência e Reinserção Social, Helena Antunes Ferraz, afirmou que o propósito desta acção é pôr em prática a política de protecção às pessoas deficientes. Helena Ferraz referiu que os que receberam moto-táxis frequentaram aulas de condução numa das escolas da cidade do Uíje, estando, por isso, habilitados para exercerem a actividade e que acções idênticas vão decorrer nos outros municípios.

Beneficiários satisfeitos

“Já estava cansada de levar o meu filho às costas. Ele não consegue deslocar-se de um lado para o outro e não tinha ninguém que me ajudasse. Estou muito satisfeito com esta ajuda”, disse Cesaltina Maria Gonçalves, mãe de uma criança deficiente que beneficiou de uma cadeira de rodas.
Manuel Saldanha e Lopes João receberam moto táxis. Visivelmente satisfeitos, agradeceram ao governo pelo gesto e pediram que a acção seja extensiva aos deficientes de outros municípios.
Os beneficiários lembraram, numa mensagem, que “ser deficiente não significa que a pessoa está impossibilitada de desenvolver a sua capacidade mental. Ela não é inútil à sociedade. Por isso, reconhecemos o esforço do governo na realização de acções que visam contribuir para o bem-estar das populações”.
Na província do Uíje, o Minars controla um total de 8.612 deficientes físicos.


Luanda-Sem Energia Eléctrica no Domingo

Luanda_Marginal_noite_vLuanda á Noite
Oops! Desculpem……..Falha de Energia!!!

Angop- O Centro de Operações do Sistema Eléctrico do Ministério da Energia procederá a um corte no fornecimento de energia eléctrica à cidade de Luanda, no próximo domingo (dia 6).

Segundo fonte oficial chegada hoje à Angop, o corte ocorrerá no período compreendido entre às 06H00 e às 17H00, para a realização de trabalhos de manutenção no sistema de transporte e distribuição.

Devido aos transtornos decorrentes desta situação, o Centro de Operações do Sistema Eléctrico pede desculpa aos consumidores.