Ministro de Minas e Energia do Brasil Diz Que Não Há Barragem Segura no País.

O ministro de Minas e Energia, Beto Albuquerque, disse nesta quinta-feira (23), que não há barragem segura no país.

Em depoimento na Comissão de Meio Ambiente do Senado, sobre segurança de barragens, o ministro disse que “não tem barragem segura. Esse conceito não existe”.

Segundo informa a Sputnik, Albuquerque explicou que a probabilidade de rompimento de barragens construídas à montante, como foi o caso de Mariana, Brumadinho e agora de Gongo Soco, todas em Minas Gerais, é muito superior às demais.

“O monitoramento é diuturno e ininterrupto. Tudo está sendo monitorado minuto a minuto e as informações estão sendo passadas às pessoas que têm responsabilidade, competência para tomar as ações e medidas, especialmente para não perdermos vidas humanas”, destacou.

Bento Albuquerque disse que em razão do grande número de barragens, cerca de 2 mil, entre elas as que não são só de rejeitos de mineração, o ministério faz pareceria com a Agência Nacional de Águas (ANA) para a fiscalização.


Dentro de 10 Anos Angola Pode Ser o Dubai em África

Angola poderá tornar-se num Dubai de África, em termos turísticos, nos próximos 10 anos, defendeu hoje o presidente do Fórum Mundial do Turismo.

Em entrevista ao Mercado à margem da reunião do Fórum Mundial do Turismo, Bulut Bagci deu o exemplo do Dubai como um país também dependente do petróleo que se ‘virou’ para o turismo e, em 10 anos, tornou-se um destino de sucesso.

“Angola pode ser o Dubai em África dentro de 10 anos”, disse o responsável, para quem a aposta no turismo é algo que depende “de uma visão política, das lideranças”, e que o Presidente João Lourenço já mostrou ter esta perspectiva. Bulut Bagci reiterou que o Fórum se comprometeu com o Governo angolano a apoiar na angariação de mil milhões USD na indústria turística, e explicou que a entidade está a colocar a sua rede de influência ao serviço do País.

“Estamos a colocar a nossa rede internacional para apoiar, estão aqui [no Fórum] todas as grandes cadeias hoteleiras e outros grupos, incluindo a TUI, o maior operador turístico mundial”, afirmou. “Estas pessoas não viriam aqui se não tivessem interesse em investir, há interesse em investir em Angola, sobretudo transformar as oportunidades já identificadas em realidade”, disse.

Bulut Bagci avançou que, nos próximos “três quatro meses, no máximo” deverão surgir anúncios de investimento na ordem dos 300 milhões USD, e garantiu que, até ao final do ano, haverá um hotel em Luanda operado por uma grande cadeia internacional. “O anúncio será feito pelo Governo”, disse, escusando-se a avançar com detalhes.


Descoberta de Mais um Diamante de Grande Dimensão e de Elevada Qualidade na Mina do Lulo na Lunda Norte

Os australianos da Lucapa Diamond Company anunciaram a descoberta de mais um diamante de grande dimensão e de elevada qualidade no Lulo, sendo a 13ª pedra com mais de 100 quilates a sair das entranhas da terra nesta mina, que é uma das mais promissoras do país, localizada na Lunda Norte.

Este diamante tem 130 quilates e é já um dos maiores descobertos no país, ficando mesmo entre as maiores de sempre, sendo que o Lulo, que os australianos da Lucapa exploram em conjunto com a Endiama e os privados da Rosa & Pétalas, ostenta o estatuto de ter fornecido as três maiores “pedras” da indústria diamantífera angolana.

O maior diamante de sempre, com 404 quilates, descoberto no Lulo no início de 2016, que rendeu 16 milhões USD e foi comprado pela de Grisogono, a joalheira de luxo suíça, detida pela empresária angolana Isabel dos Santos, que a transformou numa jóia rara que foi vendida em leilão por 34 milhões USD.

Já este ano, para além deste diamante com 130 quilates, a Lucapa já tinha anunciado a descoberta de outro, com 128 quilates, no mês de Fevereiro. Estes dois diamantes, a que se juntará outro de 62 quilates, e um conjunto não detalhado de pedras coloridas, serão vendidos em leilão algures em Junho.

Recorde-se que a Lucapa efectuou este ano o primeiro leilão realizado em Angola de diamantes em bruto.

Foram arrecadados perto de 16,7 milhões de dólares norte-americanos, com a venda de um lote de sete pedras de qualidade excepcional provenientes da mina do Lulo, entre elas um Type Illa D-Colour, de 114 quilates, e um diamante cor-de-rosa, de 46 quilates.


Luanda Acolhe a Reunião do Fórum Mundial do Turismo (

A capital angolana, Luanda, acolhe a reunião do Fórum Mundial do Turismo (WTF, sigla em inglês), encontro que servirá para promover investimentos e impulsionar o setor no país.

O evento, que tem início nesta quinta-feira (23),  reúne cerca de 1.500 delegados, e é visto pelas autoridades angolanas como potenciador de oportunidades de investimentos e empregos nos setores da construção, transportes, energia e águas e agricultura.

O WTF vai abordar temas como “Turismo em África”, “Turismo Digital ou Informatizado”, “O Papel do Governo nas Viagens de Negócio”, “Porquê Investir em Angola?”, e “O Segredo ou a História do Sucesso dos Destinos Turísticos”, entre outros assuntos.


Por Razões Financeiras a Selecção Angolana de Futebol Falha a Taça Cosafa

Palancas Negras falham competição regional, para se concentrarem no Campeonato Africano das Nações (CAN2019), no Egipto, de 21 de Junho a 19 de Julho.

A selecção angolana de futebol já não vai competir na Taça Cosafa, a disputar-se de 25 de Maio a 08 de Junho, na cidade de Durban (África do Sul), por razões financeiras.

De acordo com um comunicado da Federação Angolana de Futebol, que a Angop teve hoje acesso, os poucos recursos disponíveis serão cabimentados na preparação do combinado nacional que competirá no Campeonato Africano das Nações (CAN2019), no Egipto, de 21 de Junho a 19 de Julho.

A nota informa que a FAF tudo fez para os Palancas Negras marcarem presença nesta competição regional, mas constrangimentos financeiros, associados aos vários compromissos em torno das selecções nacionais, levaram-no a definir prioridades.

Na abertura da Taça Cosafa, a Selecção Nacional deveria defrontar a similar da eSwatini (ex-Swazilândia), no próximo dia 25 do corrente mês, no estádio King Zwelithini, em jogo da primeira jornada do Grupo A.


Academia de Ciências Sociais e Tecnologias Inaugurada em Luanda Pelo Presidente Angolano

O Presidente angolano, João Lourenço, inaugurou a Academia de Ciências Sociais e Tecnologias, uma instituição de ensino superior pública, que custou ao Estado 72,9 milhões de dólares, 90% dos quais financiados pelo Eximbank da China.

O empreendimento construído no município de Belas, nos arredores de Luanda, visa dar formação em serviços de informação a quadros de instituições estratégicas do Estado angolano, sobretudo as que lidam com o estrangeiro, sendo-lhes ministrados os princípios dos modos de ser e de estar em missões de serviço de Estado no exterior do país, segundo o diretor-geral do Serviço de Inteligência Externa de Angola, José Luís Caetano de Sousa,

A academia, que tem já acordos de cooperação com Portugal e Cuba, perspetivando-se também com universidades do Brasil, Espanha, França e África do Sul, tem os cursos de mestrados em Globalização e Segurança, em Direito, Segurança e Inteligência, em Economia e Finanças Internacionais, em Segurança de Redes de Comunicação, pós-graduações em Inteligência Estratégica, em Inteligência e Estudos de Segurança.

A academia tem ainda cursos de língua inglesa e francesa, cursos de línguas regionais lingala e suaíli, prevendo-se ainda, no âmbito da cooperação com serviços homólogos da região, a formação de especialistas, incluindo em língua portuguesa.


O Projecto da Marginal da Corimba Foi Anulado Por Motivos de “Razões de Peso”, Afirma João Lourenço

Na sexta-feira, através de um despacho, o chefe de Estado angolano anulou o contrato de implementação do Projeto da Marginal da Corimba, no valor de 1.300 milhões de dólares.

O Presidente angolano, João Lourenço, afirmou hoje que a anulação do concurso para a construção da marginal da Corimba (Luanda), por si decretada na sexta-feira, teve na base “razões de peso”, sublinhando, porém, que a obra vai avançar.

Falando aos jornalistas à margem da abertura do “Presidential Golf Day”, que decorreu no Campo dos Mangais, na Barra do Kwanza, 60 quilómetros a sul de Luanda, João Lourenço não se alongou sobre o assunto, sublinhando, contudo, que o projeto vai avançar, “independentemente dos construtores”.

Na sexta-feira, através de um despacho, o chefe de Estado angolano anulou o contrato de implementação do Projeto da Marginal da Corimba, no valor de 1.300 milhões de dólares (1.160 milhões de euros), assinado em 2016 pelo então Presidente José Eduardo dos Santos, alegando terem sido verificadas “sobrefaturações” e “serviços onerosos para o Estado”.

A decisão está contida num despacho presidencial, de 15 de maio de 2019, a que a agência Lusa teve acesso, e anula o contrato aprovado em 25 de janeiro de 2016.


Elefante Bebé é Salva na Reserva Especial de Maputo

Foto Lusa-António Silva

A cria de três meses não tem nome, porque nenhum dos quatro conservacionistas e tratadores da Reserva Especial de Maputo quer ficar mais apegada ao animal do que já está.

Dar leite de biberão a uma elefante bebé não estava nos planos de Graeme Madsen, mas passou a fazer parte da rotina diária dele e de três colegas desde há 10 dias na Reserva Especial de Maputo (REM).

A cria de três meses não tem nome, porque nenhum dos quatro conservacionistas e tratadores quer ficar mais apegada ao animal do que já está.

É difícil que não se criem laços, diz Graeme, porque a pequena elefante com meio-metro de altura já os segue por todo o lado, a aprender a usar a tromba para estabelecer contacto com o que está por perto e pede um biberão de leite de duas em duas horas.

A bebé foi encontrada pela população da aldeia de Zuali, dentro da área protegida, a poucos quilómetros da capital moçambicana, sem sinais da família, nem de caça furtiva, pelo que se suspeita que tenha ficado para trás, abandonada pela manada, diz Natércio Ngovene, chefe de fiscalização da REM.


Economista Carlos Lopes Defende que o Petróleo Deve Ser Utilizado na Industrialização de Angola

 

O economista guineense Carlos Lopes defendeu hoje, em Luanda, que os recursos petrolíferos devem ser usados na industrialização de Angola, sobretudo na refinação, petroquímica e fertilizantes, permitindo evitar os custos das oscilações do crude nos mercados internacionais.

“Há um grande problema com os países que são considerados altamente dependentes de matérias-primas e Angola faz parte desse clube de 35 países altamente dependentes. Mas é pior para os países que dependem só de uma matéria-prima”, defendeu Carlos Lopes, ao intervir no Fórum de Apoio à Reconversão da Economia Angolana.

Segundo o ex-secretário executivo da Comissão Económica das Nações Unidas para África, é por essa razão que esses países estão expostos às volatilidades dos mercados internacionais, que têm demonstrado que determinados produtos, nomeadamente em relação ao petróleo, “oscilações muito grandes”.

“Quando se transformam esses produtos, essas matérias-primas, como a refinação do petróleo, a volatilidade desce mais de 60%, ou seja, os preços não oscilam tanto. A questão é clara: não é virar as costas a uma riqueza, como o petróleo, mas integrá-lo na transformação e fazer com que Angola seja um país que aposta na transformação da sua matéria-prima em vez de a exportar bruta. Isso significa investir, além na refinação, na petroquímica, na produção de fertilizantes, etc”, sustentou.


A Barragem Hidro-Eléctrica do Chicapa na Lunda-Sul Pode Paralisar Devido à Acumulação de Lixo

A barragem hidro-eléctrica do Chicapa, situada na província da Lunda-Sul, pode parar de funcionar a qualquer momento, devido à acumulação de resíduos sólidos nas condutas, albufeiras e nas turbinas, informou nesta Terça-feira o director do empreendimento, Kabaca Nzimba.

Segundo o gestor, três a quatro toneladas de resíduos sólidos são, em média, retirados diariamente ao longo das condutas de água e nas albufeiras. Kabaca Nzinga disse que a solução é paralisar todas as máquinas, abrir as comportas e tentar retirar a areia que está acumulada, mas pode levar 22 dias.

Informou também que parte dos 9.95 milhões de metros cúbicos de água da albufeira foi consumida pela quantidade de areia proveniente do rio Muangueji e resíduos sólidos,que danificaram os caminhos de força das águas. A hidro-eléctrica do Chicapa, inaugurada em 2008, tem uma capacidade instalada de produção de 16 megawatts de energia eléctrica, 12 dos quais são para a Sociedade Mineira de Catoca e os quatro beneficiam parte do centro da cidade de Saurimo. A cidade de Saurimo é alimentada, em cerca de 96 por cento, pelas centrais térmicas, principais fontes de fornecimento de energia.