Como É Recordar Portugal em Benguela

Desde os que vivem por cá há décadas, aos que viveram em Benguela a maior parte das suas vidas, passando pelos que aqui chegaram há meros meses, as saudades de Portugal são sentidas e contidas em diferentes escalas, mas, sempre presentes. A chegada a Benguela do Presidente da República Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, é assim, a visita de um grande pedaço de casa longe dela…

O Presidente Marcelo Rebelo de Sousa chegou ontem à província de Benguela, no seu terceiro dia em Angola. Para muitos portugueses residentes na “cidade mãe de cidades”, esta visita traz afectos, traz saudades, traz “casa”. A sua agenda foi ontem divulgada à imprensa local, sabendo-se que, três horas após chegada, o estadista português teve um jantar com a comunidade portuguesa, complementado com um almoço hoje, 8 de Março de 2019. Como estrangeiros residentes, ou mesmo para os que tenham dupla nacionalidade, há sempre uma parte da terra dos seus ancestrais que lhes faz falta no quotidiano, seja a família, a cultura, ou até o Inverno.

“casa” é onde se é feliz ,mas como Portugal, não há…

Liliana Ferreira é voluntária na ONG “Leigos para o Desenvolvimento”, existente em Benguela desde 1996. Convidados pelo Consulado Português, para fazer parte da recepção do Presidente, espera que a oportunidade dê mais visibilidade à ONG. Liliana está em Angola, residindo em Benguela, há meros 5 meses, durante os quais, teve fases significativas de saudades do seu Portugal, embora, como voluntária, “casa” é qualquer parte do mundo onde esteja a trabalhar. Nessas alturas melancólicas, a cidadã de Mafra encontrou refúgio no teatro, actividade cultural que aprecia, e inúmeras são as salas de teatro em Portugal que foram por si visitadas para assistir às peças em exibição.


Governo de Angola Apela aos Empresários Portugueses Para Investirem em Força Naquele País

Em declarações aos jornalistas em Benguela, no litoral-centro do país, onde decorre o Fórum Empresarial Angola/Portugal, o ministro de Estado e do Desenvolvimento Económico e Social angolano, Manuel Nunes Júnior,

lembrou que o Governo de Luanda está a combater “seriamente” a dependência excessiva do petróleo nas exportações, equivalente a mais de 90% do valor global e 70% das receitas tributárias.

“Todos os problemas que se colocam em Angola têm sempre a ver com os preços do petróleo no mercado internacional, que é sempre imprevisível. Estamos a lutar seriamente para combater essa dependência e Portugal pode ajudar muito e ter um papel crucial nesse caminho”, sublinhou Manuel Nunes Júnior,

à margem do evento, realizado no âmbito da visita que o chefe de Estado português, Marcelo Rebelo de Sousa, está a realizar a Angola.

O governante angolano destacou sobretudo as áreas da agricultura e da agroindústria, setores sobretudo do ramo alimentar, com o qual Angola “gasta anualmente recursos bastante acentuados”, para importar.


Visita do Presidente Marcelo Teve Hoje o Seu Ponto Alto na Catumbela

Foto Lusa

A popularidade do chefe de Estado português, Marcelo Rebelo de Sousa, em Angola, teve hoje o seu ponto alto na Catumbela, na província de Benguela, litoral sul do país, onde foi saudado por uma multidão eufórica.

Vários populares, numa manifestação de contentamento com a visita,  chegaram a nomear Marcelo como presidente de uma imaginária “Portangola”, relata o jornalista da agência Lusa.

“Sem ofender João Lourenço”, o chefe de Estado angolano, disse à Lusa um grupo de populares da Catumbela,  recentemente elevada a município. As autoridades locais indicaram estarem ali concentradas entre 10 a 15 mil pessoas para receber o Presidente português, que chegara de comboio numa deslocação de cerca de 25 minutos, que começou no Lobito.

No entanto, o mesmo grupo, chamado à atenção por outros angolanos que se queriam juntar aos que gritavam e cantavam, acabou por retirar a “ideia”, ao considerarem que o respeito pela soberania de Angola estava a ser posto em causa.


Projectos de Construção de Estradas em Angola Passa a Concurso Público

Foto: José Cachiva

O Ministério da Construção e Obras Públicas está a trabalhar no processo de implementação do concurso público para os projectos de construção de estradas, de modo a evitar a adjudicação directa como acontecia anteriormente, anunciou hoje, em Luanda, o titular da pasta, Manuel Tavares.

Ao falar na palestra sobre medidas de apoio para o aumento da produção nacional, organizada pelo Ministério da Economia e Planeamento, disse que o objectivo é aumentar o controlo da qualidade das empreitadas de obras públicas em curso no país.

Deste modo, se vai evitar que quem concebe determinado projecto seja responsável pela sua execução, para salvaguardar a qualidade das obras.

Com a nova filosofia de trabalho, o Ministério vai apresentar propostas e procurar pagar, em tempo oportuno, a entidade fiscalizadora e o empreiteiro.

“O que acontecia é que, depois da obra pronta é que o fiscal era remunerado, uma situação que contribuía para a falta de qualidade das obras”, admitiu o ministro.


O Estado Angolano Já Pagou Cerca de 176 Milhões de Euros da Dívida às Empresas Lusas

Foto Sapo Notícias

O Estado angolano já pagou cerca de 176 milhões de euros da dívida reclamada por empresas lusas, da qual mais de 66 por cento já se encontra certificada pelo Ministério das Finanças, anunciou esta quinta-feira, em Benguela, o ministro de Estado do Desenvolvimento Económico e Social, Manuel Nunes Júnior.

Segundo o responsável, que falava na abertura do terceiro fórum empresarial Angola – Portugal, o montante disponibilizado equivale a cerca de 60 por cento da dívida certificada, cerca de 280 milhões de euros.

Na sua óptica, tendo em conta o curto espaço de tempo em que este processo está a se desenvolver, não há dúvidas de que se está no bom caminho neste domínio.

Por outro lado, adiantou, estão a ser tomadas medidas para se evitar que um novo ciclo de acumulação de atrasados possa ocorrer no futuro.

O ministro de Estado afirmou que todos esses factos, aliados as medidas que têm sido tomadas no sentido de se instaurar em Angola um verdadeiros Estado de Direito, em que ninguém está acima da lei, têm permitido o aumento da confiança dos agentes económicos no mercado nacional.


À Chegada ao Lubango, Marcelo Demorou Mais de Duas Horas a Saudar a Multidão

Foto Sapo Notícias

O Presidente português levou hoje mais de duas horas a saudar o povo do Lubango, percorrendo lentamente os 11 quilómetros entre o aeroporto e o centro da cidade, onde foi recebido por uma multidão.

“Eu vim quase sempre no estribo do automóvel, vim do lado de fora, a agradecer, porque ao longo do caminho havia milhares de pessoas”, descreveu Marcelo Rebelo de Sousa, quando finalmente chegou à sede do Governo Provincial da Huíla, no sul de Angola.

Era ali que a maior parte da sua comitiva e a comunicação social que o acompanha nesta visita de Estado a Angola o aguardavam, sob um sol forte,

assim como os cerca de 20 elementos do Kataleco, um grupo cultural que tocou e dançou toda a manhã à espera do chefe de Estado português, que nunca mais vinha.

Várias centenas de pessoas amontoaram-se, entretanto, na beira da estrada, alguns metros adiante, e Marcelo Rebelo de Sousa dirigiu-se de imediato até elas, à chegada, pelas 12:30 locais (11:30 em Lisboa), ficando rodeado por uma multidão de gente que se atropelava para estar perto dele.


Á Boleia do CFB Marcelo Visita Benguela Catumbela e Lobito

Foto JOÃO RELVAS/ LUSA

Políticos consideram histórica a vinda a Benguela do Presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa a Benguela, numa altura em que se normalizam as relações bilaterais, depois do “irritante”, mas pedem mais investimento português

No quadro da visita de 4 dias a Angola, país ao qual regressa um ano e meio depois, o Chefe de Estado português reservou na sua agenda deslocações a duas províncias, sendo uma a Huíla e outra a Benguela. Em Benguela,

Marcelo Rebelo de Sousa vai ao Porto Comercial do Lobito, e aos Caminhos de Ferro de Benguela, ocasião que será aproveitada para as direcções das empresas apresentarem as potencialidades dos dois

empreendimentos tidos como dos maiores em África. Os políticos dizem que, por questões históricas, era expectável que os portugueses dominassem o mercado angolano, no geral, e Benguelense, em particular, mas isto não ocorre, porque os investimentos deles ficam muito aquém do desejado.

O deputado Alberto Ngalanelã, secretário da UNITA em Benguela, associa a visita de Marcelo às potencialidades económicas de uma província que considera estratégica para economia de Angola. O político justifica que Benguela tem


Automóveis da Marca Angolana Pegado Motors Quer Conquistar África

Segundo o Mercado, a marca angolana de automóveis, Pegado Motors, que foi lançada recentemente, em Luanda, pretende conquistar o mercado africano e constar entre as 10 melhores marcas de viaturas vendidas a nível do continente, revelou o CEO do grupo BMP – Bruno Miguel Pegado, que é também o proprietário da firma.

“Vamos mais tarde olhar para o continente africano, onde temos um vasto mercado para conquistar, porque pretendemos nos próximos anos constar”, afirma o CEO.

Para dar exemplo do interesse africano no projecto nacional, adianta,estiveram no País, para assistir ao lançamento da marca, representantes de alguns países do continente.

De acordo com Bruno Pegado, tudo aponta para a assinatura de alguns protocolos para a representação da marca nos na RDC, República Centro Africana e outros países da francofonia.

Pontualiza que o grupo vai, numa primeira fase fazer a importação das primeiras viaturas que deverão chegar em Angola no próximo mês de Julho para a sua comercialização a nível do País.


Cooperação Entre Angola e Portugal no Combate à Criminalidade Grave e Organizada

Foto Lusa

Portugal e Angola vão passar a cooperar na investigação à criminalidade grave e organizada, conforme prevê um protocolo de cooperação assinado entre os governos dos dois países, promulgado este mês pelo Presidente angolano, João Lourenço.

Portugal e Angola vão cooperar no combate à criminalidade grave e organizada

A informação consta de um decreto de 01 de março, a que a Lusa teve hoje acesso, no qual o chefe de Estado aprova o acordo rubricado em novembro, em Portugal, durante a visita de Estado que João Lourenço realizou a Lisboa e ao Porto.

O protocolo estipula que o Ministério do Interior de Angola e o Ministério da Justiça de Portugal deverão cooperar “em particular, no âmbito da criminalidade grave e organizada, nomeadamente em matéria de corrupção, tráfico internacional de drogas, branqueamento de capitais, terrorismo e o seu financiamento”.

O acordo de cooperação foi assinado pela ministra da Justiça de Portugal, Francisca Van Dunem, e pelo ministro do Interior de Angola, Ângelo Veiga Tavares, em novembro de 2018, mas “não abrange as questões de extradição e de auxílio judiciário mútuo em matéria penal”.


Angola Faz Parte do Grupo de 4 Países Mais Poderosos de África e o 56º do Mundo

Foto Portal de Angola

Angola é o quarto país mais poderoso de África e o 56º do mundo, revela um estudo da revista “US News and World Report” em colaboração com a Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos.

O relatório analisa as influências políticas, financeiras e económicas de cada país, o poderio das suas forças militares e a sua actuação no plano internacional.

O Egipto aparece como sendo o pais mais forte de África, seguido da África do Sul, Nigéria e depois Angola.Seguem-se o Gana, a Tanzânia e a Tunísia.

Apesar do Egipto aparecer em primeiro lugar, em termos económicos o relatório revela que a África do Sul tem um Produto Interno Bruto (PIB) maior do que o Egipto (349,4 mil milhões de dólares contra 235,4 mil milhões) e um rendimento per capita também superior (13,573 contra 12.698 dólares).