As Companhias Petrolíferas “Estão Novamente a Olhar Para Angola”

O analista da consultora especializada em energia WoodMackenzie Adam Pollard disse segunda-feira que as companhias petrolíferas “estão novamente a olhar para Angola” devido aos preços do petróleo e às reformas lançadas pelo Governo.

“No último ano Angola virou a página, o país está a tentar atrair mais investimento para evitar o declínio da produção de petróleo prevista para os próximos anos,

e há sinais de que as companhias estão novamente a olhar para Angola e a sentirem-se mais confortáveis em investir no país”, disse Adam Pollard.

Em entrevista à Lusa a propósito das perspectivas de evolução do sector petrolífero em Angola, o analista explicou que “tal como noutros países africanos,

a produção está a cair há uns tempos, e espera-se que caia ainda mais”, e daí os esforços para atrair investimento externo que possa inverter a situação.


Várias Iniciativas de Promoção dos Vinhos do Alentejo em Angola

A Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA) vai realizar, na próxima semana, várias iniciativas de promoção dos vinhos do Alentejo em Angola, que é o segundo maior mercado de exportação, foi hoje divulgado.

Segundo a CVRA, a “Semana dos Vinhos do Alentejo em Angola” decorre entre os dias 26 e 28 deste mês e inclui a prova anual de vinhos alentejanos em Luanda, duas formações para profissionais de cadeias de grande distribuição e um jantar vínico.

Nos dias que antecedem o momento alto do evento, que é a prova anual, no dia 28, numa unidade hoteleira, os vinhos do Alentejo vão procurar, de acordo com a CVRA, “deixar uma marca pedagógica em Angola”, através de formações lideradas pelo crítico Luís Lopes.

Durante as formações, vão estar em prova algumas “referências de excelência da região” para que os formandos possam “experimentar e diferenciar as particularidades dos vinhos alentejanos”, explicou o mesmo organismo.

A 12.ª edição da prova anual de vinhos do Alentejo enquadra-se no plano de promoção externa que a CVRA tem desenvolvido nos últimos anos, sendo Angola um dos países de actuação.


Governo Admite Que 46% da População de Angola Não Tem Registo de Nascimento

O Governo angolano admite hoje que 46% da população de Angola ainda não tem registo de nascimento, admitindo dificuldades também na emissão de bilhetes de identidade e de cédulas.

A informação foi avançada pela diretora nacional do Arquivo e Identificação Criminal e Civil do Ministério da Justiça e Direitos Humanos de Angola, Felismina Manuel, que salientou que as províncias com mais documentos de identificação são as de Luanda, onde se situa a capital, Benguela, Huíla, Uíje e Cabinda.

“Vou dar aqui a mão à palmatória, temos dificuldades sim. A nossa base de dados tem nove milhões de bilhetes de identidade”, disse Felismina Manuel, citada pela rádio pública angolana.

Segundo dados do último censo geral da população, de 2014, cerca de 54% dos angolanos tem registo civil, o que corresponde a 13,7 milhões de habitantes, dos quais cerca de 11 milhões se encontram na área urbana e os restantes em zonas rurais.


No Instituto Confúcio Instalado em Cabo Verde, Mais de 1.000 Alunos Cabo-Verdianos Aprendem Mandarim

Foto:VOA/Arq

Desde janeiro de 2016 que está instalado em Cabo Verde o Instituto Confúcio, instituição de formação sem fins lucrativos que visa divulgar e melhorar a compreensão da língua e da cultura chinesa.

O presidente da Associação de Amizade Cabo Verde-China (Amicachi) admite que língua continua a ser a principal dificuldade na integração da comunidade chinesa em Cabo Verde, enquanto mais de 1.000 alunos cabo-verdianos já aprendem mandarim no país.

Em declarações à agência Lusa, à margem do Fórum Económico Empresarial Cabo Verde – China, que decorre na cidade da Praia, José Correia disse que a comunidade chinesa neste país vive essencialmente da atividade comercial e está “bem integrada”.

Para os cerca de 2.000 chineses que a associação estima estarem a trabalhar e a viver em Cabo Verde, a língua e a cultura são os principais desafios.

Por seu lado, o mandarim revela-se cada vez mais atrativo para os estudantes cabo-verdianos, estando 1.000 a aprender esta língua nos vários estabelecimentos de ensino cabo-verdianos.


Segundo Estudo na Cidade da Praia em Cabo Verde, em 13 Anos a Mortalidade Infantil Desceu Para Metade

Foto: Inforpress-Cidade da Praia

Segundo os resultados preliminares do Terceiro Inquérito Demográfico e de Saúde Reprodutiva (IDSR – III), apresentados pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE), apresentados segunda-feira (18), a mortalidade infanto-juvenil (das crianças de menos de cinco anos) passou de 33% em 2005 para 18% em 2018.

O inquérito constatou que a mortalidade infantil (crianças com menos de um ano) passou de 30% em 2005 para 16% em 2018, enquanto a mortalidade juvenil (das crianças de um a quatro anos) continuou nos 3%.

O mesmo estudo, cujos dados foram recolhidos em todo o país entre Fevereiro e Maio de 2018, revelou uma “melhoria significativa” do aleitamento materno exclusivo, em que 45% das crianças até cinco meses não ingere outro tipo de alimento (inclusive água), comparativamente com uma proporção de 28% em 2005.

O estudo observou que nove em cada 10 mulheres (86%) fizeram, pelo menos, quatro consultas pré-natais recomendadas, quando essa proporção era de 72% em 2005, de acordo com o INE de Cabo Verde.

O inquérito revelou que a quase totalidade das mulheres cabo-verdianas (97%) tiverem os seus filhos assistidos por um profissional de saúde no período em análise e que quase todos esses nascimentos ocorreram nas estruturas de saúde, contra 78% em 2005.


Para o Rácio de Um Médico Para Dois Mil Habitantes, Angola Precisa de 30 Mil Médicos

Angola precisa de 30 mil médicos para corresponder as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), que determina, para o continente africano, o rácio de um médico para dois mil habitantes.

Em entrevista exclusiva à Angop, a ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, informou que o rácio actual do país é de um médico para cinco mil habitantes, mas que há um grande esforço das autoridades para melhorar a assistência médica.

Ao falar do estado da saúde em Angola, revelou que, actualmente, existem seis mil e 19 médicos, dos quais 919 estrangeiros. Destes, cerca de três mil estão no sector público.

Para o país alcançar a cifra dos 30 mil médicos pretendidos, esclareceu, será necessário olhar para a questão da formação de quadros com uma visão multi-sectorial.

A formação de médicos, defendeu, depende da educação dos cidadãos e das políticas do Ministério do Ensino Superior, que tem a responsabilidade de continuar a formar médicos com qualidade e quantidade.


Angola é “Um Ponto Brilhante” Para os Investidores Internacionais

Foto Vox Nova Angola

A analista Aubrey Hruby, do centro de pesquisa norte-americano Atlantic Council, considerou este Domingo que Angola é “um ponto brilhante” para os investidores internacionais, acrescentando que a atractividade de Angola destoa do resto dos africanos.

“Dados os recentes ataques terroristas do Al-Shebab no Quénia, a actual instabilidade no Zimbabué e as eleições nas duas maiores economias africanas, os investidores estão a fazer uma pausa quando olham para a região, mas Angola está a sobressair como um ponto brilhante onde, após anos de crise económica, uma recuperação em 2019 está no horizonte”, diz a analista.

Num artigo publicado no site do ‘think tank’ norte-americano Atlantic Council, esta analista sénior do Departamento Africano, e antiga assistente da secretária de Estado Madeleine Albright, considera que as reformas económicas em curso em Angola estão a dar resultado.

“O programa [de reformas] já levou a progressos significativos, incluindo uma nova lei que permite aos investidores internacionais investirem em Angola sem precisarem de um parceiro local, como dantes, e a revogação de um sistema de câmbio fixo, que procura eliminar a diferença entre a taxa de câmbio oficial e a do mercado negro”, escreve Aubrey Hruby.


Presidente Marcelo de Visita a Angola de 05 a 09 de Março

Foto Portal de Angola

De acordo com o Diário de Notícias que cita a Lusa, os chefes da diplomacia angolana e portuguesa afirmaram hoje, em Luanda, estarem criadas “todas as condições” para a realização da visita de Estado do Presidente de Portugal a Angola, que decorrerá de 05 a 09 de março próximo.

Numa conferência de imprensa conjunta, Manuel Augusto e Augusto Santos Silva adiantaram que Marcelo Rebelo de Sousa visitará oficialmente Angola a partir de 05 de março e que a deslocação se prolongará por quatro dias, incluindo deslocações para fora da província de Luanda, embora não as tenham especificado.

Segundo Manuel Augusto, as reuniões de trabalho mantidas hoje com o homólogo português, que se encontra em Luanda para uma visita de trabalho de 24 horas, permitiram limar todas as arestas para a criação de condições para a visita de Marcelo Rebelo de Sousa a Angola.

“Estão criadas todas as condições para a visita e as reuniões de hoje permitiram consolidar a preparação e o respetivo programa. Até 05 de março, vamos continuar a trabalhar para que a visita constitua um ponto alto nas relações entre os dois países”, sublinhou o ministro das Relações Exteriores angolano.


Embaixador da China em Angola Anuncia Interesse Num Novo Ciclo de Investimentos

Foto Xinhua

O embaixador-cessante da China em Angola, Cui Aimin, anunciou o interesse do seu país em promover um novo ciclo de investimentos no país.

Cui Aimin falava à imprensa, depois de ter apresentado os cumprimentos de despedida ao Presidente de Angola, João Lourenço, no fim da missão diplomática iniciada em Setembro de 2015.

Apontou como prioridades na cooperação com Angola o incremento do investimento nas áreas da agricultura e da indústria.

Informou que a disponibilização do financiamento, de cerca de dois milhões de dólares, anunciado aquando da visita de Estado do Presidente João Lourenço à China, em Outubro do ano passado, está condicionada à concepção de novos projectos de desenvolvimento.

Lembrou que os entendimentos alcançados estabelecem, para além do financiamento, projectos de assistência técnica.


A Partir de Amanhã Angola Vai Contar com Nova Fábrica de Lapidação de Diamantes em Luanda

Angola contará a partir de terça-feira, dia 12 de Fevereiro, com uma fábrica de lapidação de diamantes.

Localizada em Talatona, a Stone Polished Diamond (SPD) resulta de uma parceria entre investidores privados angolanos e a SODIAM. O ministro dos Recursos Minerais e dos Petróleos, Diamantino Pedro Azevedo, vai inaugurar amanhã, em Talatona, uma nova fábrica de lapidação de diamantes e de pedras especiais, cujo investimento ascende a 5 milhões USD.

Resultado de uma parceria entre investidores privados nacionais e a SODIAM, que tem uma participação de 10% no capital social, esta nova fábrica está instalada numa área de 400 m2.

A linha de produção é composta por equipamentos de alta tecnologia, de vanguarda tecnológica mundial na actividade de lapidação, capazes de posicionarem a SPD entre os centros de lapidação mais bem equipados do mundo.

Inicialmente irá lapidar diamantes de 3 a 10 quilates e pedras especiais, com uma capacidade de lapidação de 2000 quilates/mês durante o primeiro ano de funcionamento. Construída no prazo de 90 dias, por empresas nacionais quer na fase de projecto quer na de construção, esta fábrica está também equipada com um dos sistemas de segurança mais avançados do país, composto por controlos automatizados de acesso, scanners faciais, leitores biométricos e câmaras de vídeo monitorização de última geração.