Guiné-Bissau à Descoberta do Parque Natural dos Tarrafes de Cacheu

No dia em que a Guiné-Bissau celebra 45 anos da independência, vamos até ao Parque Natural dos Tarrafes de Cacheu, local de potencialidades económicas e turísticas. O outro lado de um dos países mais instáveis de África.

A pesca é um dos recursos mais importantes para a economia da Guiné-Bissau, que proclamou unilateralmente a sua independência de Portugal em setembro de 1973. Só a pesca do camarão chega a atingir 80% das licenças atribuídas, nomeadamente aos países da União Europeia (UE). E o Parque Natural dos Tarrafes no Rio Cacheu é o grande responsável por esta fatura, afirma o investigador Miguel de Barros, diretor-executivo da organização não-governamental guineense Tiniguena (que em bijagó significa “esta terra é nossa”), uma das mais ativas na defesa e proteção do ambiente na Guiné-Bissau:

“O camarão consegue ter em Cacheu um espaço vital para a reprodução, por um lado, devido às condições climatéricas favoráveis e, por outro, pela importância do mangal. As três variedades do mangal que existem estão aqui concentradas, o que faz com que haja disponibilidade de alimento e um espaço de vida que permite ao camarão não só ter a capacidade de reprodução, mas também do crescimento e algum repouso”, explica Miguel de Barros, a bordo de uma pequena embarcação que serve para os turistas visitarem o local.

Situado a noroeste da Guiné-Bissau, a região de Cacheu representa aproximadamente 15% do território nacional. O rio Cacheu é o centro de referência, sendo uma das principais zonas de pesca do país e que liga as cidades de Cacheu, São Domingos e Farim. O Parque Natural dos Tarrafes do Rio Cacheu, com a maior concentração contínua do mangal (tarrafes) ao nível da África Ocidental, comporta variedades de ave-fauna migratória, em particular dos flamingos que concentram no espaço, fomentando a dinâmica do equilíbrio ecológico.


Zenú e Jean Claude Bastos Detidos Até o Julgamento do “Caso Fundo Soberano”.

Informações obtidas a instantes de fontes ligadas a DNIAP dão conta que José Filomeno dos Santos, filho do ex-Presidente angolano, José Eduardo dos Santos e Jean-Claude Bastos de Morais, ambos antigos responsáveis do Fundo Soberano, foram conduzidos a instantes a cadeia/hospital de São Paulo e Comarca de viana respectivamente, de onde deverão permanecer até o julgamento do “Caso Fundo Soberano”.

Lembramos que que num outro caso, “Zenú” dos Santos e Walter Filipe ex-governador do BNA foram recentemente acusados formalmente de crimes de burla, branqueamento de capitais e falsificação de documentos.

Esta decisão surge depois de, na passada sexta-feira, o Ministério Público angolano ter acusado formalmente Filomeno dos Santos da prática de quatro crimes: associação criminosa, tráfico de influência, burla e branqueamento de capitais. Crimes alegadamente praticados enquanto líder do FSA, constituído em 2012. No mesmo dia, o ex-ministro dos Transportes, Augusto Tomás, exonerado em Junho pelo actual presidente de Angola, João Lourenço, foi também detido por suspeitas de peculato, corrupção e branqueamento de capitais, alegadamente envolvido no caso relativo ao desvio de dinheiro do Conselho Nacional de Carregadores, órgão sob tutela do seu ministério.

Correio da Kianda

 


Estão Fora do Sistema de Ensino em Angola Mais de 2 Milhões de Crianças

Mais de dois milhões de crianças em Angola estão fora do sistema de ensino e três em cada quatro crianças não têm registo de nascimento, revela um estudo divulgado hoje por uma organização não-governamental (ONG) angolana.

Os dados foram avançados hoje pela ONG angolana Mosaiko – Instituto para Cidadania, que, em parceria com a Fundação Fé e Cooperação (FEC), lançaram a campanha “Acesso à Justiça: Um Direito, Várias Conquistas”.

Segundo o Mosaiko, o objetivo da campanha, lançada igualmente em Portugal pela FEC, é consciencializar os cidadãos para as assimetrias existentes no acesso à Justiça em Angola, cujos dados atuais, referiu, “são alarmantes”.

O Mosaiko, que cita os resultados dos estudos que tem realizado desde 2012 neste domínio, adianta que há muitos cidadãos sem registo de nascimento em Angola e que por isso não conseguem provar a sua existência. Além disso, há crimes de violência doméstica que não são denunciados por falta de confianças às instituições.


Para a Campanha Agrícola 2018/2019 no Município do Balombo Estarão Envolvidas Mais de Seis Mil Famílias

Seis mil e 654 famílias camponesas vão envolver-se directamente na produção de cereais, leguminosas e tubérculos no município do Balombo, 179 quilómetros a Nordeste da cidade de Benguela, no âmbito da campanha agrícola 2018/2019, que abre em Outubro em todo o país. Abordado pela imprensa a propósito da próxima campanha agrícola, Manuel Chitumba, director municipal da Agricultura no Balombo, elencou a segurança alimentar da população entre as prioridades das autoridades locais, alinhadas com o compromisso nacional de combate à pobreza e à fome.

Para isso, garante estarem preparados 9 mil e 964 hectares de terras cultiváveis para os produtores familiares, a quem a Agricultura irá prestar assistência técnica para que haja boa produtividade. É nesse contexto que o responsável adiantou que há no Balombo dois programas com impacto directo na produção, sendo um de desenvolvimento rural e outro destinado ao fomento agrícola, que servem de base para o apoio técnico aos camponeses.

No capítulo dos insumos agrícolas, disse que o município aguarda do Gabinete Provincial da Agricultura um lote de 167 toneladas de cereais (milho), 67 de feijão comum e 13 de amendoim/ ginguba, entre outros, para distribuição às famílias camponesas.


1200 Toneladas de Minério de Cobre da República Democrática do Congo ao Porto do Lobito Com Destino à Bélgica

Um carregamento de 1200 toneladas de minério de cobre proveniente da República Democrática do Congo chegou sábado ao porto do Lobito onde será embarcado rumo à Bélgica, revelou o presidente da sociedade gestora da infra-estrutura portuária.

Agostinho Estêvão Felizardo, ao intervir na cerimónia simbólica de recepção do minério na estação do Caminho-de-Ferro de Benguela (CFB), informou que o embarque do minério aguarda a chegada, nos próximos dias, de um navio, segundo a agência noticiosa Angop.

Este carregamento, encomendado pela empresa Access World, é o segundo a ser transportado pelos comboios da Caminho-de-Ferro de Benguela, desde que há pouco mais de seis meses reactivou as operações de escoamento de minério de cobre da região mineira de Kisenge, província de Catanga.

“O porto do Lobito pretende mostrar à comunidade internacional que estas operações de embarque de minério são já possíveis”, salientou Estevão Felizardo, acrescentando que a chegada de mais este carregamento enquadra-se no propósito governamental de dinamizar o Corredor de Desenvolvimento Económico do Lobito, através do CFB e do porto do Lobito.

Luís Lopes Teixeira, presidente do Caminho-de-Ferro de Benguela, disse que a viagem de comboio com 28 vagões durou 36 horas, partindo do Luau, província do Moxico, ponto de ligação com os comboios daquele país vizinho.


A Esperança de Vida em Angola Aumentou Para 61,8 Anos

A esperança de vida em Angola aumentou para 61,8  anos, revela um estudo apresentado  em Luanda, pelo representante residente do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) no país, Paolo Balladell

Entre 1990 e 2017, a esperança de vida à nascença em Angola aumentou 20,1 anos, fazendo com que o país alcançasse a classificação “média” no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) das Nações Unidas, depois de anos em “baixa”, indica o estudo citado pelo diário estatal Jornal de Angola.

De acordo com a pesquisa, uma criança nascida em Angola tem uma esperança de vida de 61,8 anos, ou seja, 20,5 anos a menos, quando comparada com uma criança nascida na Noruega,  um país com a primeira posição no IDH, e 9,6 anos de vida a mais que uma criança nascida na Serra Leoa (IDH 0,419).

O estudo foi apresentado publicamente no auditório do Instituto Nacional de Estatísticas (INE), em Luanda, sob a designação de “Atualização estatística dos Indicadores e Índices de Desenvolvimento Humano de 2018”.

O valor do IDH de Angola, no ano passado, foi de 0,581, colocando-o na categoria de País de Desenvolvimento Humano Médio, na posição 147 do total de 189 países e territórios.

Isso significa que, entre 2000 e 2017, o valor do IDH de Angola passou de 0,387 para 0,581, um aumento de 50,2 porcento.


1º de Agosto Apurou-se Hoje Para as Meias Finais da Liga dos Campeões Africanos

O 1º de Agosto qualificou-se nesta sexta-feira para a Liga de Clubes Campeões de África em futebol ao empatar a uma bola diante do TP Mazembe da RDC, em jogo da segunda-mão.

O feito inédito se deve ao empate nulo obtido dia 15 no estádio 11 de Novembro, em Luanda.

Na partida, que decorreu em Lumbumbashi, os anfitriões marcaram primeiro, aos 12 minutos, por Muleka. Mongo restabeleceu a igualdade, aos 34′.

O guarda-redes Tony Cabaça foi a estrela do jogo ao defender duas grandes penalidades.

ANGONOTÍCIAS


Na Província do Cuando Cubango Foram Desminados Mais de 37 Milhões de Metros Quadrados

Pelo menos 37 milhões, 335 mil e 565 metros quadros foram desminados na província do Cuando Cubango, num total de 537,5 quilómetros limpos de minas antipessoal, antitanque, engenhos não detonados, desde1996 a 2017, revelou hoje, sexta-feira, o chefe de departamento do Instituto Nacional de Desminagem, Paulo Taukondjele.

Em declarações à imprensa, para fazer um balanço dos trabalhos efectuados nos últimos anos, o responsável avançou que neste período foram removidos e destruídos duas mil e 180 minas antipessoal, 463 minas antitanque e 155 mil e 252 uxos (outros engenhos não detonados), resultante da desminagem de 98 áreas a nível daquela região do país.

Avançou que o processo de desminagem, a nível do Cuando Cubango, encontra-se paralisado há seis meses, por falta de recursos financeiros, adiantando que neste preciso momento a província conta com três brigadas de desminagem das Forças Armadas Angolanas (FAA), estacionadas no Triângulo do Tumpo, no município do Cuito Cuanavale, e uma do Instituto Nacional de Desminagem.

“Estas brigadas estavam engajadas no processo de desminagem naquela municipalidade. Do que estava previsto, eram 73 milhões de metros quadrados, destes 52 milhões já foram concluídos, como prioridade do projecto do Triângulo do Tumpo, que permitiu conclusão da terraplanagem do primeiro até ao terceiro tanque”, explicou.

Nesta altura, prosseguiu, as três brigadas de engenharia das Forças Armadas Angolanas (FAA), uma do INAD e uma outra da Polícia de Guarda Fronteira, afectas à Comissão Executiva de Desminagem, têm os trabalhos paralisados há seis meses.


Detido Hoje em Luanda Ex Ministro dos Transportes Augusto Tomás Por Suposto Desvio de Fundos

O antigo ministro dos Transportes de Angola Augusto Tomás encontra-se detido desde hoje em Luanda, por suposto envolvimento no desvio de fundos do Conselho Nacional de Carregadores, disse à Lusa fonte da Procuradoria-Geral da República.

Segundo o porta-voz da Procuradoria-Geral da República de Angola, Álvaro João, foi aplicada a medida de coação de prisão preventiva a Augusto da Silva Tomás e a “alguns membros do Conselho Nacional de Carregadores”.

Álvaro João referiu que, ainda hoje, será divulgado um comunicado de imprensa com mais esclarecimentos sobre o assunto.

A detenção de Augusto Tomás foi igualmente confirmada à Lusa por fonte dos serviços prisionais, que informou que o antigo governante angolano se encontra “privado de liberdade” desde a tarde de hoje no Hospital Prisão de São Paulo.

Augusto da Silva Tomás foi afastado do cargo pelo Presidente de Angola, João Lourenço, em Junho deste ano, não tendo sido avançados os motivos da sua exoneração.


Desafios Enormes Para a Cidade do Huambo Quando Festeja 106 Anos de Idade

Foto de Valentino Yequenha

A cidade do Huambo, que mais encantou os colonialistas portugueses em Angola, celebra hoje, sexta-feira, 106 anos desde a sua fundação, pelo então governador-geral de Angola, general José Mendes Ribeiro Norton de Matos.

Totalmente recuperada dos destroços causados pelos longos anos de conflito armado, a urbe, que em 1928 foi proposta à capital do país, pelo então governador-geral de Angola, Vicente Ferreira, que a baptizou de Nova Lisboa, vive uma fase de novos e enormes desafios.

Além da manutenção do seu peculiar perfil arquitectónico, a cidade vem encetando um conjunto de acções que a poderão tornar, a médio prazo, na 1ª capital ecológica do país, um desafio assumido pelas autoridades em 2007.

A assumpção deste desafio tem engajado o governo e seus parceiros sociais a um amplo trabalho de preservação dos espaços verdes, manutenção do saneamento da urbe e educação ambiental da população local.

Aos poucos, vê-se uma cidade mais limpa, mais verde e auto-sustentável ambientalmente, o que está, seguramente, a contribuir para o reforço da distinção de Huambo capital ecológica e na melhoria da própria saúde pública, com vista à promoção do bem-estar da população.

Paralelamente ao desafio de transformar-se na capital ecológica do país, as autoridades também esmeram-se, ao máximo, para resgatar a tradição académica da antiga Nova Lisboa, que, até 1991, era famosa na formação de quadros em diversos ramos do saber.